🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
DECISÃO DO CMN

Governo volta a alterar regras para CRI e CRA; objetivo é ‘esclarecer e aperfeiçoar’ normas para os lastros dos títulos isentos de IR

Com as novas regras, o CMN espera “harmonizar o entendimento dos agentes do mercado” a respeito dos lastros permitidos para os títulos isentos de IR

Imóveis, vista aérea de prédios na cidade
Imóveis, vista aérea de prédios na cidade - Imagem: Shutterstock

Exatamente um mês após apertar as regras para a emissão de títulos isentos de Imposto de Renda, o Conselho Monetário Nacional (CMN) reuniu-se novamente nesta sexta-feira (1) e publicou uma nova norma para os lastros de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA).

De acordo com o conselho, o objetivo da nova publicação é "esclarecer e aperfeiçoar" as mudanças instituídas no mês anterior, além de "harmonizar o entendimento dos agentes do mercado" a respeito do tema.

Vale relembrar que, no início de fevereiro, o governo proibiu CRIs e CRAs com lastro em títulos emitidos por companhias abertas não relacionadas ao agronegócio e ao mercado imobiliário.

A restrição mira em impedir casos emblemáticos como o do Burger King, que utilizou um CRA para financiar a compra de carne dos hambúrgueres.

No entanto, também podia afetar empresas que fazem parte da cadeia agro ou imobiliária, mas não têm mais de dois terços de sua receita consolidada vindos do setor — patamar exigido pelas novas regras.

Uma das novidades divulgadas hoje visa justamente "reafirmar a possibilidade de empresas típicas do agronegócio ou do setor imobiliário, as quais não possuam ligação direta com instituições do sistema financeiro, realizarem operações de securitização por meio de CRA e CRI".

Para isso, o CMN restringiu a aplicação das novas vedações a instituições financeiras ou entidades autorizadas a funcionar pelo Banco Central, além de entidades que integram conglomerado prudencial ou suas respectivas controladas.

Outras mudanças para CRI e CRA aprovadas pelo CMN

Outra alteração buscou explicar que contratos ou obrigações de natureza comercial, incluindo acordos de locação, compra e venda e usufruto relacionados a imóveis, podem ser usados como lastro para a emissão dos títulos.

"Tais contratos, diferentemente de outros instrumentos de natureza estritamente financeira, configuram-se como instrumentos usuais para a constituição de lastros em operações de securitização por meio desses certificados."

O CMN esclareceu ainda que títulos de dívidas cujos emissores não sejam caracterizados como devedores, codevedores ou garantidores também possam constituir lastro para CRI e CRA. Um exemplo citado pelo órgão foi a Cédula de Crédito Imobiliário (CCI), um título de emissão de um credor do setor.

"As medidas adotadas têm o intuito de aumentar a eficiência da política pública no suporte aos setores, assegurando que os referidos instrumentos sejam lastreados em operações compatíveis com as finalidades que justificaram a sua criação e contribuindo para o desenvolvimento sustentável do mercado de crédito", destacou o conselho.

Compartilhe

Para onde ir?

Onde investir na renda fixa após tantas mudanças de regras e expectativas? Veja as recomendações das corretoras e bancos

16 de abril de 2024 - 13:03

Mercado agora espera que corte de juro seja menos intenso, e mudanças nos títulos isentos ocasionou alta da demanda por debêntures incentivadas, com queda nas taxas; para onde a renda fixa deve ir, então?

Mordida do Leão

O risco do Tesouro Direto que não te contaram (spoiler: tem a ver com inflação e imposto de renda)

15 de abril de 2024 - 6:04

Mordida do Leão sobre o Tesouro IPCA+ ocorre não só sobre o retorno real do título, mas também sobre a variação da inflação; e isso tem implicações para o investidor

O BRILHO DAS ISENTAS DE IR

A vez da renda fixa: Debêntures impulsionam mercado de capitais no 1T24 após “fim da farra” das LCIs e LCAs 

11 de abril de 2024 - 18:46

A captação do mercado de capitais chegou ao recorde de R$ 130,9 bilhões entre janeiro e março deste ano, impulsionada pelas ofertas de renda fixa

Mudança nas regras

Está faltando papel? Emissões de LCIs e LCAs caíram pela metade depois de aumento do prazo de carência

5 de abril de 2024 - 14:35

Levantamento do JP Morgan mostra queda anual de 40% nas novas emissões de LCIs e LCAs e baixas de 50% a 60% desde aprovação das novas regras; estudo da XP também mostra impacto das medidas na emissão de CRIs e CRAs

Em busca da isenção perdida

Debêntures incentivadas viraram o porto seguro da isenção de IR, mas ainda valem a pena?

4 de abril de 2024 - 6:36

Títulos de dívida emitidos por empresas estão entre os melhores investimentos do ano, com alta de mais de 3,50%; em 12 meses, ganhos ultrapassam 18,50%. Mas depois de toda essa valorização, taxas continuam atrativas?

Oportunidade

Mesmo com a Selic em queda, taxas do Tesouro Direto subiram e voltaram aos níveis de outubro de 2023; vale a pena investir agora?

21 de março de 2024 - 6:00

Títulos públicos mais longos acumulam queda neste início de ano; no caso do Tesouro IPCA+ remuneração voltou a se aproximar dos 6% ao ano mais inflação

Rumo a um dígito

Quanto rendem R$ 100 mil na poupança, no Tesouro Direto e em CDB com a Selic em 10,75%?

20 de março de 2024 - 19:30

Banco Central cortou a taxa básica em mais 0,50 ponto percentual nesta quarta; veja como a rentabilidade dos investimentos conservadores deve reagir

Renda fixa isenta

Sem IR e com dividendos: gestora do Nubank faz oferta pública de cotas do Nu Infra (NUIF11), seu fundo de debêntures incentivadas

18 de março de 2024 - 10:31

Objetivo da Nu Asset é captar R$ 150 milhões para seu fundo de crédito privado focado em infraestrutura

Renda fixa do mês

Itaú BBA e Santander indicam títulos do Tesouro Direto para março; BTG recomenda títulos isentos de imposto de renda

11 de março de 2024 - 16:30

Pós-fixados e indexados à inflação são as escolhas entre os títulos públicos; entre os privados, debêntures incentivadas, CRI e CRA

Dia Internacional da Mulher

‘Pai’ do Tesouro RendA+ defende criação de título público para recompensar mulheres por terem filhos

8 de março de 2024 - 18:28

Com a queda nas taxas de natalidade no Brasil e no mundo e o peso financeiro da maternidade, especialista em previdência Arun Muralidhar propõe a criação de um ativo que ajude as mulheres a criarem seus filhos – especialmente as mães solo

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies