Menu
2019-08-08T18:07:41+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
De olho na economia

“Cessão onerosa é o nosso maior evento energético e fiscal”, diz secretário-especial da Economia

Segundo Waldery Júnior, o leilão está marcado para ocorrer no dia 6 de novembro e a expectativa é que os R$ 52 bilhões arrecadados fiquem para a União. Só que há um detalhe…

8 de agosto de 2019
15:37 - atualizado às 18:07
fcpzzb_abr_100920193781
O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em evento fechado para investidores do BTG Pactual, o secretário-especial do ministério da Economia, Waldery Júnior, destacou hoje (8) que o leilão de excedente da cessão onerosa (pré-sal) "será o maior evento das políticas energética e fiscal". Na avaliação do secretário, isso permitirá ter um alívio fiscal importante e uma redução da incerteza jurídica.

O leilão está marcado para ocorrer no dia 6 de novembro, e a expectativa é que os R$ 52 bilhões arrecadados fiquem para a União. Só que há um detalhe. A grande vantagem é que, como o montante deve ingressar apenas no dia 23 de dezembro, a União deve ter ganho de primário. O motivo é que o valor entrará nos últimos dias do ano e não será permitido gastar.

Segundo ele, a cessão onerosa é o primeiro evento que vem com grande magnitude, e o governo tem uma boa perspectiva de receber grande quantidade de receitas associadas ao petróleo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Firmado pela Petrobras e a União em 2010, o contrato de cessão onerosa garantia à estatal o direito de explorar 5 bilhões de barris de petróleo em áreas do pré-sal pelo prazo de 40 anos. Em troca, a empresa antecipou o pagamento de R$ 74,8 bilhões ao governo. Os excedentes são os volumes descobertos de petróleo, que ultrapassaram os 5 bilhões de barris.

Desde 2013, o governo vem negociando um aditivo do contrato, depois que a Petrobras pediu ajustes por conta da desvalorização do preço do barril de petróleo no mercado internacional.

Reforma tributária

Ao tocar no tema da reforma tributária, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, destacou que "não há como abrir mão de eventual queda de arrecadação. É importante ter o debate, mas o importante será simplificar e reduzir impostos sem perder receita".

Para ele, o grande desafio será a simplificação e a colocação de regras mais harmônicas. Outro ponto importante é que a batalha da reforma tributária "não envolverá a população". Conforme destacou o secretário, "a reforma será entre políticos e o governo espera lutar por uma reforma tributária única. A população não será afetada diretamente".

De olho nos investimentos

Ao ser questionado sobre a situação financeira do país, o secretário-especial voltou a dizer que o setor público perdeu a capacidade de investimento e que será necessário agora capital privado para retomar os investimentos.

Waldery Júnior ressaltou que, como o investimento público precisa estar dentro do teto dos gastos, não basta retirá-lo das despesas não financeiras para resolver a situação do país.

Ele destacou ainda que o país está no caminho certo para ter um bom rendimento e que a expectativa é que o Brasil volte a ter superávit primário lá para o ano de 2024, ao conseguir colocar a dívida pública em trajetória de queda.

Ao falar sobre o tema de juros, o secretário do Tesouro Nacional destacou que a queda da Selic para o patamar de 6% ao ano fará com que a ideia de aplicar em títulos públicos para ter um rendimento alto acabe de vez. "Em todas essas semanas, as taxas de juros vem caindo. Agora o juro real é 3,6% ao ano", finalizou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

olho nos números

Prévia da inflação de agosto tem menor taxa para o mês desde 2010

IPCA-15 variou 0,08%; no ano, o índice acumula alta de 2,51% e, em 12 meses, de 3,22%, informa o IBGE

atenção

Confiança do consumidor sobe em agosto, mas ainda há cautela, diz FGV

Índice de Confiança do Consumidor subiu 1,1 ponto no mês em comparação a julho, chegando a 89,2 pontos

segue a tensão

China promete novamente contramedidas em reação a tarifas dos EUA

Segundo o porta-voz, apesar da decisão do presidente americano, Donald Trump, de adiar algumas das cobranças, as tarifas violaram um consenso entre as potências

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Prudência

Cautela no exterior faz Ibovespa operar em queda; dólar sobe a R$ 4,05

O Ibovespa aparece no campo negativo e volta ao patamar dos 100 mil pontos, pressionado pelo tom de maior precaução que toma conta dos ativos globais

Câmbio

BC vende US$ 550 milhões em leilão à vista de dólar

Com venda integral do lote ofertado, não teremos, hoje, o leilão de swap tradicional. Mercado trocou swap por dólar de verdade

no documento

BCE discutiu pacote de estímulos monetários em reunião de julho, mostra ata

Banco Central Europeu também considerou examinar formas de fortalecer sua orientação futura (“forward guidance”) paras os juros

tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Bienvenido ao paraíso dos especuladores

Enquanto (quase todos) os bancos centrais do mundo reduzem os juros, há uma taxa em escalada aqui do lado. A Argentina subiu seu juro para 74% ao ano diante do pânico dos investidores com a vitória da esquerda nas eleições primárias no início do mês. Poxa, 74% ao ano na renda fixa é uma bolada, […]

será que vai?

Guedes não mostrou proposta de privatização da Petrobras, diz Bolsonaro

Ontem, reportagem disse que o governo quer concluir a venda da estatal até 2022; as ações da Petrobras dispararam

mais um que passou

Câmara aprova projeto que permite posse de arma em toda a propriedade rural

Projeto segue para Bolsonaro sancionar ou vetar; regra atual diz que posse só é permitida na sede da propriedade

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements