O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

Exile on Wall Street
Fernando Ferrer
2022-02-09T11:25:59-03:00
EXILE ON WALL STREET

Most valuable player: Grupo SBF (SBFG3) se tornou líder varejista de produtos esportivos da América Latina e ainda pode crescer mais; entenda

Assim como o atleta Tom Brady, o SBF não quer parar. A companhia segue em busca de oportunidades com o intuito de se tornar o grande ecossistema do esporte brasileiro

9 de fevereiro de 2022
11:25
Desenho de homem subindo escada como metáfora para liderança
Imagem: Shutterstock

É líder. 

É reconhecido como o melhor de sua categoria.

Entregou resultados consistentemente nos últimos anos. 

Atua em um segmento que se popularizou no país.

Conta com fãs que têm grande admiração pelo que foi conquistado.

Mostrou poder de superação nos momentos difíceis.

Se reinventou. 

Ainda tem muito potencial.

Não se engane

Não, não estou falando de Tom Brady, que muitos conhecem como o marido da Gisele Bündchen. 

Depois de duas décadas em alto nível, sete Super Bowls conquistados e reconhecimento mundial como o melhor de todos os tempos, o atleta se aposentou nesta última semana.

Acredito que muitos não acompanham o futebol americano e, por isso, podem não ter pegado exatamente as referências, mas muito provavelmente já passaram por uma loja da Centauro ou possuem um produto da Nike.  

Líder varejista

Atualmente com 224 lojas físicas e presente em 25 estados e no Distrito Federal, o Grupo SBF (SBFG3) é líder varejista de produtos esportivos da América Latina. 

Seu ecossistema conta com as marcas Centauro, Fisia e NWB — pilares que a diferenciam dos competidores.

Por atuar em um segmento muito fragmentado e dada a qualidade da execução, a companhia tem crescido de forma acelerada. 

De uma receita de R$ 200 milhões em 2003, a companhia deve fechar 2021 com um faturamento superior a R$ 5 bilhões, dos quais metade das vendas foram omnichannel, em que a experiência do consumidor flutua entre o online e offline.

Mercado de atuação resiliente

Sobre o mercado de atuação, o varejo de artigos esportivos historicamente tem apresentado mais resiliência quando comparado com o varejo tradicional, em função de ser um mercado de nicho, da maior preocupação das pessoas pela saúde e bem-estar e do “athleisure” — utilização de roupas esportivas no dia a dia. 

Para se ter uma ideia, o Brasil é o segundo lugar no ranking mundial em números de academias, ficando atrás apenas dos EUA. 

Com amplo espaço de crescimento, a prática de esporte de forma recorrente vem se tornando mais frequente entre os brasileiros.

Desempenho em pandemia

No auge da pandemia, a companhia mostrou seu poder de superação e agilidade para gestão de crise. 

Como grande parte das lojas estão localizadas em shoppings, esforços para redução de despesas e reforço de liquidez foram cruciais para que os efeitos adversos fossem minimizados e para se preparar para um novo cenário.

O histórico de quatro décadas no setor foi crucial para que a companhia adquirisse a Fisia, distribuidora oficial da Nike no Brasil, em 2020, alçando-a a um novo patamar. 

Importância da Fisia 

Com o selo da maior marca esportiva do mundo e a operação de inteligência da SBF, a empresa se reinventou e já foi possível capturar sinergias de receitas e despesas importantes, de modo que a Fisia já representa mais da metade do faturamento do grupo, além de ter margens atrativas.

Embora aposentado dos campos, Tom Brady não parou. O agora ex-atleta possui uma série de avenidas de crescimento por meio de suas investidas, todas dentro do seu círculo de competências: o esporte. 

No Grupo SBF (SBFG3) não é diferente. Com o intuito de se tornar o grande ecossistema do esporte brasileiro, a companhia segue em busca de oportunidades nas mais variadas frentes. 

Entre elas, para os amantes da corrida, o app Crava é um bom incentivador das práticas esportivas e dos hábitos de compras a preços mais convidativos.

Forte abraço,
Fernando Ferrer

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies