Menu
2019-10-29T20:26:36+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Juros

Papel do BC é assegurar inflação baixa e estável, diz indicado para diretoria

Fábio Kanczuk participou de sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado para ocupar diretoria de Política Econômica do Banco Central. Senadores batem no BC por juro alto ao consumidor final

29 de outubro de 2019
11:28 - atualizado às 20:26
Fábio Kanczuk
Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) sabatina Fábio Kanczuk indicado para diretoria de Política Econômica do BC - Imagem: Geraldo Magela/Agência Senado

Indicado para ocupar a diretoria de Política Econômica do Banco Central (BC) Fábio Kanczuk defendeu que o principal papel da política monetária é assegurar inflação baixa e estável em sua sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

“É com estabilidade monetária que convergiremos para taxas de juros a níveis mais adequados, seguindo sempre firmes no objetivo de contribuir para um ambiente de crescimento econômico sustentável”, afirmou.

Engenheiro eletrônico formado pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e mestre e doutor em economia pela Universidade da Califórnia, Kanczuk era diretor-executivo para o Brasil e outros oito países junto ao Banco Mundial desde novembro de 2018. Entre outubro de 2016 e setembro de 2018, ele foi secretário de Política Econômica do então Ministério da Fazenda (governo Michel Temer).

Kanczuk vai substituir Carlos Viana na diretoria que é responsável por uma das áreas mais sensíveis dentro do BC, a construção e calibragem dos modelos econômicos que geram as projeções de inflação, ponto central dentro do regime de metas. O diretor de Política Econômica também é um dos principais responsáveis pela formulação dos comunicados, atas e Relatórios de Inflação do BC.

A indicação foi aprovada por 16 votos a 4, após duras críticas dos senadores ao Banco Central (veja abaixo). No plenário, no início da noite, a indicação teve 51 votos favoráveis, 7 contrários e uma abstenção.

O presidente Roberto Campos Neto vem gradualmente trocando a equipe deixada por Ilan Goldfajn. Entre os “novos diretores” temos João Manoel Pinho de Mello (Organização do Sistema Financeiro), Bruno Serra Fernandes (Política Monetária) e Fernanda Nechio (Assuntos Internacionais).

Perguntas dos Senadores

A primeira rodada de perguntas dos senadores foi sobre a diferença da Selic e das taxas cobradas dos tomadores finais.

Kanczuk começou dizendo que durante seus muitos anos na academia e no governo o desafio era entender o motivo do juro básico alto no Brasil. Agora, parece que a coisa finalmente funcionou e o problema se tornou outro.

“A preocupação número um é essa, reduzir o juro na ponta”, disse.

Entre as razões do spread elevado no país, Kanczuk listou aos senadores a inadimplência, custo administrativo, compulsório, tributos e margem de lucro.

BC apanha pelo juro alto

No segundo bloco, o tom das críticas ao juro alto, aos bancos e ao BC subiu muito. A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) perguntou sobre compulsórios e disse que iria ensinar ao BC como montar uma central de recebíveis de cartão de crédito. Medida que está em andamento, mas que teve alguns adiamentos.

Já Espiridião Amin (PP-SC) disse que se a situação com relação aos juros para o tomador final não mudar, ele não vota mais favoravelmente a indicações para o BC.

Como não tem como punir ninguém, o senador disse que vai punir a instituição Banco Central. Sua rebeldia recebeu apoio de outros senadores. “Não é possível o país seguir prisioneiro do juro”, disse.

Rose de Freitas (Podemos-ES) ressaltou que as críticas não são pessoais ao indicado, mas reforçou a posição já dada por Amin, de que não passam mais diretores do BC enquanto promessas não forem cumpridas.

Esse tom mais crítico ao BC é um sinal ruim tendo em vista os projetos que o BC quer fazer andar no Congresso, como sua autonomia formal e uma reforma do sistema cambial.

Kanczuk disse que a mensagem foi captada e que é nisso que “vai centrar seus esforços”.

Para o indicado, com open banking e fintech "é que vamos ganhar a batalha" do spread bancário e o BC está provendo o incentivo para essas novas tecnologias. Ele também mencionou o sistema de pagamentos instantâneos.

Sobre a autonomia do BC, Kanczuk disse que esse é um ganho importante, pois tem evidência sólida de que BCs autônomos conseguem praticar juros menores. “O Congresso também sai favorecido, única esfera que pode retirar diretores. Acho um ganho imenso. Sou muito a favor”, disse.

Para o indicado, a economia parece estar se recuperando. "Acredito que vamos vencer a batalhar do spread, tanto citada hoje, e o crescimento vem e com as preocupações sociais legítimas."

Ao fim da audiência, Rose e Amin pediram para que Kanczuk levasse "essa mensagem incisiva" de insatisfação dos senadores para o Banco Central.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

no boletim focus

Mercado financeiro eleva estimativa de inflação de 3,21% para 3,33%

Expectativa registrada no Boletim Focus, do BC, continua sendo que a Selic encerre 2019 em 4,50% ao ano e que o PIB cresça 0,92%

novidade nos ares

Embraer anuncia acordo com Boeing para promover C-390 Millennium

Em 2009, a FAB contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130

olho nas taxas

Apesar de corte no juro, cheque especial ainda é opção mais cara

Taxa do produto na Caixa está em cerca de 79,3% ao ano; juros médios do crédito não consignado da instituição eram de 45,3% ao ano na última semana de outubro

Come to Brazil

Reformas empolgam investidor local, mas estrangeiro resiste a voltar à B3

Em meados de agosto, o acumulado superou as perdas no mesmo período de 2008, ano da crise econômica global. Em outubro, o saldo foi pior do que no mesmo mês de 2018, período eleitoral: R$ 8,4 milhões no vermelho ante R$ 6,2 milhões de um ano atrás.

a dona do pedaço

Marfrig compra 31% da National Beef por US$ 860 milhões

A companhia já detinha 51% da americana e passa agora a ter 81,73%; não haverá alteração na atual administração da National Beef

dinheiro na mão

Receita paga nesta segunda-feira as restituições do 6º lote do Imposto de Renda 2019

Lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018; crédito bancário atende a 1,3 milhão de contribuintes

Prós e contras

Vale a pena optar pelo saque aniversário do FGTS?

Nova modalidade permite ao trabalhador ter acesso a uma parte dos recursos do fundo de garantia ainda que não se enquadre em outros pré-requisitos, mas é preciso abrir mão de sacar o fundo em caso de demissão sem justa causa

Nova modalidade

Você já pode optar pelo saque aniversário do FGTS; confira as regras atualizadas

Opção de saque de parte do FGTS anualmente já pode ser feita desde outubro e não é obrigatória; também não há prazo

A Bula do Mercado

Mercado tem ajuste positivo na volta do feriado

Recorde triplo em Nova York, em meio à otimismo com negociações comerciais entre EUA e China, contrata ajuste positivo no mercado doméstico

A Bula do Mercado

A Bula da Semana: Os sinais da economia

Varejo e serviços no Brasil crescem acima do esperado em setembro, sinalizando expansão mais forte do PIB no 3T19

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements