Rodolfo Amstalden
Exile on Wall Street
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
2022-06-30T11:11:52-03:00
EXILE ON WALL STREET

O preferido nas eleições: Confira três dicas para se garantir na briga pela última vaga do G4

Por aqui, a Terceira Via perdeu o timing da candidatura, de modo que nos resta apenas mais do mesmo, seja com Lula ou com Bolsonaro

30 de junho de 2022
11:11
Montagem com fotos de Lula e Jair Bolsonaro
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A primeira determinante sobre os ativos de risco locais é a trajetória do juro americano.

A segunda determinante é a política monetária dos EUA.

E a terceira determinante é Jerome Powell.

“Ah, mas e as eleições?”.

Generosamente, vamos colocar a corrida presidencial em quarto lugar, ainda classificando direto, mas correndo risco de ir para a pré-Libertadores.

Três insights úteis

Antes de seguir em frente, deixo claro que não tenho ideologia e não sou cientista político; já me bastam as frustrações de torcer para a Ponte Preta (rumo à série C) e para as ciências econômicas (rumo à Escola de Artes Cênicas).

Reporto aqui simplesmente o que tenho aprendido em conversas com profissionais de perfil técnico, apartidários, que realmente entendem do assunto.

São três insights simples e úteis para evitarmos ilusões de esperança ou de desastre com o próximo mandato.

1) Disputa acirrada

Embora algumas pesquisas hoje flertem com a possibilidade de Lula vitorioso no 1º turno, o curso natural das coisas deve levar a um rápido estreitamento da vantagem em relação a Bolsonaro.

Talvez algo como 5 pontos de distância, no 2º turno, com um tail risk (cisne cinza) de virada na última hora.

Será vantagem mais folgada se a Terceira Via embarcar rapidamente com Lula (sobretudo Ciro) e tail risk mais gordo se o Pacote de Bondades influenciar substancialmente os votos do Nordeste.

Em tese, a disputa acirrada favorece uma guinada ao Centro de ambos os candidatos, tanto no discurso de campanha quanto no começo do mandato.

2) Paralisia presidencial

Seja quem for o vencedor, não conseguirá fazer muito – nem para o extremo bem e nem para o extremo mal.

Tomando por base o favoritismo de Lula, teremos o choque de um hiper-presidencialista com o hiper-parlamentarista Arthur Lira.

Os parcos graus de liberdade orçamentária vêm sendo progressivamente capturados pelo Congresso, com boas chances de incluir agora as chamadas “emendas de relator”, em montante adicional de R$ 19 bi.

O último presidente a passar reformas com facilidade era um parlamentar nato (Michel Temer).

Não estamos mais no Brasil de 2003-2010, o que nos leva ao último insight.

3) Nave rumo ao passado 

Acreditava-se que D. Sebastião voltaria para salvar o Reino de Portugal de todos os problemas desencadeados após o seu desaparecimento.

Para a sorte dos portugueses, ele não voltou, e novas lideranças puderam se manifestar.

Por aqui, a Terceira Via perdeu o timing da candidatura, de modo que nos resta apenas mais do mesmo, seja com Lula ou com Bolsonaro.

O favorito até agora

Por ora, Lula é favorito.

Nas sábias palavras de Stuhlberger, durante o aniversário de 25 anos do Verde: “se o Lula repetir 2003-2010, teremos mais inflação e estaremos numa nave rumo ao passado”.

Revivendo o passado, podemos adiantar suas consequências mais facilmente, levantando as proteções necessárias.

Ou podemos ir para cima dos alemães na semifinal, alegria nas pernas pra que te quero.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Todos os olhos e ouvidos do Ibovespa voltados para a inflação de hoje enquanto as bolsas internacionais aguardam os dados dos EUA

9 de agosto de 2022 - 7:43

Os índices internacionais aguardam os números de inflação dos EUA, que só devem ser conhecidos na quarta-feira

Balanço

BTG Pactual (BPAC11) tem lucro de R$ 2,175 bilhões no 2T22 e renova recorde

9 de agosto de 2022 - 7:26

Lucro líquido recorrente de R$ 2,175 bilhões do BTG no segundo trimestre representa um avanço de 26,5% em relação ao mesmo período de 2021

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Um mundo tomado pela inflação: entenda ao que é preciso prestar atenção para saber se os preços vão finalmente parar de subir

9 de agosto de 2022 - 6:10

O processo de normalização dos preços será fundamental para que consigamos ter maior previsibilidade quanto ao futuro dos ativos de risco

COMBUSTÍVEIS

Mudou de ideia? Bolsonaro diz que política de paridade de preços da Petrobras (PETR4) pode ser mantida como está

8 de agosto de 2022 - 20:43

Bolsonaro anunciou que vai manter os impostos federais dos combustíveis zerados no próximo ano

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) perde um pouco de tração, mas segue operando em alta; saiba o que mexe com a maior criptomoeda do mundo

8 de agosto de 2022 - 20:04

O destaque do dia foi para o ethereum (ETH), mas não pela alta de preços e sim pelo volume negociado nas últimas 24h

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies