Menu
2020-04-22T18:05:16-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Efeito coronavírus

Demanda doméstica por voos cai 32,9% em março com coronavírus; Gol é a mais afetada

No mês passado, houve o transporte de 4,9 milhões de passageiros pagos frente aos 7,7 milhões em igual período do ano anterior. Gol tem maior perda na procura

22 de abril de 2020
16:53 - atualizado às 18:05
Avião da Gol
Imagem: Shutterstock

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou nesta quarta-feira (22) uma forte queda na demanda doméstica de voos relativa ao mês de março, o primeiro em que a emergência de saúde pública consequente do novo coronavírus se fez sentir no setor aéreo.

Segundo o dado, houve uma retração de 32,9% na procura por voos domésticos em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram transportados, no mês passado, 4,9 milhões de passageiros pagos frente a 7,7 milhões de embarques registrados em março de 2019.

Como resultado, as três companhias aéreas indicaram queda de demanda em março deste ano comparado ao mesmo mês do ano passado. A Gol foi a que mais perdeu demanda, com retração de 27,1%, seguida pela Azul, com baixa de 21,3%, e Latam, de 19,5%, informou a Anac.

Entre as principais empresas aéreas, Latam ficou com 38,2%, Gol com 37,0%, e Azul, 24,8% da participação de mercado doméstico de transporte aéreo.

Enquanto isso, a oferta de voos no mercado doméstico (calculada com base em assentos quilômetros ofertados) também sofreu queda no período comparado, em redução de 24,6%.

A taxa de ocupação dos assentos oferecidos nas aeronaves das principais empresas brasileiras, por sua vez, ficou em 72,1% em março, queda de 11% em relação aos 80,9% verificados no mesmo mês do ano passado.

Mercado internacional

No mercado internacional, Latam, Gol e Azul também viram sua demanda tombar em uma base anual. As quedas foram de 45,3%, 44,1% e 34,6%, respectivamente.

Latam e Gol perderam participação no mercado de voos internacionais, ficando com 20,6% (-5,1%) e 3,7% (-2,9%), respectivamente, comparado a um ano atrás. A Azul aumentou sua participação em 13,6%, para 4,7%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

MERCADOS HOJE

Vacina anima investidores e Ibovespa sobe 1%, na contramão da cautela global

Em dia de Wall Street fechada, o mercado deve refletir uma liquidez menor. Os investidores também repercutem os dados do IBC-Br

acelera aí

Gol cobra agilidade da Smiles na análise de incorporação

Companhia aérea afirma que demora na avaliação da proposta resultará em atraso substancial na reorganização das empresas

Exile on Wall Street

Crescidos e vacinados

Há tempos, me preocupo com a possibilidade de estarmos usando um arcabouço velho para um mundo novo.

o melhor do seu dinheiro

A bolsa e o teto sobre nós

É sempre bom ouvir o que Luiz Fernando Figueiredo tem a dizer. Em junho passado, quando falou com o Seu Dinheiro pela última vez, o ex-diretor do Banco Central e sócio-fundador da Mauá Capital praticamente cantou a bola de quais seriam os próximos movimentos da taxa básica de juros (Selic). De lá para cá, o […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies