🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Novo normal

Âncora fiscal de Lula e Haddad vai conseguir segurar a dívida? Saiba por que o economista do Itaú acha difícil

Para Mário Mesquita, nova âncora fiscal deve levar a uma melhora do gasto primário, mas seria insuficiente para deter o crescimento da dívida

Flavia Alemi
Flavia Alemi
15 de março de 2023
14:06 - atualizado às 12:54
Mario Mesquita Itaú
Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco - Imagem: Solange Macedo/Itaú

Independentemente do novo arcabouço fiscal que o governo Lula deve apresentar nos próximos dias, a expectativa do economista-chefe do Itaú, Mario Mesquita, é de que a dívida pública deve continuar crescendo.

“Todas as propostas acabam levando a uma melhora do gasto primário, mas insuficiente para deter o crescimento da dívida”, afirmou o economista durante coletiva de imprensa.

Para Mesquita, os critérios que devem orientar a nova política fiscal do governo devem se basear em simplicidade, previsibilidade e impositividade.

Isto significa, na sua visão, que a regra deve usar índices de referência observáveis e estimáveis, ter cláusulas de escape restritas e bem definidas, além de gatilhos automáticos que permitam apertar ou afrouxar a política fiscal.

O economista e ex-diretor do Banco Central acredita que o governo deve conseguir aumentar a arrecadação neste ano com novos impostos, que, acumulando, devem crescer 1%.

Ontem (14) a equipe econômica apresentou a proposta de nova âncora fiscal ao vice-presidente, Geraldo Alckmin, ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Segundo o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, Alckmin teve uma “reação muito boa”. A apresentação da proposta ao presidente Lula deve acontecer ainda nesta semana.

Juros e meta de inflação

Mesquita aproveitou a ocasião para se posicionar sobre o recente estranhamento entre o governo e o Banco Central, que teve a meta de inflação e a taxa de juros como pivô.

Apesar de alguns participantes do mercado defenderem o aumento da meta de inflação, Mesquita se mantém contra essa iniciativa.

“Não tem garantia nenhuma de que se subindo a meta de inflação o juro real médio irá cair. E também não tem garantia nenhuma que meta de inflação menor seja impossível de ser atingida”, disse.

Ele acredita que, como a discussão amornou nos últimos dias, o governo se convenceu de que não vale a pena comprar essa briga. 

Porém, Mesquita salientou que uma mudança positiva seria trocar a meta calendário por uma meta permanente. Para ele, isso retiraria incentivos tóxicos como segurar preços em determinado período para que o índice de inflação não se deteriore, algo comum em anos eleitorais.

O que o Itaú espera do Brasil em 2023

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve registrar crescimento de cerca de 1% neste ano, de acordo com as estimativas do Itaú. O setor que deve puxar essa alta é o agronegócio, que vem demonstrando força neste início de ano.

“Tem um tema de seca que vai afetar o PIB da Argentina e talvez afete um pouco a atividade agrícola no Rio Grande do Sul. Mas não estamos falando de seca mais ao norte do Brasil. Este é um cenário bom para o agro, pois os preços ficam sustentados e a produção deve ser bastante boa”, afirmou.

O empresariado como um todo, no entanto, se mostra mais cauteloso e em compasso de espera sobre as políticas econômicas do novo governo, que afetam as perspectivas de inflação e da taxa de juros.

Para o Itaú, o IPCA deve encerrar o ano em 6,1%, mas pode ficar mais perto de 6,6% caso o governo ceda a pedidos de governadores e aumente a alíquota do ICMS da gasolina.

O banco projeta que a Selic chegue ao final de 2023 em 12,5%, ou seja, uma redução de 1,25 ponto percentual em relação ao patamar atual de 13,75%. Os cortes estariam concentrados no final do ano.

Já o dólar deve estar no patamar de R$ 5,30, mas isso está mais relacionado a uma força da moeda americana do que a uma fraqueza do real, segundo a equipe do Itaú.

  • Você investe em ações, renda fixa, criptomoedas ou FIIs? Então precisa saber como declarar essas aplicações no seu Imposto de Renda 2023. Clique aqui e acesse um tutorial gratuito, elaborado pelo Seu Dinheiro, com todas as orientações sobre o tema.

Cenário externo

Para este ano, o economista-chefe do Itaú espera uma desaceleração econômica no mundo todo, o que deve reduzir as pressões inflacionárias. Mas a recente turbulência no mercado financeiro e no sistema bancário dos EUA trouxe incerteza sobre quais serão os próximos passos do Federal Reserve.

“Eles tinham sinalizado que iam fazer aumento de 0,5 ponto percentual. A gente acha que não tem mais espaço para isso e que a alta deve ser de 0,25”, disse Mesquita.

De acordo com o economista, para que haja um alívio da taxa de juros global, precisa haver uma melhora consistente dos números de inflação nos EUA, o que ainda não aconteceu.

Caso a crise bancária se confirme como restrita, Mesquita diz que não espera um corte na política monetária do Fed antes de 2024.

Compartilhe

Mudanças climáticas

Investimento verde é coisa de gringo, mas isso é bom para nós: saiba quais são as apostas ESG do investidor global no Brasil

17 de maio de 2024 - 6:33

Saiba para quais segmentos e tipos de negócios o investidor global olha no Brasil, segundo Marina Cançado, idealizadora de evento que aproximará tubarões internacionais com enfoque ESG do mercado brasileiro

LOTERIAS

Mega-Sena e Quina decepcionam de novo, mas Lotofácil faz 2 meio-milionários — e eles apostaram de um jeito diferente

17 de maio de 2024 - 5:42

Nenhum dos ganhadores da Lotofácil apostou em uma casa lotérica; na Mega-Sena e na Quina, os prêmios acumulados têm oito dígitos

E VEM MAIS POR AÍ

Uma ajuda extra da Receita: lote de restituição do Imposto de Renda para o Rio Grande do Sul supera R$ 1,1 bilhão

16 de maio de 2024 - 19:46

Além de incluir os gaúchos no primeiro lote de restituição, a Receita promoverá medidas para ajudar o contribuinte do estado castigado pelas enchentes

LOTERIAS

Lotofácil faz 2 meio-milionários, Quina acumula de novo e Mega-Sena oferece prêmio turbinado

16 de maio de 2024 - 5:58

Lotofácil sai para uma aposta comum e para um apostador “teimoso”; concurso de final 5 turbina prêmio da Mega-Sena

LOTERIAS

Bolão fatura Lotofácil e faz 4 milionários de uma vez só; Mega-Sena acumula e prêmio dispara

15 de maio de 2024 - 6:02

A Lotofácil estava acumulada ontem, o que engordou o prêmio da “máquina de milionários”; Quina acumulou de novo

MULTIMERCADOS

Ex-colega de Campos Neto no BC, gestor da Itaú Asset aposta em Copom mais rígido com os cortes na Selic daqui para frente

14 de maio de 2024 - 19:58

Ex-diretor de política monetária do BC entre 2019 e 2023 — sob o comando de RCN —, o economista Bruno Serra revelou o que espera para os juros no Brasil

LANCE REVISADO

Ata do Copom mostra divisão mais sutil entre Campos Neto e diretores escolhidos por Lula

14 de maio de 2024 - 10:18

Divergência entre os diretores do Banco Central se concentrou no cumprimento do forward guidance, mas houve concordância sobre piora no cenário

DE OLHO NAS REDES

Adeus, Campos Neto: logo a presidência do Banco Central deve ir para as mãos de um indicado de Lula — “o telefone vermelho vai tocar”

13 de maio de 2024 - 18:06

Campos Neto logo deixará a presidência do Banco Central. Quais são os riscos de um indicado de Lula tomar o lugar?

PESQUISA FOCUS

Projeção para Selic volta a subir após bola dividida no Copom a poucos meses da saída de Campos Neto

13 de maio de 2024 - 10:59

Estimativa para Selic no fim de 2024 sobe pela segunda semana seguida na Focus depois de Campos Neto ter precisado desempatar votação

SAINDO DO VERMELHO

Desenrola para MEI começa amanhã — e aqui está tudo o que você precisa saber para renegociar dívidas no Descomplica Pequenos Negócios

12 de maio de 2024 - 16:00

Não há limite para os valores das dívidas, mas só será possível renegociar débitos não pagos até 23 de janeiro deste ano

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar