Menu
2018-11-09T15:57:18-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Operações no mercado à vista puxaram queda de ontem do Ibovespa

Movimentação com índice futuro foi pouco expressiva. No câmbio, estrangeiro segue comprado em US$ 37,5 bilhões

9 de novembro de 2018
9:33 - atualizado às 15:57
cotações tela mercado financeiro
Imagem: Creative Commons/Pixabay

A queda de ontem do Ibovespa, de expressivos 2,39%, foi quase que exclusivamente concentrada nas operações do mercado à vista, já que as movimentações no mercado futuro de índice foi pouca expressiva.

Os dados da B3 mostram os fundos de investimento com posição comprada de 112.216 contratos, uma queda de 455 contratos em comparação com o pregão de quarta-feira.

Na ponta oposta, o estrangeiro segue vendido em 120.231 contratos de índice, uma ampliação de 638 contratos em comparação com os 119.593 contratos do dia 7 de novembro.

Os dois principais agentes venderam contratos futuros, mas o volume não seria suficiente para promover tamanho reflexo no mercado à vista.

Uma forma de ler as posições no Ibovespa futuro é como uma proteção (hedge) às oscilações no mercado à vista. O investidor está comprado em bolsa no mercado à vista e vai proteger essa exposição no mercado futuro vendendo contratos de Ibovespa.

No entanto, o mercado também opera o Ibovespa futuro com um ativo em si. Podendo montar apostas de alta (comprado) ou de queda (vendido) no Ibovespa.

Os dados sobre o mercado à vista só estarão disponíveis amanhã, pois têm defasagem de dois dias úteis. No mês de setembro até o dia 6, no entanto, o estrangeiro já tinha retirado R$ 1,2 bilhão liquidamente. Na ponta de compra à vista, os fundos, com R$ 607 milhões, e as pessoas físicas, com outros R$ 555 milhões.

Mercado futuro de dólar

No mercado de dólar futuro e cupom cambial (DDI, juro em dólar) a movimentação no pregão também não foi das maiores. Olhando o estoque das posições, temos os estrangeiros comprados em US$ 37,5 bilhões. Na ponta de venda estão os bancos, com US$ 18,8 bilhões e os fundos de investimento, com outros US$ 20,5 bilhões.

Abrindo as posições, a mudança que chama atenção neste começo de mês é a dos bancos, que passaram a carregar posição comprada em dólar futuro. O volume é pouco relevante, na casa dos US$ 206 milhões, mas isso não era registrado desde o fim de setembro. Assim, toda a posição vendida dos bancos está em DDI, somando US$ 19 bilhões.

Olhando a variação do estoque de posições no mês, temos que o estrangeiro reduziu a comprada do recorde de US$ 40,5 bilhões no encerramento de outubro, para os atuais US$ 37,5 bilhões. Os bancos ampliaram a posição vendida de US$ 17,5 bilhões para US$ 18,8 bilhões. E os fundos reduziram a posição vendida de US$ 25,140 bilhões para US$ 20,5 bilhões.

O comprado ganha com a alta do dólar e o vendido com a desvalorização da moeda americana. Sempre vale a ressalva de que a avaliação sobre possíveis perdas e ganhos com as posições é feita em tese, pois não sabemos a que preço a compra ou venda foi feita. Além disso, esses agentes podem ter posições em moeda estrangeira no mercado à vista e em derivativos de balcão. Bancos, por regra, não podem ter exposição cambial direcional.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras à beira da privatização

Caro leitor, São grandes as expectativas do mercado em torno das vendas de ativos estatais para o setor privado durante o governo Jair Bolsonaro. Recentemente, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, disse que a meta do governo federal é levantar R$ 150 bilhões em privatizações apenas em 2020. Mas Bolsonaro já […]

De volta aos 118 mil pontos

Noticiário corporativo dá as cartas e Ibovespa sobe mais de 1%; dólar cai a R$ 4,17

Num dia de calmaria no exterior, o Ibovespa fechou em alta firme, impulsionado pelo bom desempenho das ações das siderúrgicas, da Eletrobras e do setor de papel e celulose.

PETRÓLEO

Campo de Lula permanece em 2019 como o maior produtor de petróleo do Brasil

Primeiro campo supergigante brasileiro, Lula foi descoberto em 2006, representando hoje 34,2% da produção do País

PETRÓLEO

Produção de petróleo no Brasil cresce 7,78% em 2019, diz ANP

A maior alta foi registrada pela produção de petróleo na região do pré-sal, de 21,56%, para 633,9 milhões de barris, segundo agência

MAIS ESCLARECIMENTOS

Contrato para abrir ‘caixa-preta’ é da gestão Temer, diz presidente do BNDES

“Não foi esta diretoria que contratou a auditoria. Chegamos em julho no banco e 90% do relatório estava pronto”, afirmou Montezano

OLHO NO VAREJO

XP diz que ações de varejistas não estão caras e coloca Lojas Renner, Via Varejo e Vivara entre as apostas para setor

Para o analista, a alta nos múltiplos é reflexo do aumento das expectativas dos investidores com a melhora do consumo e expansão das varejistas. Mas ponderou que, ao mesmo tempo, tal fato diminui a margem de erro por parte das empresas

Altas e baixas

Eletrobras, siderúrgicas, Marfrig, JBS e Klabin: os destaques do Ibovespa nesta quarta-feira

As ações da Eletrobras reagiram positivamente à recomendação de compra pelo Itaú BBA. Siderúrgicas e Klabin também subiram, enquanto Marfrig e JBS caíram

em compasso de espera

Gol nega revés após Boeing adiar novamente retorno do 737 MAX

Modelo foi suspenso por autoridades em todo o mundo após dois acidentes deixarem centenas de mortos no fim de 2018 e início de 2019

de olho na avaliação

Aprovação de Bolsonaro cai para 47,8% em um ano, diz CNT/MDA

O chefe do Planalto, no entanto, se recuperou quando a comparação ocorre entre a última pesquisa, em agosto, e agora

Bolada no Caixa

BNDES vai repassar R$ 15 bilhões em dividendos para a União

Receita de dividendos do BNDES em 2019 “salvou” o governo num momento em que o Orçamento estava bloqueado e alguns órgãos da Esplanada dos Ministérios operando numa situação de quase paralisação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements