🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O INVESTIMENTO EM ATÉ 14,5X EM 8 DIAS? ENTENDA A PROPOSTA

Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Entrevista exclusiva

‘CVC acertou em investir na Argentina seja lá qual for o cenário político’, diz presidente

Desde que abriu capital na bolsa em 2013, a companhia de viagens fez várias aquisições pelo mundo. Mas o resultado das primárias argentinas colocaram em xeque a sua mais nova aposta nos nossos “hermanos”

Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
27 de agosto de 2019
5:23 - atualizado às 14:10
Luiz Fernando Fogaça, presidente da CVC
Luiz Fernando Fogaça, presidente da CVC - Imagem: Divulgação/CVC

No início de agosto, a CVC Corp anunciou a compra da agência de viagens Almundo por US$ 77 milhões. A jogada foi considerada importante para a estratégia da empresa, que desde que abriu seu capital na bolsa, em 2013, fez várias aquisições mundo afora.

Uma semana depois, no entanto, essa mesma estratégia foi colocada em xeque com a vitória do candidato de oposição nas primárias eleitorais argentinas. O representante do kirchnerismo Alberto Fernández não é o presidente dos sonhos para o mercado, que teme um aprofundamento da crise dos hermanos. A pergunta que não quis calar entre os investidores foi: teria a CVC entrado em uma roubada? A resposta do presidente do grupo CVC Corp, Luiz Fernando Fogaça, é um categórico ‘não’.

Procurei Fogaça para batermos um papo sobre os impactos do cenário político da Argentina no futuro da companhia. Ele afirma a aquisição da Almundo foi uma estratégia acertada independentemente de como o processo eleitoral da Argentina vai terminar. Segundo ele, a aquisição mira o longo prazo e se baseia principalmente no potencial que o mercado de turismo argentino possui.

Vale lembrar que 2019 já tem sido problemático para a CVC, que no primeiro semestre amargou um rombo de R$ 92 milhões em seu caixa para cobrir os efeitos da saída da Avianca Brasil do espaço aéreo nacional. O fim das operações da companhia deixou vários passageiros na mão, incluindo os que tinham comprado pacotes de viagens com o grupo CVC e que foram realocados em outros voos ou tiveram seus dinheiros devolvidos.

No mercado, o revés se transforma em números. Apesar da alta de 23% nos últimos doze meses, as ações da companhia acumulam perdas de quase 16% em 2019.

Em entrevista exclusiva para o Seu Dinheiro, Fogaça também comentou os detalhes de como a empresa administrou essa crise da Avianca Brasil. Ele também diz o que esperar para o mercado turístico local até o fim do ano, que viu os preços das passagens aéreas decolarem com a baixa oferta de assentos. Confira abaixo os principais trechos dessa conversa.

Eleições na Argentina e Almundo

Apesar de sermos 16% do mercado interno da Argentina, as receitas vindas de lá para o grupo CVC Corp representam somente 6% do total. O resultado das primárias é ruim para a questão política, mas em termos de negócios do grupo isso não é relevante.

Também precisamos ter cautela porque o discurso do (Alberto) Fernández é de conciliação, e ainda não dá para cravar um problema futuro. Continuamos acreditando que a Argentina é relevante para a America Latina e que a decisão de expandir nossos negócios por lá através da Almundo é correta, já que vamos ter uma posição bem mais relevante e mais sinergia na parte de sistemas e comercial. Quando a situação na Argentina melhorar estaremos bem preparados.

"Quando a situação na Argentina melhorar estaremos bem preparados."

Alberto Fernández
Alberto Fernández - Imagem: Shutterstock

Dólar em alta

Câmbio subindo nunca vai ser uma boa notícia porque vendemos em reais. Mas sobre o movimento recente da moeda tenho uma posição de que os efeitos são passageiros. No passado, as valorizações de dólar sempre tiveram impacto maior no curto prazo, mas o consumidor ao ver uma estabilização tende a retomar as compras mesmo com o Real e outras moedas emergentes mais desvalorizadas.

Saída da Avianca Brasil

No fim de abril de 2019, tínhamos 200 mil passageiros com voos da Avianca marcados. A saída da companhia aérea fez com que tivéssemos que reacomodar todas essas pessoas. Até o momento, resolvemos mais de 90% dos casos, e dentro desse percentual, 75% acabaram foram voar por outra companhia aérea e 25% pediu ressarcimento. O saldo dessa operação foi uma saída de R$ 92 milhões de dentro do nosso lucro líquido, isso já incluindo os 10% de passageiros que faltam.

"O saldo dessa operação [fim das atividades da Avianca] foi uma saída de R$ 92 milhões de dentro do nosso lucro líquido".

Setor aéreo e preço das passagens

Para o setor aéreo e para o turismo do Brasil, a saída da Avianca não é boa porque diminuiu logo de cara 15% da oferta de assentos. Hoje temos uma oferta 4% menor na comparação com um ano atrás, e isso faz com que os preços subam. Outras companhias já estão anunciando que vão aumentar a frota, mas isso só deve ser efetivado em 120 dias. Até lá, os preços vão continuar altos e a expectativa é ruim porque passagens mais caras podem encarecer nossos pacotes, e um aumento de preço faz com que os clientes adiem suas viagens. Só devemos preencher esse vazio no fim do ano.

"A expectativa é ruim porque passagens mais caras podem encarecer nossos pacotes, e um aumento de preço faz com que os clientes adiem suas viagens."

Por ora, estamos indo atrás das companhias aéreas negociar voos fretados, vendendo produtos e serviços locais e fazendo mais publicidade para tentar amenizar os efeitos da saída da Avianca. Mas é importante lembrar que atualmente metade das vendas da CVC Corp vem do lazer e outra metade atende o segmento corporativo. No geral, a demanda executiva é mais resistente à variação de preços, o que ajuda a atenuar eventuais perdas com o segmento de lazer.

Avianca

E-commerce

Reconhecemos que a CVC chegou tarde ao universo digital, mas já estamos buscando locais de investimento de marketing digital. Pretendemos chegar no ano que vem em um percentual de investimento em digital próximo ao que as demais empresas do setor investem. Para isso, mudamos a forma de trabalhar nosso desenvolvimento em tecnologia. Criamos uma área com 130 pessoas dedicadas a entender o comportamento do consumidor no online.

Mas é importante dizer que a migração de consumidores para o online que se imaginou lá no passado se estabilizou. As vendas de turismo pela internet já não crescem como antes e o ‘offline’ (vendas presenciais) também continua crescendo. Para você ter uma ideia, o online no Brasil hoje é 48% e o offline 52%.

Compartilhe

para se esquecer

Com covid-19 e isolamento social, setor aéreo teve pior ano da história

2 de janeiro de 2021 - 15:32

Segmento foi um dos mais atingidos pela crise do coronavírus, com uma queda de demanda que chegou a 94,5% no pior momento

Operação lava jato

Sócios da Avianca depositaram propina de R$ 40 mi em conta de filho de Machado

21 de agosto de 2020 - 12:39

Segundo a força-tarefa, os pagamentos foram depositados entre os anos de 2009 e 2013 em contas bancárias na Suíça controladas por Expedito Machado, filho do ex-executivo da Transpetro

Pagamento de propina

Irmãos sócios da Avianca Holdings são presos na fase 72 da Lava Jato

19 de agosto de 2020 - 10:08

Ambos são acionistas da Avianca Holdings, que não é citada nas investigações. Seis mandados de busca e apreensão também foram cumpridos pela Polícia Federal em Alagoas, no Rio e em São Paulo.

plano de recuperação inviável

Justiça decreta falência da Avianca Brasil

15 de julho de 2020 - 6:41

Em recuperação judicial desde dezembro de 2018, a companhia já não mantinha operações desde maio do ano passado

ALÉM DE MORTOS E FERIDOS...

Os ‘falidos’ do coronavírus: veja as empresas que quebraram na pandemia

9 de julho de 2020 - 16:29

Companhias aéreas foram as primeiras a sentir o baque, seguidas por empresas que dependem também do turismo ou de viagens corporativas. Varejistas com fraca presença no e-commerce também sofreram com a ausência de clientes.

parada desde maio de 2019

Com dívidas de R$ 2,7 bi, Avianca Brasil entra com pedido de falência

6 de julho de 2020 - 16:39

Com dívidas que somam R$ 2,7 bilhões, a companhia aérea estava sem operar desde maio do ano passado

Efeito coronavírus

Empresas aéreas da América Latina devem perder US$ 4 bilhões neste ano

11 de junho de 2020 - 19:17

Globalmente, o prejuízo deve chegar a US$ 84,3 bilhões em razão das medidas tomadas pelos governos para tentar conter a pandemia do novo coronavírus

COMPANHIAS AÉREAS

Com queda de mais de 80% no preço das ações no ano, Avianca Holdings pede recuperação judicial nos EUA

10 de maio de 2020 - 18:25

A companhia – que é a segunda maior empresa aérea da América Latina – estimou o seu passivo entre US$ 1 bilhão e US$ 10.000 bilhões

Comercialização em conjunto

Azul e Avianca fecham acordo de codeshare

26 de setembro de 2019 - 7:51

Venda de passagens e início de operações, no entanto, estão sujeitas à aprovação do governo da Colômbia e do Peru

Segue em recuperação judicial

Justiça rejeita falência da Avianca Brasil

10 de setembro de 2019 - 12:56

Decisão foi tomada pela 2ª Câmara de Direito Empresarial por três votos a dois, mas foram necessárias três sessões para que os magistrados chegassem a uma conclusão

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar