Menu
2019-08-13T11:28:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
no balanço

Banco estatal Banrisul registra lucro de R$ 335,4 milhões no 2º trimestre

Resultado foi impactado pela reestruturação de planos de benefício pós-emprego da FBSS; retorno sobre o patrimônio foi de 17,5%

13 de agosto de 2019
11:28
Banrisul
Banrisul - Imagem: Shutterstock

O Banrisul registrou lucro líquido de R$ 335,4 milhões no segundo trimestre, com crescimento de 28% em relação ao lucro líquido do mesmo intervalo de 2018 e de 4,8% na comparação com o primeiro trimestre.

O lucro líquido recorrente somou R$ 305,7 milhões no mesmo período, com ampliação de 16,7% em relação ao segundo trimestre do ano passado e redução de 4,5% na comparação com o primeiro trimestre.

Nos primeiros seis meses do ano, o lucro líquido alcançou R$ 655,3 milhões, 29,5% acima do lucro líquido apurado no mesmo período do ano passado. O lucro líquido recorrente totalizou R$ 625,6 milhões no primeiro semestre de 2019, 23,7% acima do lucro líquido registrado nos seis primeiros meses de 2018.

Nesta segunda, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), chegou afirmar que sua gestão vai manter o banco como uma instituição pública. Segundo ele, antes de se pensar na privatização do Banrisul, é necessário equacionar o déficit do Estado e as causas que pesam a folha de pagamento do Estado.

No balanço

Segundo documento apresentado pelo banco, o resultado foi impactado pela reestruturação de planos de benefício pós-emprego da FBSS, tratado como extraordinário, cujo efeito no lucro, líquido dos impactos tributários, é de R$ 29,7 milhões.

O banco explica ainda que o desempenho recorrente registrado pelo Banrisul no comparativo semestral reflete a relativa estabilidade do resultado bruto da intermediação financeira.

Além disso, a instituição também credita o resultado ao aumento das receitas de prestação de serviços e de tarifas bancárias, o crescimento das despesas administrativas, a trajetória favorável das outras receitas/despesas operacionais recorrentes e o menor volume de tributos sobre o lucro, face, em especial, á redução de alíquota da CSLL em janeiro de 2019.

Em relação ao desempenho do primeiro trimestre, o desempenho recorrente do segundo trimestre foi influenciado, especialmente, pela relativa estabilidade da margem financeira, pelo crescimento das despesas de PDD, pelo aumento das receitas de prestação de serviços e de tarifas bancárias, pela redução das despesas administrativas e pela trajetória desfavorável das outras receitas/despesas operacionais recorrentes.

O retorno sobre o patrimônio (ROAE) foi de 15,6% no segundo trimestre de 2018 para 17,5% no segundo trimestre deste ano. Os ativos totais somavam ao final do segundo trimestre R$ 79,465 bilhões, 5,48% dos R$ 75,331 bilhões no mesmo período de 2018.

O patrimônio líquido estava em R$ 7,522 bilhões em junho, 6,93% acima dos R$ 7,034 bilhões em junho de 2018. O índice de Basileia subiu 0,8 ponto porcentual para 15,8% no segundo trimestre em comparação ao mesmo período de 2018.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Esperança

Mundo pode crescer em 2021 mais que 5,5% previstos em janeiro, diz FMI

Kristalina Georgieva também defendeu crédito para empresas e famílias, a partir das circunstâncias de cada país, até a crise de saúde ser superada.

Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

Subindo

Insumo no atacado tem forte alta em 12 meses, diz FGV

Em 12 meses, registraram a maior alta da série iniciada em agosto de 1995.

Informalidade

País tem taxa de informalidade de 39,5% no trimestre até dezembro, mostra IBGE

Em apenas um trimestre, mais 2,391 milhões de pessoas passaram a atuar como trabalhadores informais

A combinação perfeita

Depois da cerveja e do hambúrguer, Lemann faz grande aposta em educação

Agora, um dos donos da cervejaria ABInBev está no caminho de ter em sua carteira de investimentos, na qual já figuram empresas como Lojas Americanas, Burger King e Kraft Heinz

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies