🔴 QUER SAIR DO ALUGUEL? NÃO USE O FGTS PARA FINANCIAR O IMÓVEL – CONHEÇA ESTA ESTRATÉGIA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
CÂMBIO HERMANO

Vai ficar ainda mais barato ir para a Argentina? Governo se pronuncia sobre planos de desvalorizar o peso ante o dólar

O dólar blue entrou em julho com a mesma força vista no mês anterior e bateu novo recorde nesta terça-feira (1); entenda o movimento

Vinhos na Argentina continuam relativamente mais caros
Imagem: Montagem Seu Dinheiro

Julho é o mês das férias e muita gente por aí cogita ir para a Argentina — a viagem é rápida e o câmbio compensa. Se você faz parte desse grupo, provavelmente deve ter ouvido por aí que o governo de Javier Milei poderia desvalorizar ainda mais o peso ante o dólar.

Mas não se empolgue (tanto). A Argentina continua sendo um destino atrativo para os brasileiros — nesta terça-feira (2), 1 real comprava 161 pesos argentinos —, mas não deve ficar ainda mais barata.

Mais cedo, o porta-voz do governo da Argentina, Manuel Adorni negou planos de implementar uma desvalorização do peso argentino ante o dólar.

Os comentários foram feitos em meio a mais uma sessão marcada pela disparada da moeda norte-americana, que voltou a renovar recorde histórico no câmbio paralelo argentino.

  • Como proteger os seus investimentos: dólar e ouro são ativos “clássicos” para quem quer blindar o patrimônio da volatilidade do mercado. Mas, afinal, qual é a melhor forma de investir em cada um deles? Descubra aqui.

Dólar blue em disparada

Enquanto o governo corria para desmentir os planos de desvalorização adicional do peso, o dólar blue, como é conhecida a cotação paralela da moeda norte-americana mais popular na Argentina, entrou em julho mantendo a força vista no mês anterior.

Depois de fechar a segunda-feira (1) cotado a 1.405 pesos — uma alta de 2,93% ante a semana passada — o dólar blue iniciou esta terça-feira (2) apontando para um novo recorde, depois de chegar a 1.425 pesos.

O motor desse avanço é a especulação de que o governo de Milei acabaria com o cepo cambial — como é conhecida a restrição de compra de moeda estrangeira na Argentina em referência a um instrumento de tortura no qual as pessoas condenadas ficavam presas à madeira, pela cabeça e braços ou pelos pés.

Atualmente, o país limita a US$ 200 mensais as compras para pessoas físicas, pela cotação oficial, sobre a qual ainda incide imposto de 60%, além de outras restrições.

Argentina: um desconforto

Ainda ajuda no movimento do câmbio o desconforto por parte dos investidores com as medidas econômicas anunciadas pelo ministro da Economia da Argentina, Luis Caputo, na última sexta-feira.

O pacote de Caputo, descrito como a "segunda etapa do plano de estabilização", prevê a transferência da dívida do Banco Central para o Tesouro. O objetivo é eliminar o financiamento monetário do passivo, uma das demandas do Fundo Monetário Internacional (FMI).

No entanto, os mercados se decepcionaram com a falta de clareza sobre a política cambial, de acordo com a imprensa local. Em particular, não houve um plano específico para o fim do cepo cambial.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

ELEIÇÕES NOS EUA

Kamala Harris usa passado como promotora para se contrapor a Trump e seus problemas com a justiça — e já aparece em vantagem em pesquisa

24 de julho de 2024 - 10:31

Pesquisa Reuters/Ipsos mostra Kamala Harris com 2 pontos de vantagem sobre Donald Trump no voto popular, mas não é ele que decide a eleição

TROPA NA RUA

Acabou para Maduro? Venezuela vive dias “quentes” antes de eleição que será teste de fogo para o chavista

23 de julho de 2024 - 19:58

Faltando poucos para a eleição de domingo (28), o presidente venezuelano trabalha mais arduamente do que nunca para reforçar a lealdade das Forças Armadas

KAMALAMANIA?

Kamala Harris já dispõe de apoio suficiente entre os democratas, mas ainda tem um caminho a percorrer até ser a candidata oficial do partido

23 de julho de 2024 - 10:42

Candidatura de Kamala Harris precisa ser ratificada pelos delegados do Partido Democrata, o que só deve acontecer em agosto

"EU TE AMO"

Discurso inesperado: Biden fala pela primeira vez após desistência; Harris também se pronuncia

22 de julho de 2024 - 19:57

Biden convocou uma reunião de campanha para agradecer à sua equipe pelo trabalho árduo e para reforçar o apoio à campanha presidencial de Harris

WOMAN POWER

É histórico: Kamala Harris arrecada mais de US$ 100 milhões para o partido menos de 24 horas após Biden desistir da reeleição

22 de julho de 2024 - 19:02

A possibilidade de a vice presidente dos EUA se tornar a candidata democrata canaliza uma enorme quantidade de recursos para os democratas enfrentarem Trump em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

A euforia com Trump vai durar? Os 5 fatores que podem fazer a onda vermelha se tornar um tsunami sobre os mercados

22 de julho de 2024 - 18:46

O estrategista-chefe do UBS Investment Bank listou os pontos de atenção para os investidores em caso de vitória do republicano em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

Como Kamala Harris pode complicar a vida de Donald Trump na disputa pela Casa Branca

22 de julho de 2024 - 10:06

Ao desistir da reeleição, Joe Biden endossou candidatura de sua vice, Kamala Harris, à presidência dos Estados Unidos

ELEIÇÕES NOS EUA

Não deu para Biden: presidente dos EUA cede à pressão e desiste da reeleição — saiba o que acontece daqui para frente 

21 de julho de 2024 - 15:44

No que depender de Biden, sua vice Kamala Harris deve ser o nome do partido para enfrentar Donald Trump nas urnas em 5 de novembro; Trump se manifesta sobre a desistência

ATUALIZANDO O PORTFÓLIO

Por que Warren Buffett decidiu vender US$ 1,48 bilhão em ações de um bancão norte-americano

20 de julho de 2024 - 17:48

A Berkshire Hathaway vendeu cerca de 33,9 milhões de ações desta instituição financeira em diversas transações nesta semana

MELHORES MOMENTOS GIRO DO MERCADO

Trump mais vivo do que nunca: os impactos no dólar, cripto e juros — e os principais riscos da provável vitória do republicano 

19 de julho de 2024 - 18:14

Donald Trump saiu do atentado do último sábado mais vivo do que nunca. Agora, se já não era antes, o republicano é o nome mais forte na corrida e provavelmente voltará a ocupar a Casa Branca — e os mercados já estão tentando prever os impactos disso.  A percepção de que o ex-presidente saiu ganhando […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar