🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Ibovespa entre piques e repiques: Bolsa brasileira fica a reboque de dados do payroll nos EUA; confira o que movimenta os mercados hoje

Ibovespa rompe sequência de quedas e novos ganhos estão sujeitos a dados econômicos dos EUA; mercados também digerem PIB na zona do Euro e superávit comercial da China

7 de junho de 2024
8:34
Investidor olha para tela de cotações e gráficos da bolsa | Opções, ações, Armínio Fraga
Imagem: Shutterstock

O Ibovespa tem caído com tanta convicção em 2024 que já tinha gente achando que a bolsa brasileira nunca mais voltaria a subir.

A impressão foi contrariada ontem com uma alta de 1,23%. A dúvida agora é se tudo não passou de um repique depois de uma longa sequência negativa ou se o Ibovespa vai dar um pique e, eventualmente, buscar novos recordes em um futuro próximo.

De qualquer modo, os investidores não têm muito tempo para respirar. As bolsas internacionais amanheceram no vermelho nesta sexta-feira. O rumo dos negócios, porém, vai depender do resultado do payroll.

Os números do mercado de trabalho norte-americano serão usados para calibrar as expectativas dos investidores em relação aos próximos passos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos).

Em uma semana na qual outros indicadores sobre o mercado de trabalho foram bem recebidos, analistas esperam estabilidade na criação de postos de trabalho nos EUA.

Enquanto isso, o superávit comercial da China cresceu mais que o esperado e o PIB da zona do euro veio em linha com as estimativas.

Por aqui, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e os diretores Gabriel Galípolo e Paulo Picchetti participam de eventos públicos ao longo do dia.

Para saber se o Ibovespa teve apenas um repique ou vai engatar um pique, acompanhe a cobertura de mercado do Seu Dinheiro.

O que você precisa saber hoje

SEXTOU COM O RUY
Lucros e dividendos das seguradoras estão em risco após as enchentes? Não para a minha preferida do setor.
 O colunista Ruy Hungria não espera grande redução do lucro por conta da catástrofe nos resultados dessa companhia que, além de um histórico operacional muito resiliente, negocia por múltiplos interessantes.

SAINDO DA HIBERNAÇÃO
A pressão de Lula deu certo? Petrobras (PETR4) aprova retomada de fábrica de fertilizantes — veja o que estava em jogo para a volta da unidade.
 A aprovação já era dada como certa pelo mercado e a previsão é que a operação seja reiniciada no segundo semestre de 2025.

AGORA VAI?
O governo quer que Vale (VALE3), Samarco e BHP desembolsem R$ 109 bilhões em dinheiro novo por desastre em Mariana.
 A proposta original dos governos era de R$ 126 bilhões, mas as autoridades concordaram em reduzir o valor para destravar as negociações com as mineradoras.

DINHEIRO NO BOLSO
Bancões pagam dividendos bilionários: Bradesco (BBDC4) e Itaú (ITUB4) aprovam mais de R$ 4 bilhões em JCP; confira os prazos.
 Conselhos de administração dos bancos aprovaram mais uma distribuição de juros sobre o capital próprio para quem estiver na base acionária em junho.

ENTRE SECAS E TERREMOTOS
Mudanças climáticas geram prejuízo mundial de US$ 45 bilhões no 1T24 — e Brasil não conseguiu escapar.
 Das perdas vistas entre janeiro e março, apenas US$ 17 bilhões em prejuízos eram segurados, segundo relatório da Aon.

Uma boa sexta-feira e um excelente fim de semana para você!

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Som e fúria na bolsa: Ibovespa parte do menor nível do ano com ruído sobre meta fiscal no Brasil e juros altos nos EUA

13 de junho de 2024 - 8:48

Disparada das ações do Méliuz, alteração do FGTS, autonomia do Banco Central e contas do governo Lula também ditam o tom do Ibovespa hoje; confira

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: O que nos separa, agora, é uma mera questão contratual

12 de junho de 2024 - 20:01

Não tem mais essa de experiências informais em relacionamentos, tudo agora é formalizado por um contrato entre as partes

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ligando os pontos na bolsa: em dia de dot plot do Fed, inflação e rumo dos juros nos EUA ganham destaque; confira essas e outras notícias que mexem com o seu bolso hoje

12 de junho de 2024 - 8:37

Enquanto investidores também aproveitam o Dia dos Namorados, perda da dominância do dólar, recompra de ações da Rede D’Or e MP do PIS/Cofins entram no rada

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O fundo do poço está próximo? Decisão do Fed sobre juros nos EUA, inflação no Brasil, fusão no setor de saúde e outros destaques do dia que indicam o tom do Ibovespa

11 de junho de 2024 - 8:42

Mercado aguarda posicionamento do Fed sobre inflação nos EUA nesta quarta-feira; nova marca de gestora de FII e compra milionária da Ultragaz também entram no radar dos investidores

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Semana de decisão: Postura do Fed sobre juros e inflação nos EUA vão definir rumo dos mercados no curto prazo

11 de junho de 2024 - 6:51

A quarta-feira será crucial para a narrativa macroeconômica global — e países emergentes como o Brasil podem estar prestes a receber uma má notícia

EXILE ON WALL STREET

Tony Volpon: Samba de uma nota só

10 de junho de 2024 - 20:01

A bolsa americana vem dançando junto com a Inteligência Artificial há um tempo, mas agora ela está focada em uma única empresa: a Nvidia

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa tenta preservar os dedos em meio ao tom negativo das bolsas internacionais, juros nos EUA, IPCA no Brasil e outras notícias que agitam os mercados

10 de junho de 2024 - 8:27

FIIs favoritos para junho, parceria do Brasil com a dona do AliExpress e ajuda ao RS também ganham destaque no radar dos investidores nesta segunda-feira

Mande sua pergunta!

Quero o divórcio, mas moro nos EUA com visto de acompanhante e nossos bens estão em nome de terceiros; e agora?

8 de junho de 2024 - 8:00

Ela ainda não obteve o green card, e ainda teme ficar sem nada após o divórcio, pois os bens da família não estão no nome do marido

SEXTOU COM O RUY

Lucros e dividendos das seguradoras estão em risco após as enchentes? Não para a minha preferida do setor

7 de junho de 2024 - 6:09

Não espero grande redução do lucro por conta da catástrofe nos resultados dessa companhia que, além de um histórico operacional muito resiliente, negocia por múltiplos interessantes

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Na torcida pelos nossos concorrentes

5 de junho de 2024 - 20:01

A decepção com nossos concorrentes México e Índia pode trazer bons frutos para o Brasil?

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar