Menu
2018-11-09T15:57:18-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Operações no mercado à vista puxaram queda de ontem do Ibovespa

Movimentação com índice futuro foi pouco expressiva. No câmbio, estrangeiro segue comprado em US$ 37,5 bilhões

9 de novembro de 2018
9:33 - atualizado às 15:57
cotações tela mercado financeiro
Imagem: Creative Commons/Pixabay

A queda de ontem do Ibovespa, de expressivos 2,39%, foi quase que exclusivamente concentrada nas operações do mercado à vista, já que as movimentações no mercado futuro de índice foi pouca expressiva.

Os dados da B3 mostram os fundos de investimento com posição comprada de 112.216 contratos, uma queda de 455 contratos em comparação com o pregão de quarta-feira.

Na ponta oposta, o estrangeiro segue vendido em 120.231 contratos de índice, uma ampliação de 638 contratos em comparação com os 119.593 contratos do dia 7 de novembro.

Os dois principais agentes venderam contratos futuros, mas o volume não seria suficiente para promover tamanho reflexo no mercado à vista.

Uma forma de ler as posições no Ibovespa futuro é como uma proteção (hedge) às oscilações no mercado à vista. O investidor está comprado em bolsa no mercado à vista e vai proteger essa exposição no mercado futuro vendendo contratos de Ibovespa.

No entanto, o mercado também opera o Ibovespa futuro com um ativo em si. Podendo montar apostas de alta (comprado) ou de queda (vendido) no Ibovespa.

Os dados sobre o mercado à vista só estarão disponíveis amanhã, pois têm defasagem de dois dias úteis. No mês de setembro até o dia 6, no entanto, o estrangeiro já tinha retirado R$ 1,2 bilhão liquidamente. Na ponta de compra à vista, os fundos, com R$ 607 milhões, e as pessoas físicas, com outros R$ 555 milhões.

Mercado futuro de dólar

No mercado de dólar futuro e cupom cambial (DDI, juro em dólar) a movimentação no pregão também não foi das maiores. Olhando o estoque das posições, temos os estrangeiros comprados em US$ 37,5 bilhões. Na ponta de venda estão os bancos, com US$ 18,8 bilhões e os fundos de investimento, com outros US$ 20,5 bilhões.

Abrindo as posições, a mudança que chama atenção neste começo de mês é a dos bancos, que passaram a carregar posição comprada em dólar futuro. O volume é pouco relevante, na casa dos US$ 206 milhões, mas isso não era registrado desde o fim de setembro. Assim, toda a posição vendida dos bancos está em DDI, somando US$ 19 bilhões.

Olhando a variação do estoque de posições no mês, temos que o estrangeiro reduziu a comprada do recorde de US$ 40,5 bilhões no encerramento de outubro, para os atuais US$ 37,5 bilhões. Os bancos ampliaram a posição vendida de US$ 17,5 bilhões para US$ 18,8 bilhões. E os fundos reduziram a posição vendida de US$ 25,140 bilhões para US$ 20,5 bilhões.

O comprado ganha com a alta do dólar e o vendido com a desvalorização da moeda americana. Sempre vale a ressalva de que a avaliação sobre possíveis perdas e ganhos com as posições é feita em tese, pois não sabemos a que preço a compra ou venda foi feita. Além disso, esses agentes podem ter posições em moeda estrangeira no mercado à vista e em derivativos de balcão. Bancos, por regra, não podem ter exposição cambial direcional.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Otimismo

Mercado reage bem a prévias da Cyrela, consideradas ‘impressionantes’ e ‘excepcionais’ por analistas

Ontem, após o fechamento, a incorporadora informou alta de 46% no número de lançamentos e de 58% nas vendas do terceiro trimestre, em comparação ao mesmo período do ano passado

Ações em queda

O alçapão no fundo do poço: Cielo tem preço-alvo reduzido pelo Goldman Sachs

Analistas do banco norte-americano mantiveram a recomendação de venda e reduziram o preço-alvo das ações da Cielo (CIEL3) de R$ 3,70 para R$ 3,30

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Saúde

Ações da Qualicorp disparam com interesse da Rede D’Or em elevar participação

Maior acionista da Qualicorp, com participação de 12,95%, Rede D’Or entrou com pedido de autorização no Cade para adquirir mais ações da companhia na bolsa

Exile on Wall Street

IPOs: O princípio da contraindução — voltamos a comprar powerpoints?

Podemos nos atrair por casos de crescimento. Não há o menor problema nisso. Mas que haja alguma substância. E, acima de tudo, que cometamos erros novos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies