🔴 PRIO3 E +9 AÇÕES PARA COMPRAR AGORA – ASSISTA AQUI

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
BALANÇO

CTEEP (TRPL4) vê lucro quase triplicar no quarto trimestre e confirma pagamento de dividendos; confira

O desempenho foi impulsionado pela atualização da Receita Anual Permitida das concessões da empresa pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do período e pelo reajuste tarifário do ciclo 2022/2023

Larissa Vitória
Larissa Vitória, Carolina Gama
23 de fevereiro de 2023
20:11 - atualizado às 18:43
Foto de torres de transmissão de energia | ISA CTEEP

Destaque no setor elétrico, a Isa CTEEP (TRPL4) também é uma das grandes pagadoras de dividendos da bolsa brasileira. Por isso, os analistas e investidores observam com atenção o balanço financeiro da companhia, em busca de indícios de como será a próxima distribuição de proventos.

E os números divulgados nesta quinta-feira (23) podem ser um bom presságio para o mercado. A companhia registrou lucro líquido de R$ 363,6 milhões no quarto trimestre, acima das expectativas dos analistas e 2,7 vezes superior ao registrado no mesmo período do ano passado. O indicador também cresceu 6,8% no acumulado anual e chegou a R$ 936,9 milhões.

Já o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, da sigla em inglês) ficou em R$ 634,7 milhões no 4T22, alta de 37,1% ante o apresentado nos últimos quatro meses de 2021. O resultado consolidado de 2022 avançou 4,6% na comparação anual, para R$ 2,4 bilhões.

A receita líquida do quarto trimestre totalizou R$ 891,2 milhões, alta de 34,1% em base anual de comparação. Considerando os 12 meses, a receita foi de R$ 3,258 bilhões, com avanço de 6,2%.

Isa CTEEP (TRPL4): desempenho e operacional

O desempenho da Isa CTEEP (TRPL4) foi impulsionado pela atualização da Receita Anual Permitida (RAP) das concessões da empresa pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do período, pela recomposição parcial da Rede Básica Sistema Existente (RBSE) e pelo reajuste tarifário do ciclo 2022/2023.

Além disso, a companhia também se beneficiou do resultado da energização de projetos greenfield que adicionaram mais de R$ 338 milhões à RAP.

Na parte operacional, o Índice de Energia Não Suprida (IENS) da Isa CTEEP ficou em 0,0004%, menor do que o indicador de referência estipulado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), de 0,0016%.

A gestão do IENS é importante já que a empresa é remunerada pela disponibilidade de seus ativos, e eventuais indisponibilidades podem acarretar perda de receita.

A disponibilidade das linhas de transmissão no trimestre foi de 99,55%, 0,10 ponto percentual melhor do que no trimestre anterior. Em relação à referência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o indicador ficou 0,43 pp melhor na comparação trimestral.

Os transformadores da Isa CTEEP (TRPL4) tiveram índice de disponibilidade estável em relação ao trimestre anterior em 99,21%, e 0,12 pp melhor do que a referência da Aneel, de 99,09%.

VEJA TAMBÉM: Além dos dividendos, fundo imobiliários podem pagar uma renda extra em 2023

Como ficam os dividendos da Isa CTEEP (TRPL4)?

Junto com os resultados do quarto trimestre, a Isa CTEEP confirmou os R$ 700 milhões em juros sobre capital próprio (JCP) que serão pagos a partir de 11 de abril deste ano. O montante, no entanto, já havia sido anunciado pela companhia em dezembro do ano passado, com data de corte em 27 de dezembro de 2022.

Apesar do bom desempenho financeiro, há, segundo o Itaú BBA, a expectativa de uma redução no payout — percentual do lucro que é distribuído na forma de proventos — em função do alto nível de endividamento da companhia.

O banco prevê um payout menor, de cerca de 50%, de 2024 a 2026, quando a alavancagem da companhia deve ficar pressionada e estourar o limite.

No relatório de resultados de hoje, a companhia confirmou que o estatuto social prevê que a distribuição de dividendo mínimo seja sempre o maior valor entre R$ 359 milhões e 25% do lucro líquido do exercício e que o payout de 2022 ficou em 75%.

Em relatório publicado no dia 12 de fevereiro, os analistas do banco revisaram suas estimativas para a CTEEP de 2022 a 2026, elevando as previsões para receita líquida e Ebitda, mas reduzindo as projeções para o lucro líquido em quase todos os anos, com exceção de 2024.

Os motivos para essa queda nas projeções de lucro são as necessidades de investimento (Capex) por parte da companhia bem como a expectativa de uma taxa Selic mais elevada nos próximos anos.

O grande volume de desembolsos de Capex (concentrados sobretudo em 2024 e 2025), aliás, é um dos fatores que, na visão dos analistas do Itaú BBA, vêm dificultando a desalavancagem da companhia, projetada em cerca de três vezes a relação dívida líquida/Ebitda nos próximos anos.

Os analistas projetam um dividend yield de 5,5% para a empresa no curto/médio prazo e de 5% em média até 2026.

Compartilhe

PRÉVIA OPERACIONAL

MRV (MRVE3) quebra recorde de vendas no Brasil, mas ainda queima milhões em caixa nos EUA

15 de abril de 2024 - 18:33

Na Resia, incorporadora norte-americana da MRV, há uma regra de ouro: não queimar caixa em 2024. Mas a diretriz ainda não foi refletida nos resultados do 1T24

Ranking

O Galaxy desbanca o iPhone: Apple (AAPL34) perde liderança global de smartphones no 1T24

15 de abril de 2024 - 18:17

Embora o setor esteja em crescimento, a gigante de tecnologia apresentou uma queda de quase 10% nas remessas de iPhone no primeiro trimestre do ano

NA CARTEIRA

JP Morgan tira BRF (BRFS3) da geladeira: ações da dona da Sadia e Perdigão disparam na B3 com recomendação de compra 

15 de abril de 2024 - 10:38

Analistas do banco norte-americano veem BRF barata mesmo após disparada de 173% em 12 meses na B3

FALHA NO ACELERADOR

Mais problemas para Elon Musk? Ações da Tesla caem mais de 1% com notícia sobre demissão em massa e falhas no Cybertruck 

15 de abril de 2024 - 10:10

Montadora do bilionário deve demitir cerca de 10% da sua força de trabalho global, o equivalente a pouco mais de 14 mil pessoas, segundo notícia da Reuters

A PARTIR DE 2025

Saiba como a maior produtora de alumínio do país pretende reduzir emissões em até 30% — parte da resposta: com um investimento de R$ 1,6 bilhão

13 de abril de 2024 - 13:13

A multinacional norueguesa Hydro do ramo de alumínio projeta reduzir em cerca de um terço a intensidade de emissão de dióxido de carbono (CO2) nas operações brasileiras a partir de 2025.  A controladora das maiores operações de alumina e alumínio primário no Brasil diz que a previsão é que a meta seja alcançada após a […]

VITÓRIA!

Prio (PRIO3) fica com 100% de Wahoo: como a vitória deve aumentar a produção da petroleira; ações sobem na bolsa

12 de abril de 2024 - 13:05

A empresa recebeu uma decisão favorável da Câmara de Comércio Internacional em um processo arbitral relacionado à concessão BM-C-30, no campo de Wahoo

REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDAS

Light (LIGT3) assina acordos com credores, em novo passo em direção ao fim da recuperação judicial; ações caem na B3

12 de abril de 2024 - 11:46

Foram celebrados dois acordos com credores e debenturistas envolvendo as subsidiárias Light Sesa e Light Energia; entenda o que vem pela frente

ENGORDOU O PATRIMÔNIO

CEO da Nvidia fica quase R$ 3 bilhões mais rico em um dia. Conheça o bilionário que quase dobrou de fortuna em 2024

11 de abril de 2024 - 18:03

Jensen Huang é a 19º pessoa mais rica do planeta, de acordo com a revista Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 79,5 bilhões (R$ 404 bilhões)

ENTENDA O CASO

Justiça embarga obras de complexo bilionário da JHSF (JHSF3) no interior de São Paulo

11 de abril de 2024 - 16:01

A decisão aconteceu após pedido do Ministério Público, que afirma que a JHSF e outras duas companhias burlaram regras de licenciamento ambiental

DESISTIU DA BATALHA?

Gafisa (GFSA3): Esh Capital diminui participação após perder disputa sobre assembleia; ações caem 6% na B3

11 de abril de 2024 - 11:24

A gestora de Vladimir Timerman reduziu a participação na Gafisa de 20% para 4% do capital

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies