Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Senado fica mais pulverizado e ganha 4 novos partidos; Centrão e nanicos ganham força

Siglas tradicionais, como MDB, PSDB e PT, perderam força na Casa. Pulverização pode dificultar negociações do governo com o Congresso

7 de outubro de 2018
22:28
Senado - Imagem: Shutterstock

O Senado Federal deve ficar ainda mais pulverizado a partir de 2019. Com os resultados das eleições deste domingo, 7, quatro partidos que atualmente não têm representação na Casa conseguiram ao menos uma vaga, elevando para 21 o número de siglas. São eles: PRP, PSL, Solidariedade, PHS e PSC.

Partidos tradicionalmente grandes e dominantes, como MDB, PSDB e PT, perderam espaço no Senado. Na outra ponta, partidos do Centrão, como PP e DEM, conseguiram ampliar sua influência.

Ainda que tenha perdido cadeiras, o MDB conseguiu eleger o maior número de senadores: 8. Outros destaques foram a Rede Sustentabilidade e o PP, com 5 senadores cada. PT, PSDB, PSD, PSL e DEM elegeram cada um 4 senadores.

Quantidade de senadores eleitos em 2018 por partido:

MDB: 7
Rede: 5
PP: 5
PT: 4
PSDB: 4
PSD: 4
PSL: 4
DEM: 4
PTB: 2
PDT: 2
PSB: 2
PPS: 2
PHS: 2
PRB: 1
Podemos: 1
Pros: 1
PRP: 1
PR: 1
Solidariedade: 1
PSC: 1

Se somarmos os eleitos com os senadores com mandato até 2022, temos a seguinte configuração:

Vida difícil para o governo?

Em teoria, a pulverização torna a vida do próximo governo mais difícil já que teria que fazer um esforço extra para negociar a aprovação de suas pautas no Senado.

Mas, na prática, tomando como base o perfil mais conservador que os novos senadores eleitos, um eventual governo Jair Bolsonaro (PSL), se eleito, conseguirá ter mais margem para negociação do que um governo Fernando Haddad (PT). Os dois disputam o segundo turno na corrida ao Palácio do Planalto no próximo dia 28.

Confira quais os senadores eleitos por cada estado neste domingo:

Acre
Petecão (PSD)
Márcio Bittar (MDB)

Alagoas
Rodrigo Cunha (PSDB)
Renan Calheiros (MDB)

Amapá
Randolfe (Rede)
Lucas Barreto (PTB)

Amazonas
Plinio Valério (PSDB)
Eduardo Braga (MDB)

Bahia
Jacques Wagner (PT)
Angelo Coronel (PSD)

Ceará
Cid Gomes (PDT)
Eduardo Girão (PROS)

Distrito Federal
Leila do Vôlei (PSB)
Izalci (PSDB)

Espírito Santo
Fabiano Contarato (Rede)
Marcos do Val (PPS)

Goiás
Vanderlan (PP)
Jorge Kajuru (PRP)

Maranhão
Weverton (PDT)
Eliziane Gama (PPS)

Mato Grosso
Juíza Selma Arruda (PSL)
Jayme Campos (DEM)

Mato Grosso do Sul
Nelsinho Trade (PTB)
Soraya Thronicke (PSL)

Minas Gerais
Rodrigo Pacheco (DEM)
Jornalista Carlos Viana (PHS)

Pará
Jader Barbalho (MDB)
Zequinha Marinho (PSC)

Paraíba
Veneziano (PSB)
Daniella Ribeiro (PP)

Paraná
Professor Oriovisto (Podemos)
Flavio Arns (Rede)

Pernambuco
Humberto Costa (PT)
Jarbas (MDB)

Piauí
Ciro Nogueira (PP)
Marcelo Castro (MDB)

Rio de Janeiro
Flávio Bolsonaro (PSL)
Arolde de Oliveira (PSD)

Rio Grande do Norte
Capitão Styvenson (Rede)
Dra. Zenaide Maia (PHS)

Rio Grande do Sul
Luis Carlos Heinze (PP)
Paulo Paim (PT)

Rondônia
Marcos Rogério (DEM)
Confuncio Moura (MDB)

Roraima
Chico Rodrigues (DEM)
Mecias de Jesus (PRB)

Santa Catarina
Esperidião Amin (PP)
Jorginho Mello (PR)

São Paulo
Major Olimpio (PSL)
Mara Gabrilli (PSDB)

Sergipe
Delegado Alessandro Vieira (Rede)
Rogério Carvalho Santos (PT)

Tocantins
Eduardo Gomes (SD)
Irajá (PSD)

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Bitcoin é furada? O que “eles” viram que você ainda não viu?

Enquanto cresce o número de pessoas com medo das criptomoedas, cresce também o número de pessoas e empresas que aprenderam “um novo jeito” de ficar rico com elas.

Um toma lá da cá

Em discurso, Bolsonaro diz que responsabilidade sobre a previdência está com o Parlamento

“Não é uma questão de governo, e sim de estado, para que nós do Brasil não experimentemos situações que outros países enfrentaram, como na Europa”, disse o presidente

Aliados

Partidos saem em defesa de Maia após crise com governo

Em um gesto de apoio a Maia, o PPS recebeu o presidente da Câmara em sua convenção nacional realizada hoje em Brasília

Águas passadas?

Maia diz que atrito com governo em relação à Previdência é “página virada”

Ele falou com jornalistas antes de uma breve participação em congresso do PPS, em Brasília

Bon Vivant

Saiba quais são as maratonas preferidas de quem trabalha no mercado financeiro

Boston, Chicago, Nova York e Berlim estão entre as competições preferidas, mas a lista inclui também provas exóticas

Tempos ruins para a empresa

Dívida da Avianca dá “salto” e agora é de R$ 2,7 bilhões

A alteração no valor da dívida ocorreu em dois momentos. Em janeiro, a companhia atualizou a primeira lista para R$ 1,3 bilhão por conta própria. Protocolada ontem na Justiça, a segunda modificação, para R$ 2,7 bilhões, veio depois de pedido dos credores

Será que vem chumbo quente por aí?

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação

Os monitoramentos são feitos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem por missão se antecipar aos fatos para evitar problemas para o governo

Clima pesado no governo

“Não dei motivo”, diz Bolsonaro sobre a saída de Maia da articulação

O presidente disse que a declaração de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), com críticas a Maia por adiar a tramitação do projeto anticrime, não é motivo para ele ameaçar sair da articulação política

Polêmica

Bretas usou proposta rejeitada no Congresso para prender Temer, diz jurista

Thiago Bottino afirmou que tanto os procuradores do Ministério Público Federal quanto Bretas se fundamentaram no item número 9 do pacote das “Dez medidas contra a corrupção”, apresentado em 2016 por integrantes da Lava Jato, para prender Temer

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: do país das maravilhas à dura realidade

 A segunda-feira começou com o Ibovespa aos 100 mil pontos, um marco histórico na bolsa de valores brasileira. O clima azedou e o índice fechou na sexta abaixo de 94 mil

Cripto

Como declarar bitcoin e outras criptomoedas no imposto de renda

Criptoativos podem até não ser regulados, mas isso não quer dizer que seus entusiastas não precisam prestar contas ao Leão. A Receita, como era de se esperar, está de olho…

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu