ESQUEÇA BITCOIN: outra criptomoeda de R$ 4 pode valer R$ 80 em breve; conheça aqui

Cotações por TradingView
2022-12-05T20:15:51-03:00
Carolina Gama
HORIZONTE NUBLADO

O que será do PIB? Conheça os vilões que farão a economia brasileira desacelerar ainda mais daqui pra frente

No terceiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 0,4% — uma desaceleração se comparada à expansão de 1,2% dos três meses anteriores

1 de dezembro de 2022
14:03 - atualizado às 20:15
pib
Imagem: Shutterstock

A economia brasileira desacelerou no terceiro trimestre. O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 0,4% entre julho e setembro, depois de uma expansão bem mais forte, de 1,2% nos três meses anteriores. Além de mais fraco, o desempenho também veio abaixo do avanço de 0,6% que o mercado esperava. 

Os dados, divulgados nesta quinta-feira (01), estão no espelho retrovisor. Só que, olhando para o horizonte da economia brasileira, as notícias não são melhores. A tendência é de que o processo de desaceleração continue. 

Segundo o Itaú, o enfraquecimento do PIB no terceiro trimestre era esperado e é um sinal de desaceleração no segundo semestre, devido à redução da renda disponível e ao efeito defasado da política monetária contracionista

E essa mesma política monetária contracionista — aqui e no exterior — deve continuar pressionando a economia brasileira.

“Continuamos vislumbrando uma desaceleração da demanda doméstica em componentes cíclicos, decorrente principalmente da esperada desaceleração da economia global e dos efeitos de uma política restritiva do banco central”, disse o Santander. 

Entre os fatores externos que devem pesar sobre o PIB brasileiro daqui para frente estão a inflação nos EUA, que vem forçando o Federal Reserve (Fed) a ser agressivo no aumento da taxa de juro por lá; a guerra entre Rússia e Ucrânia, que pressiona o preço das commodities como grãos e petróleo; e a política de covid zero da China.

Olhando o PIB do terceiro trimestre mais de perto

O avanço de 0,4% registrado no terceiro trimestre ante o segundo trimestre fez o PIB do Brasil ficar 4,5% acima do nível do quarto trimestre de 2019, no período pré-pandemia de covid-19, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Embora tenha desacelerado, o PIB brasileiro alcançou no terceiro trimestre o maior patamar da série histórica, iniciada em 1996.

Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o PIB apresentou alta de 3,6% entre julho e setembro, em linha com a mediana das previsões.

Ainda segundo o IBGE, o PIB do terceiro trimestre de 2022 totalizou R$ 2,5 trilhões.

Dessa vez, o agronegócio não ajudou

Por diversas vezes o setor agropecuário livrou a economia brasileira de um desempenho ruim. Mas, no terceiro trimestre deste ano, a história foi outra. 

O PIB do setor caiu 0,9% nos três meses encerrados em setembro ante o trimestre anterior. Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o PIB da agropecuária subiu 3,2%.

“O recuo de 0,9% do setor agropecuário na comparação trimestral foi a principal surpresa para baixo nas projeções”, disse o Bank of America, que atribuiu o desempenho ruim à redução da produção de cana-de-açúcar e mandioca, somada às questões climáticas que impactaram a cultura da soja. 

Do lado da indústria, o PIB subiu 0,8% no terceiro trimestre ante o segundo. Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o PIB da indústria avançou 2,8%.

Mas, se a agropecuária surpreendeu negativamente entre julho e setembro, o mesmo não aconteceu com os serviços. O Produto Interno Bruto do setor subiu 1,1% em base trimestral e 4,5% em termos anuais. 

Já o consumo das famílias subiu 1% no terceiro trimestre de 2022 ante o segundo. Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o consumo das famílias mostrou alta de 4,6%.

“O desempenho da economia no terceiro trimestre teve contribuições positivas dos principais setores econômicos do lado da oferta (serviços e indústria), e do lado da demanda, com impulsos positivos dos três principais componentes da demanda doméstica”, disse o Goldman Sachs, em nota. 

Os gastos do governo, por sua vez, subiram 1,3% no terceiro trimestre de 2022 ante o segundo trimestre de 2022. Na comparação com o terceiro trimestre de 2021, o consumo do governo mostrou alta de 1%, de acordo com o IBGE.

Pandemia ainda deixa rastros: IBGE revisa PIB de 2021

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revisou o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2021 para uma alta de 5,0%, ante o avanço de 4,6% estimado anteriormente. 

As revisões foram feitas junto dos resultados das Contas Nacionais Trimestrais do terceiro trimestre, incorporando os dados definitivos do PIB anual de 2020, anunciados mês passado. Com os dados anuais, o IBGE revisou a retração do PIB de 2020 para 3,3%, ante a queda de 3,9% calculada anteriormente.

Segundo Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, as revisões anunciadas este ano foram maiores do que o padrão das rotinas do órgão de estatísticas porque o PIB anual de 2020 captou o auge dos efeitos da pandemia de covid-19.

Com isso, o peso da agropecuária no valor adicionado do PIB passou de 4,9% em 2019 para 8,8% em 2021. Ao mesmo tempo, o peso dos serviços foi de 73,3% em 2019 para 67,6% em 2021.

Segundo Rebeca, órgãos de estatística de todo o mundo enfrentaram dificuldades na mensuração do PIB em meio à pandemia. Além disso, não é possível avaliar, atualmente, se as mudanças trazidas pela crise sanitária vieram para ficar ou serão temporárias.

A pesquisadora do IBGE destacou que, por isso, as revisões de 2021 afetaram com mais intensidade também as componentes do PIB de 2021. Confira as mudanças: 

  • Agropecuária: de -0,2% para +0,3% 
  • Indústria: de +4,5% para +4,8% 
  • Serviços: de +4,7% para +5,2%

O PIB do quarto trimestre de 2021 sobre o terceiro do ano passado foi para uma alta de 0,9%, contra 0,8% antes. Já o PIB do terceiro trimestre de 2021 ante o segundo do ano passado foi revisado para uma alta de 0,4%, ante o ligeiro avanço de 0,1% calculado antes.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

DIAGNÓSTICO

Brasil tem grande potencial de expansão em bens domésticos, diz CEO da Magazine Luiza (MGLU3)

4 de fevereiro de 2023 - 16:34

Luiza Trajano, do Magazine Luiza (MGLU3), falou durante o Brazil Conference, em Lisboa

MUNDIAL DE CLUBES

Flamengo conhece adversário na semifinal do Mundial de Clubes da Fifa; confira a data e o horário do jogo

4 de fevereiro de 2023 - 14:35

Veja também o caminho do Flamengo no Marrocos e onde assistir aos jogos do rubro-negro na busca pelo Mundial de Clubes

INSTABILIDADE

Pix fica fora do ar e usuários reclamam nas redes sociais

4 de fevereiro de 2023 - 12:11

A maioria das instabilidades no Pix aconteceu na sexta-feira (3) à noite, mas muitos clientes ainda reclamam por não conseguirem usar o serviço

O CERCO VAI APERTANDO

Oi (OIBR3) deve R$ 35 bilhões e corre risco de sofrer intervenção direta da Anatel

4 de fevereiro de 2023 - 9:55

O presidente da Oi (OIBR3) deve ser chamado para prestar esclarecimentos sobre a situação da empresa nos próximos dias

Aperta o play!

Além da Americanas (AMER3): a fila de empresas endividadas aumenta com Oi (OIBR3), Light (LIGT3) e CVC (CVCB3)

4 de fevereiro de 2023 - 8:11

A Americanas está numa situação financeira crítica, mas outras empresas da bolsa, como a Oi, também estão em maus lençóis. O que explica?

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies