Menu
2019-04-04T14:50:28-03:00
Estadão Conteúdo
Que Temer, que nada!

Quem fez a bolsa cair foi o governo, diz líder do PSL na Câmara

Delegado Waldir apontou que humor do mercado mudou após o projeto de lei que reestrutura a previdência dos militares ser entregue ao Congresso

21 de março de 2019
14:18 - atualizado às 14:50
Delegado Waldir, PSL
Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), disse nesta quinta-feira, 21, que o responsável pelo mau desempenho da Bolsa na quarta-feira e na quinta é o governo do presidente Jair Bolsonaro. A declaração do deputado foi dada ao ouvir da reportagem que a decisão do PSL de adiar a escolha do relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) fez a Bolsa cair.

Mas ele rebateu: "Quem fez a Bolsa cair foi o governo", em referência ao teor do projeto de lei que reestrutura a previdência dos militares entregue na quarta ao Congresso.

Waldir criticou parte do projeto. Segundo ele, era esperada uma economia muito maior com a proposta, mas a reestruturação fez, na verdade, subir o gasto. A ideia inicial era que as mudanças pudessem cortar custos da ordem de R$ 97 bilhões. Porém, o texto entregue estima uma economia de R$ 86,8 bilhões.

O deputado explicou que o seu partido, o mesmo do presidente, e outras siglas decidiram adiar a escolha do relator na CCJ porque os líderes precisam saber do governo se haverá "equidade" entre a categoria dos militares e as outras carreiras. "Esperamos que o governo envie equipes técnicas para explicar melhor a proposta e possamos prosseguir".

A escolha do nome do relator na CCJ estava programada para ocorrer nesta quinta, segundo havia informado o presidente da comissão, Felipe Francischini (PSL-PR). No entanto, mais cedo o PSL formalizou em nota que adiará a escolha.

"Depois de uma reunião com líderes partidários, ficou acordado que não haverá a indicação do relator até que o governo, através do Ministério da Economia, apresente um esclarecimento sobre a reforma e a reestruturação dos militares", diz a nota.

Waldir disse que se reuniu na quarta com Francischini para tratar do assunto. Como o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) mostrou na quarta, a indicação pode ficar para a semana que vem. A tramitação da reforma só terá início quando a CCJ definir o relator e o calendário de trabalho.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Fura-teto?

Criticado, governo vai rever PEC que livra obras do teto

O texto não caiu bem entre economistas, parlamentares e membros do próprio governo federal

Relembre a história

Crime e castigo: Bernie Madoff, responsável pela maior pirâmide financeira da história, morre na cadeia

Condenado a 150 anos de prisão, financista que fraudou US$ 20 bilhões e enganou milhares de investidores morreu em desgraça aos 82 anos. Conheça sua história e relembre seus crimes.

Atividade em queda

Indicador da FGV mostra contração da economia em março com agravamento da pandemia

A queda nas expectativas dos consumidores foi um dos destaques negativos entre os componentes do indicador

Benefício com garantia

Paulo Guedes reeditará BEm somente após a aprovação do Orçamento ou da PEC “fura-teto”

“O ministro disse ‘ou um, ou outro, o que sair primeiro a gente faz o BEm'”, afirmou Paulo Solmucci, presidente da Abrasel

PPI

Decreto de Bolsonaro inclui Correios no Programa Nacional de Desestatização

A privatização dos Correios ainda depende da aprovação de um projeto de lei de autoria do Executivo que permite à iniciativa privada prestar serviços

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies