🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
SEM BOLA DIVIDIDA NO BC

Campos Neto interrompe cortes na Selic: em decisão unânime, Copom mantém a taxa básica de juros em 10,5% ao ano

A decisão vem em linha com as expectativas do mercado, que já esperava a manutenção após a deterioração do cenário fiscal brasileiro e as incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos

Larissa Vitória
Larissa Vitória
19 de junho de 2024
18:39 - atualizado às 19:34
Montagem com Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central | Selic
Campos Neto com bolsa de valores e prédios ao fundo - Imagem: Imagens: Canva / Montagem: Isabelle Santos

Dez meses e sete reduções depois, o ciclo de cortes da taxa básica de juros foi interrompido nesta quarta-feira (19). O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) optou por manter a Selic em 10,50% ao ano.

A decisão vem em linha com as expectativas do mercado, que já esperava a manutenção após a deterioração do cenário fiscal brasileiro e as incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos. A real dúvida dos investidores era se ela seria ou não unânime

E, ao contrário da reunião anterior, Roberto Campos Neto, presidente do BC, e seus diretores não divergiram sobre os rumos dos juros.

O voto pela interrupção dos cortes veio de todos os membros do comitê — entre eles Gabriel Galípolo e Paulo Picchetti, indicados pelo governo ao BC e cotados como possíveis sucessores do presidente.

O futuro da Selic

Além dos ruído políticos, outra grande dúvida do mercado é se a manutenção dos juros hoje indica que o ciclo de cortes chegou ao fim ou se essa é apenas uma interrupção temporária no afrouxamento monetário.

Nesse sentido, o comunicado divulgado junto à decisão repete a pista que já havia sido dada em março ao dizer que o cenário global é incerto, com dúvidas sobre o afrouxamento monetário nos EUA, e o quadro doméstico está marcado por "expectativas desancoradas" que demandam mais cautela.

"A política monetária deve se manter contracionista por tempo suficiente em patamar que consolide não apenas o processo de desinflação como também a ancoragem das expectativas em torno de suas metas", destaca o comitê.  

Para os diretores, indicadores de atividade econômica e do mercado de trabalho segue apresentando "dinamismo maior do que o esperado". Avaliam ainda que medidas de inflação subjacente se situaram "acima da meta" nas divulgações recentes.

Outro ponto atenção para o BC é a política fiscal brasileira. Para os diretores, uma diretriz "crível" e comprometida com a sustentabilidade da dívida contribuiria para reduzir os prêmios de risco dos ativos financeiros e, consequentemente, impactaria a política monetária.

Lula criou saia justa entre Campos Neto e os indicados do governo?

Vale relembrar que o cenário fiscal ficou ainda mais conturbado dias que antecederam o encontro do Copom.

Os ruídos incluíram falas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que indicaram que o ajuste nas contas da União deve vir principalmente por meio de um aumento na receita. Na sequência, em uma derrota para o governo, o Congresso devolveu uma medida provisória que visava justamente reequilibrar a arrecadação.

A decisão em consenso também ocorre apenas um dia após Lula voltar a fazer duras críticas ao presidente do BC, cujo mandato termina no fim deste ano. As falas geraram incertezas a respeito do posicionamento dos indicados do governo no BC — e se eles cederiam à pressão pública para seguir com os cortes.

Na véspera da decisão, Lula qualificou o Banco Central como a “única coisa desajustada no Brasil” e afirmou que a autarquia não respeita a independência que conquistou. No campo dos ataques ao presidente da instituição, ele disse que Campos Neto não demonstra “capacidade de autonomia” e tem “lado político”.

A declaração faz referência a um evento da última segunda-feira (10), em que o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), havia convidado para um jantar o presidente do BC, além de outras figuras importantes como banqueiros, políticos e empresários. 

Tarcísio é considerado um herdeiro político do ex-presidente Jair Bolsonaro, que também foi responsável pela indicação de RCN ao Banco Central.

Na visão de Lula, a aproximação de ambos no campo político minaria a confiança de que o BC age de maneira técnica. “A quem esse rapaz é submetido? Como vai a festa em São Paulo quase assumindo candidatura a cargo no governo de SP? Cadê a autonomia dele?”, questionou o presidente na ocasião.

Compartilhe

LOTERIAS

Lotofácil tem 3 acertadores e ninguém fica milionário; Mega-Sena e Quina acumulam de novo e prêmios disparam

19 de julho de 2024 - 5:58

Enquanto a Mega-Sena e a Quina “se fazem” de difíceis, a Lotofácil continua justificando o nome e distribuindo prêmios na faixa principal

PENTE FINO

Orçamento 2024: Haddad anuncia congelamento de R$ 15 bilhões para cumprir exigências do arcabouço fiscal

18 de julho de 2024 - 19:40

Segundo o ministro da Fazenda, governo Lula vai bloquear R$ 11,2 bilhões e contingenciar de R$ 3,8 bilhões

COM LUPA

Pente fino no orçamento: Lula autoriza medida adicional para revisão nas contas que vai levar a corte de R$ 25,9 bilhões

18 de julho de 2024 - 16:35

De acordo com o ministro da Fazenda, o assunto foi tratado em reunião com o presidente realizada na manhã desta quinta-feira (18) no Palácio do Planalto

ECONOMIA BRASILEIRA

Governo está comprometido com déficit fiscal zero em 2025 — mas Brasil precisa gastar “o necessário”, afirma Simone Tebet 

18 de julho de 2024 - 11:37

Em entrevista, ministra do Planejamento e Orçamento reforçou a importância de zerar o déficit no ano que vem, mas disse que o Executivo precisa garantir as políticas sociais

CORRIDA PELA CASA BRANCA

Por que você que investe em criptomoedas deveria se importar com a possível eleição de Donald Trump — e por que, no fim, não faz diferença para o bitcoin (BTC)

18 de julho de 2024 - 6:13

Em uma eleição tão polarizada, qualquer franja possível para ganhar eleitores é explorada pelos candidatos — e o setor de ativos digitais é uma dessas franjas

LOTERIAS

Lotofácil faz 2 meio-milionários enquanto Mega-Sena e Quina prometem verdadeiras fortunas hoje

18 de julho de 2024 - 5:47

Um “normal” e um “teimoso” dividem a Lotofácil de novo; Mega-Sena e da Quina sorteiam hoje prêmios da ordem de dezenas de milhões de reais

FALA, PRESIDENTE

Lula revela o que o faria descumprir a meta fiscal, defende prioridades do governo e diz não ter pressa para escolher sucessor de Campos Neto

17 de julho de 2024 - 8:46

“Você não é obrigado a estabelecer uma meta e cumpri-la se você tiver coisas mais importantes para fazer”, disse o chefe do Palácio do Planalto

LOTERIAS

Mega-Sena acumula, Quina tem sequência inacreditável e Lotofácil volta a fazer a alegria dos teimosos

17 de julho de 2024 - 5:51

Duas apostas vão dividir o prêmio principal da Lotofácil; prêmios da Mega-Sena e da Quina estão na casa das dezenas de milhões de reais

NOVA FRONTEIRA DA TECNOLOGIA

Brasil pode se tornar país chave para o desenvolvimento da Inteligência Artificial em um futuro sustentável, diz Itaú BBA — mas encontra 5 problemas no caminho

16 de julho de 2024 - 19:04

Brasil tende a se destacar mais no ramo de data centers, onde são armazenadas as informações que darão base aos LLM, como o ChatGPT

PASSANDO A KATANA

Não é só o ‘carry trade’: o banco central do Japão acaba de ganhar mais uma razão para defender o iene da alta do dólar 

16 de julho de 2024 - 10:02

Diante do enfraquecimento do iene, o BoJ começou a intervir no mercado de câmbio na última sexta-feira

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar