🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
maus ventos

Inflação pode deixar de responder ao BC se Lula conseguir mudar meta, dizem gestores

Rodrigo Azevedo, da Ibiuna, e Felipe Guerra, da Legacy, estão com visão pessimista para o Brasil

Flavia Alemi
Flavia Alemi
31 de janeiro de 2023
21:24 - atualizado às 12:03
Lula meta inflação
Imagem: Ricardo Stuckert

Responsáveis por cerca de R$ 60 bilhões alocados em seus fundos, os gestores Rodrigo Azevedo, da Ibiuna, e Felipe Guerra, da Legacy, não estão nada otimistas com o futuro da economia brasileira, particularmente com a inflação - e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem tudo a ver com isso.

Nesta terça-feira (31), durante evento do Credit Suisse, ambos reforçaram sua visão negativa para os ativos locais, tendo em vista os primeiros ruídos de um governo que começou há um mês e o cenário observado no exterior.

Na visão de Azevedo, o ponto mais preocupante de janeiro não foram os ataques às instituições no dia 8, ou a descoberta de um rascunho de golpe na casa do ex-ministro da Justiça Anderson Torres. Foi a entrevista de Lula à GloboNews alguns dias após a baderna em Brasília.

Nela, o presidente tocou em vários assuntos e, inclusive, questionou a meta de inflação estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o ano de 2022, de 3,5%. 

“Você estabeleceu uma meta de inflação de 3,7% (sic), quando você faz isso, é obrigado a ‘arrochar’ mais a economia para atingir aqueles 3,7%. Por que precisava fazer os 3,7%? Por que não fazia 4,5%, como nós fizemos?”, reclamou Lula.

Para o gestor da Ibiuna, a fala do presidente engatilha uma mudança de expectativas de inflação que pode atrapalhar a atuação do Banco Central. Ele frisa que, para determinar a taxa de juros, um dos principais elementos observados pelo BC hoje é a expectativa de inflação de 2024.

“Se, de repente, ela embica para cima, se o BC não sabe mais nada do que está acontecendo, o que ele faz? Fala ‘pô, eu preciso apertar mais’. O problema é que a expectativa de inflação, nesse momento, vai deixar de responder ao movimento do Banco Central”, teorizou o ex-diretor do BC.

Vale destacar que a meta de inflação para este ano é de 3,25%, com margem de 1,5 ponto percentual (p.p.), para cima ou para baixo. Ou seja, a meta determina que o índice fique entre 1,75% e 4,75%. 

Leia mais:

Mais que inflação

Se Azevedo acha que está pessimista, Guerra, com quem dividiu o painel, está ainda mais.

O gestor da Legacy tem total certeza de que o governo Lula irá “apertar vários botões” para tentar estimular o crescimento do país e manter seu nível de popularidade. 

Isso, em sua visão, passa por algumas medidas como, por exemplo, o “Desenrola”, um programa que foi prometido durante a campanha eleitoral e é voltado para a renegociação de dívidas, tendo em vista o elevado número de famílias endividadas no Brasil. 

Os detalhes do “Desenrola” ainda são desconhecidos, mas o programa em si é um sinal, para Guerra, de que o Brasil “vai caminhar para um regime de excepcionalidades”.

Mas juros e inflação altos não são uma notícia exatamente ruim para gestores que operam cenário macro, como é o caso de Azevedo e Guerra. Aliás, como os próprios frisaram no início do painel, ser um gestor global macro nos anos em que os juros no mundo todo ficaram em patamares extremamente baixos foi um enorme desafio.

“Nos últimos dois anos, a inflação voltou. Voltou a ter game”, disse Azevedo.

Compartilhe

NÃO POUPOU NINGUÉM

Lula solta farpas contra Selic, Campos Neto e cita plano fiscal — confira o que o petista falou dessa vez

15 de junho de 2024 - 15:29

Na noite da última segunda-feira, 10, Tarcísio de Freitas (Republicanos) promoveu um jantar em homenagem ao chefe do BC e parece que o presidente não ficou satisfeito com a celebração

BOMBOU NA SEMANA

A nova regra do imposto dos imóveis e o fim da linha para o dólar  — confira o que foi destaque no Seu Dinheiro

15 de junho de 2024 - 14:15

Nem só de notícias sobre a bolsa vive o leitor do Seu Dinheiro; fique por dentro das mais lidas da última semana

DÊ O PLAY

Campos Neto vai segurar a Selic? O que esperar da decisão do BC e os impactos na bolsa e dólar

15 de junho de 2024 - 12:31

O Touros Ursos convidou Rogério Benevente, sócio da GWM Investments, para falar sobre o futuro do ciclo de cortes dos juros e o efeito da decisão do Copom nos seus investimentos

LOTERIAS

Quem será o próximo milionário? Mega-Sena e Quina de São João sorteiam juntas mais de R$ 260 milhões em prêmios; sabia como concorrer

15 de junho de 2024 - 11:02

Caso apenas um apostador leve o prêmio da Quina de São João e aplique todo o valor na poupança, receberá mais de R$ 1,2 milhão de rendimento no primeiro mês

ENCHENTES NO RS

BTG: PIB do país deve cair no segundo trimestre com as enchentes do RS, mas recuperação será rápida

14 de junho de 2024 - 20:00

Segundo estudo do banco, a arrecadação de ISS e ICMS e a recuperação do emprego nas áreas atingidas apontam para uma retomada acelerada da econômica

FIIs HOJE

Os dividendos do XPLG11 vão aumentar após aquisição de R$ 300 milhões? Veja o impacto da compra nos proventos do fundo imobiliário

14 de junho de 2024 - 11:10

Com a transação, o XP Log terá direito a 100% do resultado operacional líquido do novo ativo, o que pode aumentar as receitas (e os proventos)

LOTERIAS

Quando a Mega-Sena falha, a Lotofácil não decepciona; veja os ganhadores

14 de junho de 2024 - 5:54

Enquanto o prêmio acumulado da Mega-Sena atingiu a marca de R$ 47 milhões, a Lotofácil teve dois ganhadores na noite de quinta-feira

Pressão do mercado

Haddad diz que “vai dar uma geral” no Orçamento 2025 e acelerar agenda de cortes de gastos

13 de junho de 2024 - 16:40

Segundo o ministro da Fazenda, será feita uma “revisão ampla, geral e irrestrita” das propostas para reduzir despesas

Questão fiscal brasileira

‘Modelo de arrecadação esgotou e governo tem que olhar para os custos’, afirma sócio da O2 capital

13 de junho de 2024 - 9:16

Oestes Costa comenta a necessidade de uma mudança na agenda econômica para “destravar o país” e recomenda investimentos para uma carteira diversificada; confira

LOTERIAS

Lotofácil sai para bolão em SP e Caixa recebe apostas exclusivas para a Quina de São João; Mega-Sena acumulada corre hoje

13 de junho de 2024 - 5:54

Enquanto a Lotofácil faz jus à fama de loteria “menos difícil” do Brasil, prêmio da Mega-Sena está acumulado em R$ 40 milhões

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar