Menu
2019-01-03T08:44:45-02:00
Em alta

Venda de veículos supera expectativa do setor e fecha 2018 com avanço de 14,5%

Setor encerrou o período com 2,565 milhões de unidades vendidas, alta de 14,5%, segundo dados preliminares do mercado

3 de janeiro de 2019
8:44
Montadora de carros e veículos
Imagem: Shutterstock

Em 2018 a indústria automobilística brasileira vendeu cerca de 325 mil veículos a mais do que no ano anterior. O setor encerrou o período com 2,565 milhões de unidades vendidas, alta de 14,5%, segundo dados preliminares do mercado. É o segundo crescimento seguido registrado pelo setor, após os quatro anos de queda no período mais crítico da crise econômica, a partir de 2013.

O resultado das vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus ficou um pouco acima da última previsão feita pelas montadoras, que apontava para crescimento de 13,7%. Para este ano, a expectativa é de novo crescimento de pouco mais de 10%.

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, a previsão de crescimento de "dois dígitos baixos" é ancorada pelas projeções de expansão do PIB, inflação sob controle, taxa básica de juros estável, inadimplência baixa e mais crédito disponível para financiamentos. "Se as reformas prometidas pelo novo governo vierem logo, o crescimento será ainda maior", disse o executivo.

Do total das vendas no ano passado, 2,472 milhões de unidades foram de automóveis e comerciais leves, 13,6% acima do resultado de 2017. O segmento de caminhões e ônibus, por sua vez, cresceu 43%, para 91 mil unidades.

Esse crescimento expressivo no mercfado de veículos pesados ocorre em razão do fraco desempenho de 2017, um dos piores para o setor nos últimos dez anos, conforme citou recentemente o diretor da Mercedes-Benz, Luiz Carlos de Moraes.

"Com o PIB começando a melhorar, juros mais aceitáveis, agronegócio puxando as vendas de caminhões pesados e maior confiança por parte das transportadoras esperamos que o crescimento continue em 2019", afirmou Moraes, que também é vice-presidente da Anfavea.

Dezembro

Só no mês passado foram comercializados cerca de 233,5 mil veículos, 9,8% a mais em relação ao mesmo mês de 2017 e pouco acima das 230,9 mil unidades vendidas em novembro.

Os números oficiais das vendas no ano passado serão divulgados hoje pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), assim como a previsão da entidade para este ano. Na terça-feira a Anfavea divulgará dados de produção, exportações e emprego e também anunciará suas projeções para 2019.

A entidade já informou que espera novo crescimento nas vendas, mas ainda não indicou as expectativas para a produção, já que trabalha com nova queda nas exportações.

Argentina

No mês passado, a projeção da Anfavea indicava produção perto de 3 milhões de veículos neste ano - 11% maior que o volume de 2017 -, mas é possível que o número não seja atingido em razão da queda das exportações para a Argentina, principal parceiro comercial do setor automobilístico. Para lá seguem quase 70% dos veículos exportados pelas montadoras instaladas no Brasil.

Como as encomendas do país vizinho devem continuar em ritmo lento pelo menos no primeiro semestre, é possível que as projeções para produção e exportações neste ano venham abaixo ou semelhantes aos resultados de 2018.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Dados atualizados

Mortes por coronavírus no Brasil vão a 34.973; infectados são 643.766

Na quinta-feira, havia 34.021 mortes registradas, segundo o Ministério da Saúde. O balanço diário totalizava 614.941 infectados

Números da pandemia

‘Acabou matéria no Jornal Nacional’, diz Bolsonaro sobre atraso em dados do coronavírus

Questionado sobre o terceiro dia com atraso seguido na divulgação de mortos e infectados pela covid-19 pelo Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira, 5, que “acabou matéria no Jornal Nacional”, telejornal da TV Globo

seu dinheiro na sua noite

A crise do coronavírus vai ser uma marolinha?

Em 2008, ao ser questionado sobre a crise financeira, o ex-presidente Lula disse que o tsunami sobre a economia global chegaria ao Brasil como uma “marolinha”. O resultado você e eu conhecemos. Pois bem, com a rápida recuperação dos mercados nas últimas semanas já vejo muita gente resgatar a tese da marolinha. Na nova versão, […]

Marcelo Guaranys

Ninguém voltará para fila do Bolsa Família após fim do auxílio emergencial, diz secretário

Depois de o governo transferir quase R$ 84 milhões do Bolsa Família para publicidade institucional, secretários do Ministério da Economia disseram que o programa está com a fila zerada

Isso é que é alívio

Dólar despenca 6,52% na semana e fica abaixo de R$ 5,00; Ibovespa dispara mais de 8%

O dólar à vista terminou a semana a R$ 4,99, indo ao menor nível desde 26 de março, enquanto o Ibovespa cravou a sexta alta seguida e voltou ao patamar de 94 mil pontos. Entenda o que motivou toda essa onda de otimismo nos mercados

Secretário especial da fazenda

Bolsa Família não foi prejudicado com transferência de recurso à Secom, diz Waldery

Ele lembrou que o governo decidiu prorrogar o auxílio emergencial por duas parcelas “em princípio” e que, depois da medida provisória que previa o pagamento permanente do 13º para o Bolsa Família caducar, o governo analisará o espaço orçamentário para esse medida neste ano

Efeito coronavírus

Varejo de SP tem perdas de R$ 16 bilhões durante quarentena, diz Fecomercio

O cálculo é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), levando em consideração 72 dias de quarentena até ontem

Menos frequência, mais gasto

Redes de supermercados e atacarejos faturam 12,5% a mais em maio

Os dados são de um levantamento da GS Ciência do Consumo, empresa de inteligência analítica e soluções de tecnologia para indústria e varejo

YDUQ3 salta 10% na bolsa

BTG mantém-se neutro sobre Yduqs, mas vê ‘gatilho valioso’ após aquisição de R$ 120 milhões

Yduqs salta mais de 10% no Ibovespa; para BTG, o fraco ímpeto de lucros da companhia e a falta de catalisadores ainda justificam a cautela na recomendação

Dono da Warner Music

Len Blavatnik: o bilionário que apostou na indústria fonográfica e se tornou um dos homens mais ricos do mundo

Com o bem-sucedido IPO da Warner Music, na Nasdaq, Blavatnik, que apostou na empresa quando a indústria fonográfica desmoronava, saltou quase 20 posições na lista dos mais ricos do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements