🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Estadão Conteúdo
Trabalho formal

Economia brasileira volta a gerar empregos em 2018 após 3 anos de demissões

Primeiro resultado positivo anual depois de três anos de retração no emprego também é o melhor desempenho desde 2013, segundo dados do Caged

Estadão Conteúdo
23 de janeiro de 2019
14:13 - atualizado às 10:40
Carteira de trabalho
Imagem: shutterstock

O mercado de trabalho brasileiro criou 529.554 empregos com carteira assinada em 2018, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira, 23, pelo Ministério da Economia.

O primeiro resultado positivo anual depois de três anos de retração no emprego também é o melhor desempenho desde 2013, quando foram gerados 1,138 milhão empregos na série com ajustes.

O resultado de 2018 ficou dentro do intervalo das estimativas de analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast. As projeções eram de geração de 381.600 a 671.233 vagas, com mediana de 430 mil.

Em 2015, foram fechadas 1,534 milhão de vagas formais. Em 2016, a perda de empregos com carteira assinada foi de 1,326 milhão. Em 2017, houve retração de 11.964 postos de trabalho.

Dezembro apresenta perda de vagas

Em dezembro de 2018, porém, houve o fechamento líquido de 334.462 vagas com carteira assinada, como é comum para o último mês do ano.

O desempenho interrompeu uma sequência de 11 meses seguidos de criação de empregos formais, de acordo com a série histórica com ajuste sazonal.

O saldo de dezembro decorre de 961.145 admissões e 1,295 milhão de demissões. Em dezembro de 2017, o fechamento de vagas havia chegado a 328.539, na série sem ajustes.

O resultado de dezembro ficou dentro do intervalo das projeções dos analistas, que esperavam fechamento de 373.900 a 29.127 vagas, com mediana negativa em 326.700 postos de trabalho.

Serviços em alta

O resultado anual foi puxado pelo setor de serviços, que gerou 398.603 postos formais em 2018, e pelo comércio, que abriu 102.007 novas vagas com carteira assinada. Em seguida, a construção civil abriu 17.957 vagas.

Também tiveram saldo positivo no ano serviços industriais de utilidade pública (7.849 postos), agropecuária (3.245 postos), indústria de transformação (2.610 postos) e extrativa mineral (1.473 posto).

Já a administração pública fechou 4.190 vagas no ano passado.

Por outro lado, apenas o comércio teve desempenho positivo em dezembro, com a abertura de 19.643 vagas.

O resultado negativo no mês foi influenciado pelo saldo da indústria de transformação, que fechou 118.053 postos no mês, seguido pelos serviços, que fecharam 117.411 vagas.

Na construção civil, a perda foi de 51.576 postos e, na agropecuária, a retração foi de 47.629 vagas.

Também tiveram saldo negativo em dezembro a administração pública (-16.999 postos), serviços industriais de utilidade pública, (-1.406 postos) e extrativa mineral (-1.031 postos).

 Governo comemora (e já pensa em novas reformas)

Ao comemorar o resultado positivo do Caged, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, reforçou que o novo governo pretende aprofundar a reforma trabalhista neste ano.

"O governo atual vai acentuar as conquistas estabelecidas com a reforma trabalhista e retirar mais trabalhadores da informalidade. Acreditamos que há necessidade de retirarmos ainda mais a tutela do Estado na relação entre empregadores e empregados", afirmou o secretário.

Marinho também destacou que o modelo tradicional de emprego com carteira assinado será apoiado pelo governo, mas que a equipe econômica precisa olhar novas modalidades de emprego já adotadas pela sociedade como, por exemplo, os trabalhadores por aplicativos.

Simplificando estruturas

O secretário de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, disse que o atual governo trabalha pela simplificação das estruturas tributárias e trabalhistas, com o objetivo de combater a informalidade no mercado de trabalho.

"Um nível de 40% de informalidade não pode ser atacado com uma iniciativa apenas, e não é causada somente pela falta de fiscalização. Essa informalidade está relacionada também com as estruturas tributária e trabalhista que precisam ser simplificadas, para que não haja essa diferença tão grande de custos entre o emprego formal e informal", comentou ele, sem entrar em detalhes sobre as medidas que o governo pretende adotar.

*Com Estadão Conteúdo.

Compartilhe

FECHAMENTO HOJE

Fluxo estrangeiro segue impulsionando, e Ibovespa fecha em alta de quase 1%; dólar vai a R$ 5,27

1 de fevereiro de 2022 - 19:27

O setor de mineração e siderurgia encabeçou o movimento positivo, ainda que os investidores estejam sem a referência da cotação do minério de Qingdao, com negociação paralisada devido ao feriado do Ano Novo Chinês.

mercados hoje

Ibovespa ganha fôlego ao longo da manhã e se firma nos 112 mil pontos; dólar vai a R$ 5,28

1 de fevereiro de 2022 - 10:20

As tensões entre Rússia e Ucrânia parecem ter saído do radar dos investidores, que aguardam os balanços das big techs

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa e dólar driblam cautela global e marcam golaço para encerrar o mês; bolsa acumula alta de 7% e dólar cai a R$ 5,30

31 de janeiro de 2022 - 19:42

O dia foi de recuperação para as bolsas americanas e de instabilidade para o Ibovespa, mas a bolsa brasileira encerrou o mês em alta de quase 7%

mercados hoje

Dólar acelera queda acompanhando o exterior e vai a R$ 5,30, enquanto bolsa se firma em alta na segunda metade do pregão

31 de janeiro de 2022 - 10:21

Ainda esta semana ocorre a divulgação da taxa básica de juros, a Selic, aqui no Brasil, o que injeta ainda mais cautela dos investidores

Acima das expectativas

Mercado de trabalho cria mais empregos em julho e registra saldo positivo

26 de agosto de 2021 - 11:21

Segundo o Caged, foram criadas 316.580 vagas de emprego formal no mês passado, acima da mediana de estimativas do mercado, de 300 mil

De olho na Bolsa

Esquenta dos mercados: Crise hídrica deve pressionar a bolsa hoje; exterior opera com cautela antes do Simpósio de Jackson Hole

26 de agosto de 2021 - 7:49

No radar, Paulo Guedes, Ministro da Economia, e Onyx Lorenzoni, do Trabalho e Previdência, têm participação em eventos hoje

Mais vagas preenchidas

Saldo de carteiras de trabalho assinadas em junho é positivo, segundo Caged

29 de julho de 2021 - 11:27

Após a criação de 276.043 vagas em maio, o mercado de trabalho formal brasileiro acelerou no mês passado e registrou um saldo positivo 309.114 carteiras assinadas em junho

Abertura de vagas

Setor de serviços abre 110.956 vagas em maio e puxa Caged, seguido por comércio

1 de julho de 2021 - 11:29

Já a indústria geral abriu 44.146 vagas em maio, enquanto houve um saldo de 42.526 contratações na agropecuária

Melhorando

Brasil cria 120.935 vagas de emprego formal em abril, segundo Caged

26 de maio de 2021 - 12:56

Em abril do ano passado, em meio ao lockdown nacional devido à primeira onda de covid-19, houve fechamento de 963.703 vagas com carteira assinada

Geração de emprego

Brasil gera 184 mil novos empregos formais em março, diz governo

28 de abril de 2021 - 12:33

No acumulado de 2021, foi registrado saldo de 837.074 empregos; Guedes elogiou desempenho

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar