Menu
Luciana Seabra
Advogada do Investidor
Luciana Seabra
É CFP®, especialista em fundos de investimento e sócia da Empiricus
2019-04-20T16:08:22-03:00
MARÉ ALTA AQUI E BAIXA LÁ

Os Estados Unidos podem atrapalhar a festa do investidor brasileiro? Só depois do parabéns!

No curto prazo, mercado vai dançar a música da vitória de Bolsonaro, mas ventos negativos que prejudicaram ativos nos últimos dias ainda existem

29 de outubro de 2018
6:00 - atualizado às 16:08
shutterstock_1124164961
Quem curte a festa deve ficar atento ao dia 6 de novembro, data da eleição para o congresso americano - Imagem: Shutterstock

Um olho na política local e o outro na economia americana – este é o lema desde ontem dos investidores mais calejados (e também dos sempre presentes pessimistas de plantão). No curto prazo, dá para festejar sem medo: o consenso é que a eleição de Jair Bolsonaro vai pesar positivamente sobre os preços. Em algum momento, entretanto, será preciso olhar para fora.

Há duas pernadas para a bolsa local antes disso, na opinião de Sara Delfim, gestora do fundo de ações da Dahlia Capital, analista de transportes e infraestrutura do Merrill Lynch por dez anos.

O primeiro movimento de alta, diz Sara, é imediato: reflexo da confirmação de Jair Bolsonaro e de Paulo Guedes, com sua agenda liberal, para a presidência. O segundo ainda depende da definição do restante da equipe e do tom do discurso dos próximos dias. A terceira pernada da bolsa local entretanto, estima a sócia da Dahlia, depende do cenário externo.

Apesar de reconhecer o risco vindo de fora, Pedro Jobim, economista-chefe da Legacy, está construtivo. "Achamos que a recessão nos EUA não é para agora. E que a correção no S&P está acabando", diz o egresso da tesouraria do Santander.

Somente em outubro, o S&P 500, principal índice da bolsa americana, já caiu 14%. A curva de juros, que reflete a expectativa do mercado para a taxa, também vem se ajustando para cima, desvalorizando os títulos públicos prefixados. Os movimentos refletem o temor do mercado de que o banco central americano precise acelerar a alta dos juros para conter a inflação. "Isso poderia antecipar a recessão, que nós achamos que é só para 2020/2021", diz Jobim.

O grande dia

Há uma data para observar: 6 de novembro. É o dia da eleição para o congresso americano. Se os democratas conseguirem a maioria, como tem sido sinalizado, os mercados emergentes terão motivos para esticar a festa.

Sara explica: um congresso democrata deve tornar mais difícil a aprovação de medidas para estimular a economia empurradas por Donald Trump. Contida a aceleração fiscal, a inflação também fica sob controle e, assim, o Fed tende a demorar mais para elevar os juros.

Juros sob controle lá fora tendem a significar juros contidos aqui, fluxo para bolsas emergentes mantido e é até mesmo boa notícia para commodities, com o dólar mais barato.

Ou seja, parece que dá para dançar tranquilamente por enquanto, mas bom não descuidar da porta na hora do parabéns. Ou, para falar a língua do investidor, que tal curtir a bolsa com um pezinho em um fundo cambial? Se der tudo errado, o dólar tende a subir.

Está gostando do Seu Dinheiro? Clique aqui para receber notícias por e-mail.

Leia também:

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Medidas anticrise

Bolsonaro sanciona MP da renda básica emergencial

Nova lei prevê pagamento de R$ 600 a trabalhadores informais

Sem JCP

Localiza adia pagamento de R$ 67 milhões em juros sobre capital próprio para 2021

Adiamento é uma resposta aos impactos do coronavírus nos negócios da companhia

Previsões impactadas

Ultrapar cancela projeções para 2020 em razão do coronavírus

Volatilidade e velocidade de mudança de cenários não permitem, neste momento, que seja estabelecida nova projeção, diz empresa

Seu Dinheiro na sua noite

De volta à bolsa aos 80 anos

Caro leitor, Muitas vezes você já deve ter ouvido que bolsa é investimento de longo prazo. Por esta razão, o investimento em ações tende a ser muito associado com o objetivo de construção de patrimônio, para quem ainda está formando as reservas para a aposentadoria e tem um horizonte de acumulação de uns 20 ou […]

Ministério atualiza dados

Número de casos de coronavírus no Brasil chega a 6.836 e mortes somam 241

Governo atualizou dados sobre avanço da pandemia no país

Efeito coronavírus

Governo adia prazo de entrega da declaração do IR 2020 para 30 de junho

Cerca de 32 milhões de pessoas físicas ganharam mais dois meses para entregarem a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física. O prazo, que acabaria em 30 de abril, foi estendido para 30 de junho, anunciou há pouco o secretário da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. Segundo o secretário, apesar de a entrega das […]

Crypto News

O dólar pode ser destronado como reserva de valor pelo bitcoin?

O dólar é a pior moeda para reserva mundial, exceto por todas as outras. Nem o bitcoin nem nenhuma cripto está preparada para servir como reserva internacional. E nem precisa

Mau começo

Ibovespa abre o mês com o pé esquerdo e cai 2,81%, acompanhando o pessimismo externo

O Ibovespa passou a sessão desta quarta-feira no campo negativo, mas ao menos conseguiu sustentar o nível dos 70 mil pontos. Ações de empresas ligadas ao setor de viagens — como companhias aéreas e de turismo — voltaram a reportar perdas expressivas hoje

Menos exportações e importações

Balança comercial tem superávit de US$ 4,713 bilhões em março

Com queda nas exportações e nas importações, a balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 4,713 bilhões em março. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 1º, pela Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia

Sobe sem parar

Quebrando recordes: dólar fecha em alta e chega a R$ 5,26, nova máxima nominal de encerramento

O dólar à vista renovou mais uma vez os recordes de fechamento, pressionado pela cautela vista no exterior em relação aos impactos do coronavírus nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu