Menu
2019-04-20T13:39:01-03:00
Marina Gazzoni
Marina Gazzoni
CEO do Seu Dinheiro. É CFP® (Certified Financial Planner). Tem graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e MBA em Informação Econômico-Financeira e Mercado de Capitais no Instituto Educacional BM&FBovespa. Foi Diretora de Conteúdo e editora-chefe do Seu Dinheiro, editora de Economia do G1 e repórter de O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e do portal IG.
CONTRA-ATAQUE

Gol e Latam entram na briga pela Avianca – e empresa pode ser dividida em 7 partes

A proposta é uma reação das duas maiores empresas aéreas do país para evitar que a terceira colocada, a Azul, compre sozinha a Avianca e ganhe participação no mercado brasileiro.

3 de abril de 2019
12:13 - atualizado às 13:39
Avianca Brasil
Aeronave da Avianca Brasil - Imagem: shutterstock

A Gol e a Latam vão entrar na briga pelos ativos da Avianca. A companhia aérea mudou o seu plano de recuperação judicial e prevê a divisão da empresa em sete partes. Nesta manhã (3), a Gol e a Latam disseram que vão fazer proposta por ao menos uma das empresas por um valor mínimo de US$ 70 milhões. Quem procurou as empresas aéreas para fechar o acordo foi o fundo Elliot, um dos principais credores da companhia.

O novo plano será submetido à assembleia de credores marcada para próxima sexta-feira, dia 5. Se aprovado, as sete Unidades Produtivas Isoladas (UPIs), estruturas criadas para vender partes da Avianca. Seis delas vão conter os direitos de uso dos horários de pouso e decolagem nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Santos Dumont, os chamados "slots", e uma delas terá os ativos referentes ao sistema de milhagem da Avianca, o programa Amigo.

A proposta é uma reação das duas maiores empresas aéreas do país para evitar que a terceira colocada, a Azul, compre sozinha a Avianca e ganhe participação no mercado brasileiro. A Azul fez uma proposta de US$ 105 milhões pela Avianca em 11 de março- em fatia equivalente a seis partes da empresa. A companhia tinha assinado um acordo preliminar com os sócios da Avianca. Procurada, a Azul não se pronunciou.

É uma má notícia para os investidores da Azul, que levou uma rasteira das concorrentes. A ação da companhia abriu o pregão desta quarta-feira em baixa e chegou a cair 2,81%, mas já se recuperou e estava em alta no fim da manhã.

Disputa de mercado

Com a recuperação judicial da Avianca, está em jogo a divisão da participação de mercado do setor aéreo brasileiro e espaços nobres nos aeroportos mais rentáveis.

Mesmo afetada pela crise e pela pressão de credores, a Avianca fechou o mês de janeiro com 11% de participação de mercado no setor aéreo brasileiro, de acordo com dados da Anac. Um fonte de mercado me disse que os slots que serão vendidos pela Avianca respondem por algo em torno de 60% da sua operação.

 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Dirceu Gardel, CEO da Boa Vista

Lições da pandemia: em meio às incertezas, há de se ter convicções

Apostamos em medidas que nos proporcionam, agora, segurança em nossos esforços de gerar transformações benéficas para o mercado de crédito do país

na agenda

Questões sobre MP da privatização da Eletrobras serão decididas nesta quarta, diz Pacheco

Senado deve discutir inclusive os requerimentos de impugnação de jabutis – como são chamados as emendas com temas estranhos à proposta original

seu dinheiro na sua noite

De carona no trem das commodities

Quando falamos em ações que se beneficiam da reabertura da economia pós-covid, logo se destacam os papéis de empresas ligadas à produção de commodities. Quem vem apostando nesses ativos neste ano está se dando bem. Mas é bem verdade que a “tese da reabertura” já está em andamento. Para quem perdeu esse trem, ainda dá […]

aquisição via controlada

Ambipar compra 100% da Ecológica Nordeste

Negócio está em linha com seu plano estratégico de crescimento, com captura de sinergias e potencial maximização das margens e retorno, diz a empresa

denúncia da fup

Médicos da Petrobras receitam remédio sem eficácia a funcionários com covid-19

A estatal segue o comportamento do governo federal, que liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, defende o tratamento precoce do covid-19 via medicamentos não aceitos pela OMS

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies