O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2019-12-06T10:40:27-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
olho no indicador

Disparada no preço da carne faz inflação acelerar para 0,51% em novembro

Maior demanda de carne na China e valorização do dólar fez o item disparar; avanço do IPCA é o maior para mês desde 2015

6 de dezembro de 2019
9:03 - atualizado às 10:40
Embalagem de carne bovina
Imagem: Shutterstock

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,51% no mês de novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta sexta-feira (6).

Segundo o IBGE, o avanço registrado — maior para o mês desde 2015 — tem a disparada nos preços das carnes como principal razão. O grupo alimentação e bebidas, ao qual o item pertence, teve alta de 8,09%.

O aumento nos preços das carnes acontece por conta da maior demanda do produto pela China e a desvalorização do real frente ao dólar. A moeda americana subiu 5,77% em novembro, a R$ 4,2407. "Isso incentiva a exportação, restringindo a oferta interna e elevando o preço dos produtos”, diz o gerente da pesquisa do IBGE, Pedro Kislanov.

Nesta quinta, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socieconômicos (Dieese) também atribuiu como razões para a alta dos preços do item o período de entressafra bovina e o custo de reposição do bezerro.

Em outubro a inflação avançou 0,10%, segundo o IBGE. O acumulado do ano foi para 3,12% e o dos últimos doze meses, para 3,27%, acima dos 2,54% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em novembro de 2018, a taxa foi de -0,21%.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte.

Inflação por período

  • Novembro: 0,51%
  • Outubro: 0,10%
  • Novembro de 2018: - 0,21%
  • Acumulado no ano: 3,12%
  • Acumulado em 12 meses: 3,27%

IPCA calibra a Selic

A alta generalizada dos preços já era esperada pelo mercado financeiro, que segue atento ao índice em especial por causa da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), que acontece na próxima semana — e decide sobre a taxa básica de juros, Selic, hoje em 5%.

A dinâmica é: inflação alta costuma levar o BC a aumentar os juros, enquanto uma inflação mais baixa e controlada dá espaço pra redução dos juros. Mas no próximo encontro do Copom, ao menos, um corte de meio ponto percentual já é esperado.

A dúvida é quanto a novos cortes. Parte do mercado defende o fim do ciclo que começou em julho, evitando uma pressão adicional sobre o real.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de swing trade: compra de ações da Wiz (WIZB3) e lucro de 5% no bolso com Bradesco (BBDC4)

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Wiz (WIZS3), com entrada em R$ 8,44; veja a análise

O melhor do Seu Dinheiro

O Nubank estará Nu mais uma vez? Confira a história do dia e outras sete notícias que mexem com os seus investimentos

O Nubank virou rei na competição com os bancões, mas a nudez dos balanços amargou o gosto dos investidores pela fintech; veja o que esperar do resultado do primeiro trimestre

Segredos da Bolsa

Esquenta dos mercados: Desaceleração da China gera mal estar e bolsas amanhecem pressionadas; Ibovespa acompanha tensão na Petrobras (PETR4)

No panorama doméstico, os balanços de Magazine Luiza, Nubank e outros movimentam o dia

Fã ou hater?

O Nubank (NUBR33) vai calar a boca dos críticos? Saiba o que esperar dos resultados do 1T22 do banco digital

Nubank é um daqueles papéis que costumam gerar um comportamento binário dos investidores, a exemplo de Oi (OIBR3) e IRB (IRBR3): ou você é fã, ou é hater.

'PERGUNTA PRO SACHSIDA'

Bolsonaro se pronuncia sobre ‘fritura’ e possível substituição do presidente da Petrobras (PETR4)

Bolsonaro voltou a dizer que “ninguém vai tabelar preço de combustível”, mas afirmou que a “finalidade social” da Petrobras não está sendo cumprida

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies