🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
Disputa nos ares

Cade teme concentração maior com fim da Avianca

Conselho Administrativo de Defesa Econômica defende que a Anac distribua os slots da Avianca para uma nova empresa, ou, se isso não for possível, entre companhias com menor participação de mercado

Avianca
Aeronave da Avianca - Imagem: shutterstock

As companhias aéreas líderes de mercado podem não levar um dos ativos mais cobiçados no espólio da Avianca mesmo se saírem vencedoras no leilão da empresa. Segundo o 'Estadão/Broadcast' apurou, órgãos reguladores têm restrições em repassar os slots - autorizações de pouso e decolagem em aeroportos - para Gol e Latam, que estão na disputa.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) defende que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) distribua os slots da Avianca para uma nova empresa, ou, se isso não for possível, entre companhias com menor participação de mercado. No aeroporto de Congonhas, o mais disputado do País, a Azul é a menor empresa, com 5% dos slots.

A preocupação do Cade é que, se os ativos forem repassados às líderes, haverá mais concentração de mercado, afetando preços e ofertas de voos. Segundo fontes, a avaliação da Anac, responsável pela cessão dos slots, também é que a distribuição para um novo entrante seria a "solução ideal" porque, quanto mais empresas no mercado doméstico, melhor.

A posição dos órgãos reguladores poderia beneficiar a Azul, que também se habilitou para participar do leilão. Uma empresa só "herda" os slots de outra comprada se adquirir toda a operação. No modelo desenhado pela Avianca, seriam vendidas unidades produtivas separadas, por isso há dúvidas se os slots iriam ou não para a ganhadora automaticamente.

Leilão

Com dívidas de R$ 2,7 bilhões, a Avianca tem como plano de recuperação judicial a divisão de seus ativos em sete Unidades Produtivas Isoladas (UPIs). Seis dessas unidades incluiriam os slots e uma delas o programa de fidelidade da empresa. O leilão das UPIs deveria ter ocorrido ontem, mas uma liminar da Justiça cancelou o certame - a Avianca deve recorrer nos próximos dias, apurou o Estado. O questionamento é sobre possível ilegalidade na venda dos slots, que não podem ser considerados ativo da companhia aérea, segundo a Anac.

Ontem, um empecilho extra apareceu na recuperação judicial da Avianca: a arrendadora de aeronaves Gecas (do grupo GE) e BR Distribuidora apresentaram questionamentos na Justiça em relação aos pagamentos previstos no plano. A GE apontou que nem todos os credores são contemplados e pediu reserva do valor que é devido a ela. A BR apresentou agravo pedindo revogação do plano por entender que receberá só 0,02% do crédito de R$ 36 milhões.

Avianca e Latam não comentaram. A Azul não respondeu. A Gol disse que "a quebra dos horários de pouso e decolagem em seis UPIs permite que eventuais aquisições tenham menor impacto em relação à concorrência".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

DUAS VEZES, NÃO

Uma bagagem, uma tarifa extra: Bolsonaro veta o despacho gratuito em voos

15 de junho de 2022 - 9:50

Essa é a segunda vez que o presidente veta o despacho gratuito das bagagens; a tarifa extra é cobrada desde 2016

TRIPULAÇÃO, PREPARAR PARA A DECOLAGEM

Campeã do Ibovespa, Embraer (EMBR3) inicia processo de certificação do seu ‘carro voador’ com a ANAC

10 de fevereiro de 2022 - 16:10

Dona do melhor desempenho no Ibovespa em 2021 terá ações de controlada responsável pelo eVTOL negociadas na NYSE

BOA NOTÍCIA

Depois da turbulência: Itapemirim firma compromisso com Procon-SP para reembolsar consumidores que reclamarem

28 de dezembro de 2021 - 18:28

Penalidade pode chegar a R$ 5 milhões com descumprimento de termo assinado hoje. Suspensão temporária das operações da ITA, o recém inaugurado braço aéreo do grupo, aconteceu no dia 17 e levou caos aos aeroportos.

Novas concessões

Anac aprova edital da 7ª rodada de leilões de aeroportos, que inclui Congonhas e Santos Dumont

21 de dezembro de 2021 - 15:00

A documentação, agora, será analisada pelo TCU; o governo espera que os novos leilões de aeroportos sejam feitos no 1º semestre de 2021

De quem é a culpa?

Golpe duro: CVC (CVCB3) despenca 7% após o fiasco da Itapemirim (ITA) e da Anac

20 de dezembro de 2021 - 14:19

As ações da CVC (CVCB3) se aproximam das mínimas após o caos gerado pelo fim das operações da Itapemirim (ITA), autorizadas pela Anac em maio

Preparar para decolagem

Renovação total: Gol faz acordo para adquirir aviões novos; veja os detahes

4 de agosto de 2021 - 7:51

Presidente da companhia aérea afirma que movimento é uma antecipação à esperada retomada da demanda por viagens após a pandemia

Airbus A320

Itapemirim começa a receber aeronaves para voos comerciais após Anac autorizar

9 de maio de 2021 - 17:54

A Itapemirim diz que a segunda aeronave Airbus A320 de sua frota deve chegar ao aeroporto de Confins (MG) neste domingo

Olha o Gol

Boeing 737-8 Max é autorizado a retornar operações no Brasil pela Anac

25 de novembro de 2020 - 18:00

A informação é vista com bons olhos pela Gol, que é a única credenciada a operar o modelo no Brasil.

diante da crise

Anac aprova reequilíbrio de R$ 1,27 bilhão para quatro aeroportos

24 de novembro de 2020 - 19:54

Terminais que foram beneficiados foram os aeroportos internacionais de Guarulhos (R$ 854,9 milhões), Brasília (R$ 184,8 milhões), Salvador (R$ 114,9 milhões) e Confins (R$ 111,1 milhões)

EFEITOS DA PANDEMIA

Anac aprova revisão extraordinária dos contratos de concessão de quatro aeroportos

16 de novembro de 2020 - 14:07

Objetivo é recompor equilíbrio-financeiro dos contratos, prejudicado pela crise da covid-19

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies