Menu
2019-10-08T12:31:42-03:00
Estadão Conteúdo
recessão à vista?

Perto de 90% do PIB mundial deve desacelerar em 2019, aponta FMI

Para Kristalina Georgieva, nova diretora-gerente do FMI, a diminuição da velocidade do PIB global está relacionada com um conjunto de fatores que tem como ponto comum o que classificou de “fraturas”

8 de outubro de 2019
12:22 - atualizado às 12:31
pib crescimento
Imagem: Shutterstock

Perto de 90% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial deve desacelerar em 2019, pois a economia global está em sincronizada redução de velocidade, uma situação bem diferente da registrada há dois anos, quando 75% do PIB do planeta apresentava expansão, apontou Kristalina Georgieva, a nova diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), em seu primeiro discurso no cargo.

"A ampla desaceleração significa que o crescimento (global) neste ano atingirá o nível mais baixo desde o começo da década", destacou Kristalina no texto preparado para o pronunciamento. "Na próxima semana, iremos divulgar (o relatório) Perspectiva Econômica Mundial que irá mostrar redução das previsões para 2019 e 2020."

De acordo com a diretora-gerente do FMI, o mundo passa por uma situação complexa, pois ao mesmo tempo em que os Estados Unidos e a Alemanha apresentam taxas de desemprego em patamares muito baixos, há perda de vigor das suas economias, o que também ocorre em toda a zona do euro e Japão. "Em alguns dos maiores mercados emergentes, como a Índia e o Brasil, a desaceleração é ainda mais pronunciada neste ano." No caso da China, ela destaca que o PIB está gradualmente reduzindo seu ritmo.

Para Kristalina Georgieva, a diminuição da velocidade do PIB global está relacionada com um conjunto de fatores que tem como ponto comum o que classificou de “fraturas”. Ela ponderou que a expansão do comércio internacional “está quase parada”.

"A atividade manufatureira e o investimento enfraqueceram substancialmente em parte devido a tensões comerciais", apontou a búlgara. "Há sérios riscos de que serviços e consumo poderão ser afetados logo." Segundo ela, incertezas geradas por pelas disputas no comércio global e também pelo Brexit e por questões geopolíticas estão coibindo o potencial de expansão do mundo.

“Mesmo com a retomada do crescimento em 2020, as fendas atuais podem levar a mudanças que vão durar uma geração - cadeias de fornecedores quebradas, setores de comércio isolados, um ‘muro de Berlim digital’ que forçará países a escolher entre sistemas de tecnologia", ressaltou Kristalina.

“Todos perdem com uma guerra comercial”, apontou a diretora-gerente do Fundo. Para ela, os conflitos nesta área podem significar uma perda próxima a US$ 700 bilhões em 2020 ou 0,8 ponto porcentual do PIB global, aproximadamente o tamanho da economia da Suíça. Por outro lado, ela ponderou que os países precisam enfrentar preocupações legítimas com práticas comerciais, especialmente em relação a subsídios, propriedade intelectual e transferência de tecnologias.

Kristalina Georgieva destacou que para avançar o crescimento global e tornar as economias de países mais resilientes são necessárias cooperação internacional e "ações sincronizadas de políticas."

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Após vacinação e apoio fiscal

Economia dos EUA está “em ponto de inflexão” positivo, diz Powell, do Fed

Economia norte-americana está prestes a começar a crescer muito mais rapidamente, afirmou presidente do banco central norte-americano em entrevista

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies