🔴 [EVENTO GRATUITO] COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE AQUI

Estadão Conteúdo
Pisa no freio

FMI se reúne em cenário de freada global

As novas estimativas do Fundo para este ano e para o próximo devem ser divulgadas nesta terça-feira, 15, com a atualização da Perspectiva Econômica Mundial, relatório divulgado regularmente em abril e outubro.

Fundo Monetário Internacional (FMI)
Imagem: Shutterstock

A economia global deve ter o pior desempenho em dez anos, melhor apenas que o de 2009, quando o PIB mundial encolheu 0,65%, segundo a nova projeção do Fundo Monetário Internacional (FMI). "Em 2019, esperamos crescimento menor em quase 90% do mundo", adiantou na semana passada a nova diretora-gerente da instituição, a economista Kristalina Georgieva. Há dois anos, a economia internacional estava em alta sincronizada. Agora continua sincronizada, mas no movimento contrário.

As novas estimativas do Fundo para este ano e para o próximo devem ser divulgadas nesta terça-feira, 15, com a atualização da Perspectiva Econômica Mundial, relatório divulgado regularmente em abril e outubro. Em julho, os cálculos indicavam expansão de 3,2% em 2019 e 3,5% em 2020. Em 2009, o mundo refletiu plenamente o impacto da crise iniciada no ano anterior e já prenunciada em 2007 com os primeiros abalos no mercado financeiro.

Igualmente sombrio é o cenário apresentado em relatório recente do G-20, formado pelas maiores economias desenvolvidas e emergentes. Segundo esse documento, a atividade global deve permanecer contida nestes dois anos, com perda de impulso tanto no mundo avançado quanto na maior parte dos demais países.

A perda de impulso é atribuída, principalmente, às novas barreiras criadas no comércio entre Estados Unidos e China e ao risco de extensão do problema aos demais países. A elevação de tarifas e o enfraquecimento do comércio aumentaram a insegurança e isso derrubou o investimento, especialmente na indústria manufatureira. A relação de riscos importantes inclui a possível intensificação da guerra com Reino Unido e União Europeia.

A nova diretora-gerente do FMI também ressaltou os efeitos da insegurança. "Em algumas das maiores economias emergentes, como Índia e Brasil", disse a diretora, "a desaceleração é ainda mais pronunciada neste ano".

A saída, segundo Georgieva, deve envolver políticas coordenadas, uma estratégia bem-sucedida na superação da crise de 2008. Estímulos fiscais serão agora mais importantes que naquela ocasião, porque as políticas monetárias já foram amplamente usadas, os juros estão muito baixos, e até negativos, e pouco mais se pode fazer com esse instrumental. A recomendação vale para países com alguma folga fiscal. Não é o caso do Brasil. Será essencial fortalecer o sistema multilateral de comércio e avançar em reformas estruturais, como a tributária, para favorecer os ganhos de produtividade. Reformas estruturais podem igualmente incluir desburocratização, estímulos à participação das mulheres nas atividades profissionais e combate à corrupção. Tais mudanças, sublinhou Georgieva, já produziram ganhos econômicos importantes em vários países.

*As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

PERIGO DE CONTÁGIO

De mãos dadas? FMI vê riscos na conexão cada vez maior entre criptomoedas e mercados financeiros; entenda

13 de janeiro de 2022 - 13:45

Segundo o Fundo, houve um aumento astronômico do mercado de criptomoedas, que deu um salto de quatro vezes desde 2017 e chegou a ter capitalização de US$ 3 trilhões

PEDRA NO SAPATO

Prévia do discurso: em reunião do FMI, Guedes argumentará que inflação assola não só o Brasil, mas o mundo todo

12 de outubro de 2021 - 18:20

Segundo o discurso preparado pelo ministro, o progresso contínuo na vacinação é o fator mais importante por trás de uma forte e duradoura recuperação econômica

inflação pesou

FMI reduz estimativa para o PIB brasileiro; veja as apostas da instituição para o crescimento nos próximos anos

12 de outubro de 2021 - 14:29

O FMI fez poucos comentários sobre a evolução da economia do Brasil, mas destacou que suas estimativas consideram a conformidade com o teto de gastos

Mercados hoje

Em dia de feriado no Brasil, bolsas em NY operam perto do zero a zero; índice de ações brasileiras recua

12 de outubro de 2021 - 11:04

O principal destaque do dia nas bolsas é a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI). A instituição cortou as projeções para o crescimento global em 2021

Bota para subir

Após nova alta da Selic, FMI apoia aperto monetário adotado pelo Banco Central para combater inflação

22 de setembro de 2021 - 18:57

Os diretores do órgão também aprovam o compromisso do BC intervenções limitadas para conter condições desordenadas de mercado

De partida

Ilan Goldfajn vai deixar Credit Suisse para assumir diretoria do FMI

13 de setembro de 2021 - 12:07

No novo cargo, Ilan será responsável pelo acompanhamento da política econômica dos países membros do FMI nas Américas, incluindo Estados Unidos e Brasil

Distorções preocupam

Retomada desigual e dívida de emergentes podem causar instabilidade global, diz FMI

5 de julho de 2021 - 13:23

A diretora da instituição alertou para a eventual dificuldade no serviço da dívida em dólar de países mais pobres, uma vez que Fed eleve as taxas de juros nos EUA

Inflação global

Há riscos de inflação global maior e mais persistente, diz diretor do FMI

24 de junho de 2021 - 12:03

Segundo ele, a visão do Fundo é que o “salto” recente nas pressões inflacionárias reflete desequilíbrios entre a oferta e a demanda que são temporários, influenciados também por altas nos preços de commodities, ante uma base de comparação “muito fraca” no ano passado

Geração de emprego

Brasil gera 184 mil novos empregos formais em março, diz governo

28 de abril de 2021 - 12:33

No acumulado de 2021, foi registrado saldo de 837.074 empregos; Guedes elogiou desempenho

Subindo!

Previsão para PIB mundial sobe de 5,5% para 6,0% em 2021, aponta FMI

6 de abril de 2021 - 11:50

Contudo, a dinâmica do crescimento global é “incerta”, pois na corrida entre a vacinação e a multiplicação de variantes do coronavírus o cenário no curto prazo é incerto

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar