🔴 META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM 2 OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
QUER PAGAR COMO?

Putin trocou o dólar pelo real? Rússia dá as costas para “moedas tóxicas” e abre espaço para o Brasil

Segundo o presidente russo, quase 40% do volume de negócios do país é agora em rublos, uma vez que a parcela realizada em dólares, euros e outras moedas ocidentais “não amigáveis” diminuiu

Cédulas de rublo russo em volta de uma cédula de dólar, simbolizando a taxa de câmbio entre os países
Imagem: iStock

A guerra da Rússia contra a Ucrânia não é só um divisor de águas na geopolítica mundial, mas também no câmbio. Além da rivalidade com os EUA, as sanções impostas por potências ocidentais afastou Moscou do dólar —- e aproximou do real

Segundo o presidente russo, Vladimir Putin, quase 40% do volume de negócios do país é agora em rublos, uma vez que a parcela realizada em dólares, euros e outras moedas ocidentais “não amigáveis” diminuiu.

“Com isso, a participação do rublo nas operações de importação e exportação está aumentando, situando-se agora em quase 40%”, disse Putin. 

Segundo dados do governo russo, este percentual é superior aos cerca de 30% de há um ano e aos 15% dos anos anteriores à guerra.

Falando no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), Putin disse que os países “amigos da Rússia” são os que merecem atenção especial, pois definirão o futuro da economia global, “e já representam três quartos do volume de comércio do nosso país”.

O presidente russo que seu país procurará aumentar a porcentagem de liquidações realizadas nas moedas dos Brics, grupo formado por mercados emergentes que inclui Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Rússia: a reforma do mercado vem aí

O presidente da Rússia detalhou planos para uma grande reforma do mercado financeiro interno do país, incluindo planos para duplicar o valor do mercado de ações russo até ao final da década, reduzir as importações e aumentar o investimento em ativos fixos.

Os comentários surgem em um momento em que o Kremlin aproveita o SPIEF para cortejar novas relações com países da Ásia, América Latina e África.

O Ocidente tem procurado isolar Moscou em resposta à invasão em grande escala da Ucrânia. No entanto, espera-se que a economia da Rússia cresça mais rapidamente do que todas as economias avançadas este ano, apesar de várias rondas de sanções internacionais.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera que a Rússia cresça 3,2% em 2024, excedendo a taxa de expansão prevista de 2,7% dos EUA. Prevê-se que a Alemanha, a França e o Reino Unido registem um crescimento ainda mais baixo, inferior a 1%.

*Com informações da CNBC

Compartilhe

SONHO AMERICANO?

Concessão de visto de trabalho a brasileiros bate recorde nos EUA – mas oportunidades podem chegar ao fim se Trump ganhar

17 de junho de 2024 - 19:30

Os vistos para trabalhadores brasileiros qualificados também registraram número recorde. Porém, com discurso mais inflamado de Trump, o cenário pode mudar; veja como conseguir o seu green card

Energia renovável

Espanha produz eletricidade demais — e agora não sabe o que fazer com tanta energia

17 de junho de 2024 - 17:43

Investimentos em energia solar e eólica levaram o país a produzir mais energia do que necessita

O VALOR DA BANDEIRA BRANCA

Putin não aguenta mais? Rússia diz qual é o preço para acabar com a guerra na Ucrânia — e Ocidente manda a própria fatura

16 de junho de 2024 - 15:34

Pelo menos 90 países e organizações se reuniram na Suíça — sem a participação de Moscou — para tentar encontrar o caminho para a paz

NINGUÉM SEGURA

Efeito Godzilla: por que as tarifas não vão conseguir parar os carros elétricos made in China?

16 de junho de 2024 - 14:16

O presidente dos EUA, Joe Biden, introduziu no mês passado impostos elevados sobre os carros elétricos da China, efetivamente duplicando o preço de tabela — mas há quem diga que nem assim será possível freá-los

O PODER DA LOIRINHA

Efeito Eras Tour: como Taylor Swift pode impedir que um dos maiores bancos centrais do mundo corte os juros agora?

15 de junho de 2024 - 17:02

Termos como “Swiftflation” e “Swiftonomics” surgiram para se referir ao aumento nos gastos em serviços como hotéis, voos e restaurantes em torno das apresentações da cantora — e agora isso virou um problema para a política monetária

DESDE 1950…

Argentina está em crise, mas… desde quando? Banco Mundial aponta país como recordista de anos em recessão 

14 de junho de 2024 - 19:15

Em 1948, PIB per capita da Argentina era de cerca de 84% daquele das dez maiores economias do mundo; hoje, é de 34%

OS BRITÂNICOS VÃO ÀS URNAS

Quem leva a melhor no Reino Unido? A carta na manga dos trabalhistas para derrubar os conservadores nas eleições de julho

13 de junho de 2024 - 20:01

Os trabalhistas lideram as pesquisas de intenção de voto com a ajudinha de fórmulas conhecidas pelo centro

presidente motoserra

Milei consegue conter preços e inflação Argentina baixa para 4,2% em maio

13 de junho de 2024 - 18:10

Apesar da queda em maio, índice de preços ainda acumula 276% de alta em 12 meses

EM MEIO AO CAOS

Todo poder a Milei? Com voto de Minerva e repressão a manifestantes, Senado da Argentina aprova pacote ultraliberal

13 de junho de 2024 - 11:16

O projeto concede amplos poderes ao Executivo, dando prerrogativas de interferência ao presidente, mas foi desidratado na Casa

PEDIU O MERCADO EM NAMORO?

De Powell, com amor (mas nem tanto): o que a decisão do Fed diz sobre os juros nos EUA

12 de junho de 2024 - 15:12

Em decisão amplamente esperada, o banco central norte-americano manteve a taxa referencial na faixa entre 5,25% e 5,50% ano — foi o gráfico de pontos que mandou a mensagem aos mercados

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar