🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
UM NOME POLÊMICO

Infiltrado do governo? Haddad anuncia Galípolo para a diretoria do BC — saiba as implicações dessa indicação

A relação entre o Banco Central e o governo não é das melhores: Lula e seus ministros têm pressionado a autoridade monetária a baixar os juros, atualmente em 13,75% ao ano

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad - projeções para inflação
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou nesta segunda-feira (8) o nome de Gabriel Galípolo para o cargo de diretor de Política Monetária do Banco Central — no que seria uma indicação trivial, não fosse o fato de o governo estar em uma queda de braço com BC por conta do juro alto. 

Galípolo é secretário-executivo da Fazenda, considerado um número 2 da pasta; e, mais que isso: é o braço direito de Haddad. 

Esse posto agora será ocupado pelo advogado Dario Durigan, que foi assessor especial do ministro da Fazenda quando era prefeito de São Paulo e, atualmente, é o chefe de Políticas Públicas do WhatsApp.

O BC e o governo: um relação complicada

A indicação de Galípolo para a diretoria de política monetária do BC seria apenas mais uma não fosse a atual relação do governo com a instituição comandada por Roberto Campos Neto (RCN). 

Tanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o próprio Haddad há tempos não têm poupado o Banco Central e RCN de críticas por discordarem do atual patamar dos juros no Brasil — mantido na quarta-feira passada (03) em 13,75% ao ano.

A bandeira branca chegou a ser hasteada quando o governo apresentou o arcabouço fiscal, mas a relação “harmônica” durou pouco. 

A mais recente dessas críticas veio no final de semana, quando, durante viagem à Inglaterra para a coroação do rei Charles III, Lula voltou a condenar o nível da Selic. 

Na ocasião, o presidente disse que a taxa elevada inibe os investimentos e o crescimento econômico no Brasil e que isso tem levado à quebra de empresas. O petista negou ainda que bata no BC, e afirmou que apenas discorda da política adotada por Campos Neto. 

Na mesma linha, Haddad e outros ministros do governo Lula, entre eles Simone Tebet, que comanda o Ministério do Planejamento, também já pressionaram o BC a reduzir o juro. 

"Avalio que a indicação fica ainda mais sensível quando pensamos que recentemente circulou um boato de que o nomeado para a pasta poderia ser o sucessor de RCN", diz Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

  • Ainda tem dúvidas sobre como fazer a declaração do Imposto de Renda 2023? O Seu Dinheiro preparou um guia completo e exclusivo com o passo a passo para que você “se livre” logo dessa obrigação – e sem passar estresse. [BAIXE GRATUITAMENTE AQUI]

Um infiltrado no BC?

Por conta desse ambiente nada amistoso, a indicação de Galípolo tende a desagradar o mercado — que pode ver o braço direito de Haddad como um sinal de interferência do governo no BC.

O próprio ministro da Fazenda tentou minimizar hoje essa tese. “A primeira vez que ouvi no nome de Galípolo para o BC foi do próprio Campos Neto”, disse ele, em coletiva de imprensa. 

Haddad também se mostrou otimista com a aprovação do nome de Galípolo para a diretoria do BC. 

“Não deve haver resistência para essa indicação. Ele é uma pessoa técnica e bem vista pelo Congresso. Ele tem negociado os principais projetos do Ministério da Fazenda, tem boa relação com os presidentes das casas e com os líderes partidários”, disse Haddad. 

O ministro da Fazenda afirmou ainda que, uma vez no BC, Galípolo vai perseguir a harmonia entre a política fiscal e a política econômica. “O objetivo continua sendo crescer com baixa inflação e justiça social”, afirmou Haddad. 

  • VEJA TAMBÉM: Adeus, Serasa: “se eu deixar de pagar minhas dívidas por 5 anos, elas simplesmente somem e meu nome volta a ficar limpo?” Descubra a resposta para este e outros problemas envolvendo dinheiro no novo episódio de A Dinheirista, que resolve suas aflições financeiras com bom humor:

Haddad no G7

O ministro da Fazenda aproveitou a ocasião para comentar sua participação na reunião do G7 (grupo formado por EUA, Canadá, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Japão). O Brasil não é chamado para esse encontro desde o segundo governo Lula. Índia e Indonésia, que não fazem parte do G7, também foram convidadas.  

Segundo Haddad, “há muita coisa acontecendo no mundo” e é fundamental que o Brasil volte a sentar em uma mesa global de discussões depois de anos de isolamento. 

“Acho fundamental, inclusive, que o Brasil leve questões regionais importantes para o G7 e eu pretendo levar a questão do câmbio na Argentina”, disse Haddad. 

O ministro viaja ainda hoje para o Japão, país que sediará o evento. Ele deve chegar ao país na quarta-feira (10). Entre os encontros bilaterais programados está uma reunião com a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen. Ambos devem tratar, entre outros temas, da reforma do Banco Mundial. 

Compartilhe

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: Semana é dominada por inflação no Brasil e nos EUA e PIB nas principais economias do mundo; confira os destaques

24 de junho de 2024 - 7:08

A Ata do Copom também ganha destaque no cenário nacional após a decisão que manteve a Selic em 10,50% ao ano e que gerou mais críticas por parte do governo

BOMBOU NO SD

Ações da BYD ‘esnobadas’ por Warren Buffett, como reverter a usucapião e a fuga dos milionários: confira os destaques do Seu Dinheiro na semana

23 de junho de 2024 - 11:05

A notícia de que o megainvestidor vendeu quase US$ 40 milhões em ações da montadora chinesa despertou o interesse dos leitores

Loterias

30 novos milionários em apenas um dia: sortudo e dois bolões levam mais de R$ 76 milhões cada na Quina de São João, enquanto Lotofácil tem ganhador único

23 de junho de 2024 - 8:33

O prêmio do concurso especial da Quina foi recorde neste ano, ultrapassando os R$ 229 milhões, e será dividido entre 29 apostadores

BC NA MIRA DO GOVERNO

Lula volta a soltar farpas contra Campos Neto e cita “nervosismo especulativo” com dólar

21 de junho de 2024 - 18:29

Presidente também chamou o líder do Banco Central de “adversário político”

DINHEIRO NO BOLSO

Receita Federal abre consulta ao segundo lote da restituição do Imposto de Renda; veja como acessar

21 de junho de 2024 - 9:09

Mais de 5,75 milhões de brasileiros serão beneficiados no segundo lote da restituição do Imposto de Renda. Contribuintes do Rio Grande do Sul fazem parte da lista de prioridades

LOTERIAS

Mega-Sena acumula e Lotofácil tem 3 ganhadores, mas só se fala na Quina de São João

21 de junho de 2024 - 5:37

Ganhadores da Lotofácil estão bem espalhados pelo Brasil; prêmio da Mega-Sena vai a R$ 86 milhões; Quina de São João corre amanhã

FUTEBOL

Brasil x Argentina: qual é a seleção mais valiosa? A resposta pode surpreender; veja os dias dos jogos da seleção na Copa América

20 de junho de 2024 - 16:12

A Copa América de 2024 começa hoje nos Estados Unidos, mas a estreia do Brasil está programada apenas para a próxima segunda-feira

LOTERIAS

Ainda não jogou na Quina de São João? Corre que ainda dá tempo; veja como apostar

20 de junho de 2024 - 5:52

Enquanto a Quina de São João se aproxima, a Lotofácil continua justificando a fama de loteria menos difícil do Brasil

SEM BOLA DIVIDIDA NO BC

Campos Neto interrompe cortes na Selic: em decisão unânime, Copom mantém a taxa básica de juros em 10,5% ao ano

19 de junho de 2024 - 18:39

A decisão vem em linha com as expectativas do mercado, que já esperava a manutenção após a deterioração do cenário fiscal brasileiro e as incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos

LOTERIAS

Enquanto a Mega-Sena acumula de novo, a Lotofácil faz o primeiro milionário da semana

19 de junho de 2024 - 5:43

Uma pessoa ganhou sozinha na Lotofácil e o prêmio da Mega-Sena está agora em R$ 60 milhões; enquanto isso, a Caixa Econômica Federal se prepara para sortear a Quina de São João

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar