Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T12:27:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
O dia do acordo chegou

GM anuncia investimento de R$ 10 bilhões para fábricas de São Caetano do Sul e São José dos Campos

Anúncio foi feito após quase dois meses de negociações com o governo do Estado para a obtenção de incentivos fiscais que garantissem o valor investido

19 de março de 2019
13:10 - atualizado às 12:27
General Motors
Imagem: shutterstock

Dois meses depois de ameaçar deixar de produzir no Brasil caso não voltasse a ter lucro na operação, a direção da General Motors (GM) no País utilizou o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, para confirmar o plano de investir R$ 10 bilhões de 2020 a 2024 nas duas fábricas instaladas no Estado, uma em São Caetano do Sul e outra em São José dos Campos.

O anúncio contou com a presença do governador de São Paulo, João Doria, do secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, e do presidente da GM América do Sul, Carlos Zarlenga, entre outros representantes do governo e da empresa. Atrás da mesa onde o anúncio foi feito, um enorme cartaz alternava a logo do governo do Estado e da GM.

Segundo Zarlenga, os investimentos serão destinados a novos produtos. O executivo não detalhou quanto será investido em cada fábrica.

O anúncio foi feito depois de quase dois meses de negociações com o governo do Estado para a obtenção de incentivos fiscais que garantissem o investimento. Como solução, o governo apresentou no último dia 8 um programa de incentivo ao setor, que dá descontos de até 25% no ICMS para empresas que apresentarem planos de investir pelo menos R$ 1 bilhão no Estado e gerar no mínimo 400 empregos.

Para chegar ao desconto máximo, de 25%, a empresa tem de apresentar investimento de pelo menos R$ 10 bilhões, exatamente o mesmo valor anunciado pela GM.

O presidente da GM América do Sul afirmou que ficou impressionado com a rapidez do governo em apresentar uma solução. “Hoje eu pensei que seria um dia que não ia chegar, mas chegou”, afirmou Zarlenga.

Promessa de 400 empregos

Doria também frisou em sua fala a expectativa para a geração de empregos com o novo projeto da montadora. Segundo ele, são esperados 1.200 empregos entre 2020 e 2024, sendo 400 diretos e outros 800 indiretos.

O governador não detalhou, no entanto, quantos desses empregos diretos serão criados em cada uma das duas fábricas da montadora no Estado.

A estimativa de empregos diretos a serem gerados é exatamente o mínimo exigido pelo programa de incentivo ao setor anunciado pelo governo do Estado.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Juros em alta

Rumo aos 6% + IPCA? Taxas do Tesouro Direto sobem forte após Copom, e títulos atrelados à inflação já pagam mais de 5,5% a.a. de juro real

Com alta da Selic para 7,75%, juros futuros dispararam nesta quinta, fazendo taxas do Tesouro Direto subirem ainda mais

De olho na estatal

Após novas falas de Bolsonaro sobre privatização, CVM vai investigar a Petrobras (PETR4)

A autarquia abre processo administrativos quando entende que precisa acompanhar os desdobramentos de algum assunto

ENRIQUEÇA ATÉ 2024

‘Investir muito em Bitcoin é coisa de imbecil’: estes 14 investimentos já dispararam até 1300% e têm potencial para te deixar rico

Apesar do hype das criptomoedas, existem outras ‘pechinchas exponenciais’ que estão fora do radar de muitos investidores; conheça

Um brinde

A Ambev (ABEV3) nunca vendeu tanta cerveja como no 3º trimestre. E as ações disparam na bolsa

A gigante de bebidas registrou lucro líquido de R$ 3,6 bilhões no terceiro trimestre, alta de 50% e acima do esperado pelo mercado. Hora de comprar a ação?

MERCADOS HOJE

Entre balanços positivos e nova elevação da Selic, Ibovespa opera em queda; dólar avança

Após a decisão do Copom de elevar em 1,5 ponto percentual a Selic, o mercado já espera mais para a próxima reunião. O impasse em Brasília pressiona ainda mais a curva de juros e já precifica uma alta de 1,75 p.p no próximo encontro.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies