Menu
2019-11-12T08:44:54-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
olho nos números

Marfrig, Yduqs, Cosan, Eletrobras, BR Distribuidora, Rumo e Itaúsa: os balanços que movimentam os mercados nesta terça-feira

Maratona de números promete movimentar a bolsa. Para que você não perca nenhum detalhe importante dos resultados, o Seu Dinheiro separou os principais números de cada empresa

12 de novembro de 2019
7:45 - atualizado às 8:44
análise relatório balanço
Imagem: Shutterstock

A temporada de resultados empresariais do terceiro trimestre de 2019 segue nesta terça-feira (12) com grandes destaques da bolsa. Entre a noite de ontem e a manhã de hoje ao menos sete empresas divulgaram seus resultados.

A maratona de números ajuda a movimentar a bolsa brasileira. Ontem, o Ibovespa terminou o dia em alta de 0,69%, aos 108.367,44 pontos. O dólar à vista fechou em baixa de 0,57%, a R$ 4,1427 . Veja como deve ser o dia dos mercados na Bula.

Mas para que você não perca nenhum detalhe importante dos resultados trimestrais das empresas, o Seu Dinheiro separou os principais números de cada companhia. Confira como foi o trimestre de Marfrig, Yduqs, Cosan, Eletrobras, BR Distribuidora, Rumo e Itaúsa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Marfrig

As expectativas eram positivas para o balanço trimestral da Marfrig, mas o resultado entregue pela companhia pode causar um sentimento dúbio nos investidores. Com um lucro líquido atribuído ao controlador das operações continuadas de R$ 100,3 milhões, a empresa conseguiu reverter mais um prejuízo registrado no mesmo trimestre do ano anterior, mas o número tenha ficado bem abaixo das estimativas de analistas (R$ 257,8 milhões). A geração de caixa, por sua vez, ficou acima do esperado, com o Ebitda atingindo R$ 1,5 bilhão no período. No geral, bom resultado para a companhia, que nos últimos meses tem apostado em águas misteriosas como o universo dos alimentos veganos. 

  • Lucro líquido: R$ 100,3 milhões
  • Ebitda: R$ 1,5 bilhão (↑28,6%)
  • Receita: R$ 12,7 bilhões (↑3,6%)

Yduqs

Entregando resultados ligeiramente mais fracos do que o esperado, a Yduqs anunciou um lucro líquido de R$ 152,2 milhões no terceiro trimestre do ano, número que representa uma queda de 21% na comparação anual. Na geração de caixa e na receita, tudo conforme o esperado: Ebitda de R$ 343,9 milhões, praticamente em linha com as projeções de analistas e alta de 21%. Já a receita fechou o trimestre com saldo de R$ 833,1 milhões, queda de 2,31% e um pouco abaixo dos R$ 852 milhões esperados.

  • Lucro líquido: R$ 152,2 milhões (↓21%)
  • Ebitda: R$ 343,9 milhões (↑21%)
  • Receita: R$ 833,1 milhões (↓2,31%)

Cosan

Entrando com o pé direito no seleto grupo de balanços surpreendentes, a Cosan vai fazer a festa dos acionistas depois do balanço divulgado na noite da última segunda-feira. O lucro líquido da empresa somou R$ 818,9 milhões e, além de representar um aumento de 18 vezes na comparação anual, foi quase o dobro do esperado pelos analistas de mercado. No Ebitda, mais o que comemorar: alta de 134% ano a ano, alcançando invejáveis R$ 2,188 bilhões. Para você ter uma ideia, os analistas esperavam geração de caixa de R$ 1,4 bilhão. Fechando os principais dados, a receita líquida fechou o terceiro trimestre em R$ 18,861 bilhões, alta de 22,3%.

  • Lucro líquido: R$ 818,9 milhões (18x maior do que um ano antes)
  • Ebitda: R$ 2,188 bilhões (↑134%)
  • Receita: R$ 18,861 bilhões (↑22,3%)

Eletrobras

A Eletrobras superou levemente as expectativas do mercado e reverteu o prejuízo do mesmo período do ano passado, chegando a lucro líquido de R$ 716 milhões. A companhia destacou que o resultado foi influenciado pelo aumento da receita na Amazonas GT em R$ 469 milhões com o início de fornecimento do contrato de comercialização de energia da usina termoelétrica Mauá 3 e o recebimento de receita adicional por investimentos em melhorias nas hidrelétricas que operam sob o regime de cotas (GAG Melhoria), de R$ 250 milhões. O Ebitda somou R$ 2,76 bilhões, montante 303% maior que o reportado em igual etapa de 2018. A receita operacional líquida totalizou R$ 7,29 bilhões, montante 9,8% acima do verificado de julho a setembro de 2018.

  • Lucro líquido: R$ 716 milhões (ante prejuízo de R$ 2,26 bilhões)
  • Ebitda: R$ 2,76 bilhões (↑303%)
  • Receita: R$ 7,29 bilhões (↑9,8%)

BR Distribuidora

ABR Distribuidora encerrou o período com lucro líquido de R$ 1,336 bilhão, o que representou uma alta de 23,9% sobre o mesmo período do ano passado. O Ebitda recuou 60,4% no trimestre e somou R$ 602 milhões. A receita líquida da companhia chegou a R$ 24,36 bilhões, uma redução de 7,9%, e o resultado financeiro passou de R$ 353 milhões no ano passado para R$ 1,579 bilhão no terceiro trimestre deste ano.

  • Lucro líquido: R$ 1,336 bilhão (↑23,9%)
  • Ebitda: R$ 602 milhões (↓60,4%)
  • Receita: R$ 24,36 bilhões (↓7,9%)

Rumo

A Rumo teve um lucro líquido de R$ 369 milhões no terceiro trimestre, montante 61,2% maior que o reportado em igual intervalo de 2018. No mesmo período, o Ebitda da companhia subiu 18,5%, para R$ 1,206 bilhão. A empresa disse que os números do trimestre foram impactados pelo reconhecimento do contrato de subconcessão da Malha Central (Ferrovia Norte-Sul), assinado em 31 de julho. A consolidação da nova malha ferroviária no resultado da companhia afetou o Ebitda em R$ 12,2 milhões, por conta de custos e despesas gerais e administrativas. A receita operacional líquida da Rumo mostrou aumento de 9,7% frente ao anotado um ano antes, atingindo R$ 2,060 bilhões.

  • Lucro líquido: R$ 369 milhões (↑61,2% )
  • Ebitda: R$ 1,206 bilhão (↑18,5%)
  • Receita: R$ 2,060 bilhões (↑9,7%)

Itaúsa

A companhia Itaúsa reportou lucro líquido de R$ 1,958 bilhão no terceiro trimestre - uma queda de 28,04% na comparação o mesmo período do ano passado. A receita da companhia fechou o trimestre em R$ 1,308 bilhão. O resultado representa queda de 13,43% ante a cifra de R$ 1,511 bilhão na mesma base de comparação. O resultado de equivalência Patrimonial recorrente proveniente das companhias investidas foi de R$ 2,543 bilhões, 9,4% superior ao terceiro trimestre de 2018. As despesas administrativas totalizaram R$ 31 milhões entre julho e setembro, um aumento de 19,2%. O resultado financeiro ficou negativo em R$ 15 milhões ante R$ 12 milhões de igual trimestre do ano passado, devido a menor posição do caixa médio e de um patamar mais baixo de taxa de juros, informa.

  • Lucro líquido: R$ 1,958 bilhão (↓28,04% )
  • Receita: R$ 1,308 bilhão(↓13,43%)

*Mais informações em instantes 

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Sessão tranquila

Sem surpresas com o Fed, dólar cai a R$ 4,11 e Ibovespa fecha em leve alta

A primeira parte do script imaginado pelos mercados foi cumprida à risca: o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa de juros no país na faixa de 1,50% e 1,75% ao ano, conforme era esperado pelos agentes financeiros. E, sem nenhuma surpresa, o dólar à vista encontrou espaço para continuar caindo, enquanto […]

Menor juro da história

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,5% ao ano

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) efetuou, nesta quarta-feira (11), um novo corte na taxa básica de juros, a Selic. Com a redução de 0,5 ponto percentual, os juros atingem nova mínima histórica, de 4,5% ao ano, dentro da expectativa do mercado. Nesta última super quarta do ano também teve decisão de […]

Juros

Banco Central reduz juros para 4,5% ao ano, mas não garante novos cortes

Com a nova redução de 0,5 ponto percentual em decisão unânime tomada pelo Copom, a Selic renova a mínima histórica

Antes tarde do que nunca?

No dia do IPO da XP, CVM lança proposta para facilitar listagem de BDR

Se já estivesse em vigor, a regra permitiria a listagem de recibos de ações da XP na bolsa brasileira. CVM também pretende liberar investimento em BDR para o varejo

SEM BUROCRACIAS

Em evento na CNI, Bolsonaro faz acenos ao empresariado ao criticar “burocracias”

“Cada instrução normativa deve ser muito bem pensada. Deve atender ao interesse do Brasil. Não de grupos”, disse o presidente

MAIS MAGRINHA

Venda de 51% da Gaspetro com 20 distribuidoras deverá ser por IPO, diz Petrobras

“As conversas continuam com a Mitsui e a nossa expectativa é realizar a transação no mercado de capitais. Em 2015 a Petrobras vendeu 49% da empresa para a Mitsui e agora vamos vender nossa parte em bolsa”, disse Castello Branco

APROVADO

Cade aprova compra da Nextel pela Claro sem restrições

O negócio já havia sido aprovado pela Superintendência Geral do Cade em setembro, mas, após recurso apresentado pela concorrente TIM no mês seguinte, foi reavaliado pelos conselheiros do tribunal

Fim dos cortes?

Fed mantém juros dos EUA entre 1,50% e 1,75% e sinaliza estabilidade nas taxas em 2020

O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa básica de juros do país inalterada, afirmando ver condições favoráveis no mercado de trabalho e expansão econômica moderada

situação complicada

Paralisação da OMC tira do Brasil via para questionar taxas americanas sobre o aço

Tribunal da OMC é o órgão máximo de apelação para questionamentos de condutas comerciais entre países e perdeu o quórum mínimo necessário para que continue funcionando

altas do dia

Ações de Kroton e Estácio sobem forte após MEC ampliar ensino a distância no País

Medida tende a reduzir os custos de ambas as empresas; segundo um analista, entra na conta dos investidores a perspectiva de melhora da economia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements