🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Pensando no futuro

Renda de R$ 5 mil por 20 anos com um investimento de R$ 175 por mês? Como usar o Tesouro Renda+ para planejar sua aposentadoria

Veja o passo a passo para simular e investir no novo título público para garantir a renda desejada no futuro

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
29 de abril de 2023
13:06 - atualizado às 11:08
Ilustração da capa do guia de Previdência Privada mostra um homem de terno se imaginando aposentado em uma moto
Imagem: Ilustração POMB

No início deste ano, o Tesouro Direto lançou um novo tipo de título público para ajudar o investidor a poupar para a aposentadoria: o Tesouro Renda+ Aposentadoria Extra.

De lá para cá, mais de 36 mil investidores já compraram o equivalente a mais de R$ 500 milhões nesses novos títulos, sendo que, para 8.500 deles, este foi seu primeiro investimento no Tesouro Direto.

Se você ainda não é um desses brasileiros, nesta matéria vamos te explicar como usar o Tesouro Renda+ para planejar a sua aposentadoria - especialmente se você ainda não tiver nenhuma aplicação na sua carteira voltada para esse tipo de objetivo.

Como funciona o Tesouro Renda+

O Tesouro Renda+ é um título público indexado à inflação, isto é, segue as mesmas regras de remuneração dos títulos Tesouro IPCA+ (NTN-B). Em outras palavras, ele paga uma rentabilidade prefixada acordada no ato da compra do título mais a variação da inflação medida pelo IPCA.

Isso faz com que esse título seja ideal para a poupança de longo prazo, pois como a rentabilidade é corrigida pela inflação, no vencimento o investidor tem o poder de compra das suas reservas preservado.

A diferença do novo título para o Tesouro IPCA+ é que, no título voltado para a aposentadoria, o investimento é feito em duas etapas.

Primeiro, há um prazo de acumulação, durante o qual o investidor poderá fazer compras mensais e seus recursos ficarão rendendo. Este período termina na chamada data de conversão do papel, que ocorre sempre no ano que identifica cada título.

Em seguida, vem o período de usufruto dos recursos acumulados, um prazo de 20 anos (240 meses) durante o qual o investidor receberá pagamentos de amortizações mensais, também corrigidas pelo IPCA.

Trata-se de um mecanismo parecido com o dos planos de previdência oferecidos hoje por bancos e seguradoras, mas a partir do investimento em um único título, e não em fundos de investimento.

Diferentemente dos planos PGBL e VGBL, porém, o título público voltado para a aposentadoria não conta com incentivos tributários. Em compensação, trata-se de um produto muito mais simples e fácil de compreender.

Nesta matéria, eu já falei um pouco sobre as semelhanças e diferenças entre o Tesouro Renda+ e os planos PGBL e VGBL. E nesta outra eu explico, com mais detalhes, o funcionamento e as características deste novo título, incluindo custos e tributação.

Como adquirir um título Tesouro Renda+

Para comprar esse título, primeiro é necessário ser cadastrado para investir no Tesouro Direto, o que requer que você tenha conta aberta em uma corretora de valores.

Prefira uma que não cobre taxa de administração, também chamada de taxa de agente de custódia, para o investimento em títulos públicos. Assim você pagará apenas a taxa de custódia obrigatória quando investir, que no caso do Tesouro Renda+, pode ser de 0,10% ao ano ou zero, dependendo do valor que o investidor receber na aposentadoria.

Hoje, as corretoras dos grandes bancos já não cobram taxa de administração para o Tesouro Direto. O site do programa também divulga uma lista de corretoras do mercado que não cobram essa taxa.

Antes mesmo de abrir conta em uma corretora, você pode fazer uma simulação, no site do Tesouro Direto, de quanto precisaria investir todo mês para obter a renda desejada no futuro por meio do Tesouro Renda+. Assim, você já consegue ver se o investimento atende aos seus objetivos.

O Tesouro Direto oferece, atualmente, títulos com oito datas de conversão diferentes: 2030, 2035, 2040, 2045, 2050, 2055, 2060 ou 2065.

No caso do título com data de conversão em 2030, por exemplo, os recursos ficarão rendendo até 14 de janeiro de 2030. Após esta data, o título começa a fazer os pagamentos mensais pelos próximos 20 anos, isto é, até 2049, quando enfim, ele vence.

  • Imposto de Renda sem complicações: não passe perrengue na hora de declarar o seu IR em 2023. Baixe de forma GRATUITA o guia completo que Seu Dinheiro preparou com todas as orientações que você precisa para fazer sua declaração à Receita sozinho. [É SÓ CLICAR AQUI]

Como simular o investimento

Ao acessar o simulador do Tesouro Direto, informe sua idade atual, a idade com a qual você deseja se aposentar e a renda que você deseja receber no futuro. Depois informe o seu valor de investimento inicial.

Quanto mais recursos você tiver agora para adquirir seus primeiros títulos, melhor para o seu processo de acumulação. Mas lembre-se de que é possível começar a comprar títulos públicos com apenas R$ 30, então mesmo que você não tenha grandes reservas, o valor inicial do investimento não vai te restringir.

Ao informar esses dados, o simulador irá te indicar o título com a data de conversão mais adequada para o seu objetivo. Ao clicar em “Escolher”, a calculadora te informará quantos títulos daquele mesmo tipo você vai precisar para ter a renda desejada.

A ideia é que você vá comprando esses papéis aos poucos até a data de conversão, para formar um patrimônio em títulos públicos em quantidade suficiente para te pagar a renda planejada.

Para isso, o simulador também indica quanto você poderá investir por mês, dali para frente, para adquirir esses títulos. O investimento todo mês,porém, não é obrigatório, você pode investir na periodicidade que quiser.

Caso você acredite ser capaz de executar o plano, basta entrar na área logada do site do Tesouro Direto ou na plataforma da sua corretora e realizar a sua primeira compra de Tesouro Renda+.

Alguns exemplos

Vamos antecipar algumas das situações que você pode encontrar por meio de alguns exemplos:

Pessoa de 23 anos que deseja se aposentar aos 60 com renda de R$ 8 mil. Investimento inicial de R$ 5 mil

  • Indicação: Tesouro Renda+ 2065, com vencimento em 2084
  • Quantidade de títulos necessária: 467,57
  • Quantidade de títulos a serem comprados por mês: 0,89
  • Investimento mensal aproximado: R$ 197,61

Pessoa de 35 anos que deseja se aposentar aos 70 com renda de R$ 5 mil. Investimento inicial de R$ 10 mil

  • Indicação: Tesouro Renda+ 2060, com vencimento em 2079
  • Quantidade de títulos necessária: 292,23
  • Quantidade de títulos a serem comprados por mês: 0,59
  • Investimento mensal aproximado: R$ 174,65

Pessoa de 44 anos que deseja se aposentar aos 65 com renda de R$ 10 mil. Investimento inicial de R$ 50 mil

  • Indicação: Tesouro Renda+ 2045, com vencimento em 2064
  • Quantidade de títulos necessária: 584,46
  • Quantidade de títulos a serem comprados por mês: 1,97
  • Investimento mensal aproximado: R$ 1.362,75

Pessoa de 52 anos que deseja se aposentar aos 70 com renda de R$ 6 mil. Investimento inicial de R$ 40 mil

  • Indicação: Tesouro Renda+ 2040, com vencimento em 2059
  • Quantidade de títulos necessária: 350,68
  • Quantidade de títulos a serem comprados por mês: 1,53
  • Investimento mensal aproximado: R$ 1.407,66

Repare que, quanto mais tempo você tiver pela frente, menos você vai precisar investir todo mês para obter a renda desejada na aposentadoria. Além disso, quanto maior a renda desejada, maior o esforço de investimento mensal.

Mesmo assim, para quem ganha acima do teto do INSS - que em geral é quem mais procura investimentos para complementar a renda da Previdência Social na aposentadoria - os aportes mensais podem ser bastante acessíveis.

Lembre-se apenas que as simulações se baseiam em projeções de mercado, não sendo garantia de retornos futuros. Ao longo do tempo, pode ser que você precise calibrar o valor investido por mês a fim de obter a renda almejada.

VEJA TAMBÉM - Fugi do país para escapar de uma montanha de dívidas, meus credores podem me perseguir?

Confira o episódio desta semana do quadro A Dinheirista, em que a repórter Julia Wiltgen resolve esse e mais casos cabeludos envolvendo dinheiro. Confira:

Quanto rendem os títulos Tesouro Renda+

No site do Tesouro Direto, você também consegue encontrar a rentabilidade acumulada dos títulos públicos, bem como as remunerações que eles estão oferecendo no momento.

No primeiro caso, estamos falando da rentabilidade a preço de mercado, isto é, das variações dos preços dos títulos para cima ou para baixo de acordo com as projeções para juros e inflação.

Títulos públicos indexados à inflação podem ter grande volatilidade, mas ela só afeta realmente quem, porventura, precisar vender seu papel antes do vencimento, o que é sempre feito a preço de mercado. Nesses casos, o investidor pode embolsar uma eventual valorização ou ter perdas no seu valor investido com uma eventual desvalorização do papel

O Tesouro Renda+ tem por objetivo a aposentadoria, então ele deve, preferencialmente, ser levado ao vencimento. E, neste caso, o que vale é a rentabilidade contratada na hora da compra. É ela que você vai receber no vencimento.

Investimentos voltados para a aposentadoria devem ser os últimos a serem resgatados pelo investidor. Porém, se for necessário vender antecipadamente, o papel tem liquidez diária, como todos os demais títulos públicos. Há apenas uma carência de 60 dias a partir da data da compra de cada título, durante a qual ele não poderá ser negociado.

Veja quanto eles estão pagando hoje:

TítuloRentabilidade anual
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2030IPCA + 5,97%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2035IPCA + 6,00%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2040IPCA + 6,01%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2045IPCA + 5,99%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2050IPCA + 5,97%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2055IPCA + 5,95%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2060IPCA + 5,94%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 2065IPCA + 5,94%
Fonte: Tesouro Direto

Veja também a rentabilidade histórica acumulada dos títulos:

TítuloRetorno nos últimos 30 dias
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20303,26%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20354,38%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20405,21%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20455,46%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20505,17%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20555,37%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20605,03%
TESOURO RENDA+aposentadoria extra 20655,48%
Fonte: Tesouro Direto

Compartilhe

Ainda atrativa

Onde investir na renda fixa em maio: bancos e corretoras recomendam Tesouro Direto, CDBs, LCAs e outros títulos isentos de IR

19 de maio de 2024 - 8:00

De títulos públicos a debêntures incentivadas, veja as indicações de Santander, XP e BTG na renda fixa para este mês

CRÉDITO PRIVADO

Suzano (SUZB3) vai captar R$ 5,9 bilhões em emissão de debêntures — e você pode investir sem pagar IR

17 de maio de 2024 - 19:35

Debêntures isentas da Suzano devem render uma taxa de juros equivalente à do título público corrigido pelo IPCA; saiba mais

Caiu mais

Quanto rendem R$ 100 mil na poupança, no Tesouro Direto e em CDB com a Selic em 10,50%?

8 de maio de 2024 - 19:25

Banco Central cortou a taxa básica em apenas 0,25 ponto percentual nesta quarta; veja como a rentabilidade dos investimentos conservadores deve reagir

Regra de bolso

Investir na renda fixa quando a Selic paga 1% ao mês dá certo? Esta gestora fez as contas – e traz uma estratégia ainda melhor

8 de maio de 2024 - 9:00

O retorno de 1% ao mês é talvez a âncora mental mais forte do investidor brasileiro, mas investir com foco nisso vale a pena?

Renda fixa incentivada

Órfão das LCI e LCA? Banco indica 9 títulos isentos de imposto de renda que rendem mais que o CDI e o Tesouro IPCA+

24 de abril de 2024 - 17:15

Itaú BBA recomenda nove títulos de renda fixa, entre debêntures, CRIs e CRAs, acessíveis para investidores em geral e isentos de IR

Em busca da liquidez perdida

Ficou mais difícil investir em LCI e LCA após mudanças nas regras? Veja que outras opções você encontra no mercado

22 de abril de 2024 - 6:45

Prazo de carência de LCIs e LCAs aumentou de três para 12 ou nove meses, respectivamente; além disso, emissões caíram e taxas baixaram. Para onde correr?

ALTERNATIVA AO PRO SOLUTO

Meu CRI, Minha Vida: em operação inédita, Opea capta R$ 125 milhões para financiar imóvel popular de clientes da MRV

16 de abril de 2024 - 17:27

A Opea Securitizadora e a fintech EmCash acabam de anunciar a emissão do primeiro CRI voltado ao financiamento de unidades lançadas pela MRV dentro do programa habitacional do governo federal

Para onde ir?

Onde investir na renda fixa após tantas mudanças de regras e expectativas? Veja as recomendações das corretoras e bancos

16 de abril de 2024 - 13:03

Mercado agora espera que corte de juro seja menos intenso, e mudanças nos títulos isentos ocasionou alta da demanda por debêntures incentivadas, com queda nas taxas; para onde a renda fixa deve ir, então?

Mordida do Leão

O risco do Tesouro Direto que não te contaram (spoiler: tem a ver com inflação e imposto de renda)

15 de abril de 2024 - 6:04

Mordida do Leão sobre o Tesouro IPCA+ ocorre não só sobre o retorno real do título, mas também sobre a variação da inflação; e isso tem implicações para o investidor

O BRILHO DAS ISENTAS DE IR

A vez da renda fixa: Debêntures impulsionam mercado de capitais no 1T24 após “fim da farra” das LCIs e LCAs 

11 de abril de 2024 - 18:46

A captação do mercado de capitais chegou ao recorde de R$ 130,9 bilhões entre janeiro e março deste ano, impulsionada pelas ofertas de renda fixa

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar