Menu
2019-05-09T15:14:58+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco) e “Abandonado” (Geração).
Balanço

Lucro do Banco do Brasil em 2019 deve ficar perto do teto das projeções, dizem analistas

Após o resultado acima do esperado no primeiro trimestre, analistas começam a trabalhar com lucro próximo a R$ 17,5 bilhões para o Banco do Brasil neste ano

9 de maio de 2019
14:50 - atualizado às 15:14
Fachada do edifício sede do Banco do Brasil em Brasília.
Fachada do edifício sede do Banco do Brasil em Brasília - Imagem: Fernando Bizerra/Agência Senado

Após o resultado acima do esperado no primeiro trimestre, o Banco do Brasil deve atingir um lucro próximo ao teto das projeções feitas pela instituição em 2019, que variam entre R$ 14,5 bilhões e R$ 17,5 bilhões, de acordo com analistas que acompanham o banco.

Nos três primeiros meses do ano, o resultado do Banco do Brasil foi de R$ 4,247 bilhões, um avanço de 40% em relação ao mesmo período do ano passado.

As projeções do mercado apontam para um lucro de R$ 16,6 bilhões do BB neste ano. Mas os analistas esperam uma revisão para cima desse número depois do lucro do primeiro trimestre.

As ações do BB (BBAS3) reagem bem ao balanço, principalmente se levarmos em conta o desempenho ruim da bolsa como um todo hoje. Por volta das 14h28, os papéis eram negociados em alta de 0,47%, cotados a R$ 50,83. Confira também a nossa cobertura completa de mercados.

Embora o lucro tenha ficado acima das estimativas, os analistas chamam a atenção para o fato de o resultado ter sido beneficiado por uma alíquota menor de imposto no período. "A taxa efetiva foi excepcionalmente baixa (17%) e não acreditamos que ela continuará nesse nível", escreveram os analistas do Itaú BBA.

Veja a seguir qual foi a leitura dos analistas sobre os resultados do Banco do Brasil e a recomendação para as ações:

UBS - Acima do esperado em margens, provisões e impostos

Recomendação: compra

Preço-alvo: R$ 68,00

"O Banco do Brasil se beneficiou de menores impostos no trimestre, mas os fundamentos melhoraram mais do que o esperado em várias frentes: margem financeira, custos, provisões e capital - com as tarifas sendo o principal ponto fraco -, o que sustenta nossa visão de que o BB é a melhor opção para a recuperação cíclica da economia."

Itaú BBA - Mirando o topo da projeção de lucro por ação

Recomendação: outperform (compra)

Preço-alvo: R$ 63,00

"Os resultados consolidam nossa visão de que o ponto médio do guidance [projeção] de resultados do Banco do Brasil (R$ 16 bilhões) é conservador, e não excluímos uma revisão para cima do consenso para o lucro (...) O banco continua a reduzir suas principais diferenças (qualidade dos ativos, capital e rentabilidade), o que dará sustento ao momento positivo de resultados."

BTG Pactual - Última linha foi inegavelmente forte

Recomendação: neutra

Preço-alvo: R$ 52,00

"O Banco do Brasil apresentou um forte lucro recorrente. Quando olhamos para o núcleo do resultado, contudo, os números não nos inspiraram, pelo menos quando comparados com as nossas próprias estimativas (...) Nós estamos otimistas com os bancos brasileiros em 2019, e apesar da recomendação neutra, nossa visão para as ações do BB é definitivamente positiva."

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Disputa com Centauro

Magazine Luiza contra-ataca e eleva oferta pela Netshoes para US$ 93 milhões

A varejista decidiu elevar a oferta pelo site de produtos esportivos para US$ 3,00 por ação depois que a Centauro entrou na disputa com uma oferta hostil lançada na quinta-feira

Nas ruas do país

“Pergunta para o povo”, diz Bolsonaro, sobre manifestações

Perguntado sobre a quantidade de pessoas nas ruas, Bolsonaro declarou que as “imagens valem mais do que mil palavras”

Nas ruas do país

Atos pró-Bolsonaro chegam a 93 municípios de 25 Estados e DF

Em São Paulo, a manifestação a favor do governo ocorre na Avenida Paulista e os participantes estão distribuídos por sete quarteirões

Entrevista

“Reforma tem boa chance de passar. Talvez não no prazo ideal”, diz Pedro Parente

Ex-ministro e atual presidente da BRF, Parente vê com naturalidade a atual desarticulação entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso

Dia de manifestações

Bolsonaro posta no Twitter vídeos de atos pró-governo

A conta do presidente na rede social trouxe três vídeos de manifestantes nas cidades do Rio de Janeiro, em São Luís, no Maranhão, e em Juiz de Fora, no interior de Minas

Trabalho para os liberais

Kleber Bambam e o twitter de Bolsonaro: por que a economia não sai do paredão?

Para Adolfo Sachsida, secretário de política econômica do Ministério da Economia e fã do Big Brother Brasil, problema está no desajuste fiscal herdado das gestões petistas, e não nas polêmicas do Twitter

Das redes ao asfalto

Manifestações nas ruas testam apoio a Bolsonaro

Receio da equipe de Bolsonaro é de que, se não houver uma adesão de peso às manifestações, isso seja interpretado como um sinal de perda de popularidade

Armas

Novo decreto de Bolsonaro mantém brecha para compra de fuzis

Governo mudou texto para evitar venda de fuzis a civis, que fez as ações da Taurus dispararem na semana passada. Mas Procuradoria diz que novo decreto mantém essa possibilidade

Cannabusiness

O dia não tão distante em que os supermercados americanos venderão produtos feitos com planta de maconha

Todos querem sua fatia de uma indústria que deve ultrapassar os US$ 2 bilhões nos EUA até o próximo ano, uma vez que pesquisas vêm mostrando que os consumidores estão dispostos a pagar preços mais altos pelos produtos

Reduzindo os gargalos

Judiciário prepara pacote de medidas para acelerar recuperações judiciais

Em média, em São Paulo, são 567 dias (cerca de um ano e meio) entre a Justiça aceitar o pedido de recuperação de uma empresa e apreciar o plano de reestruturação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements