🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
FECHAMENTO DO DIA

Urso bate à porta de Wall Street: Dow Jones desaba e S&P 500 fecha no menor nível do ano; entenda o que está por trás da queda

Europa não escapa do dia de fúria, com os sinais de recessão da economia britânica derrubando as bolsas do continente e fazendo a libra atingir o menor nível em quase 40 anos

Selo Mercados Urso Baixa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O urso bateu à porta de Wall Street nesta sexta-feira (23) e o Dow Jones abriu: um dos principais índices da bolsa de Nova York caiu para uma nova mínima do ano e entrou em bear market, como é chamado o território de baixa. 

O índice de 30 ações caiu mais de 800 pontos na sessão de hoje, ficando abaixo de 30 mil pontos — um nível 20% menor do que seu pico.

E engana-se quem acha que o Dow Jones recebeu a ilustre visita do urso sozinho: o S&P 500, que terminou o dia no menor nível do ano e do Nasdaq chegou a cair mais de 3%. 

Confira a variação e a pontuação dos principais índices da bolsa dos EUA no fechamento:

  • Dow Jones: -1,61%, 29.591,47 pontos
  • S&P 500: -1,72%, 3.693,31 pontos
  • Nasdaq: -1,80%, 10.867,93 pontos

Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq: por trás da queda

Uma onda de vendas tomou conta de Wall Street hoje, liderada pelas perdas na casa de 9% do setor de energia, em meio a temores de que uma recessão mais profunda esteja no horizonte da economia norte-americana. 

Esses temores de recessão se intensificaram depois que o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, sinalizou que o banco central dos EUA segue firme na missão de conter a inflação, ainda que isso custe o crescimento econômico.

Mais cedo, Powell voltou a discursar, reafirmando que o Fed usará todas as ferramentas necessárias para trazer a inflação para perto da meta de 2% no longo prazo. 

Em outras palavras: a autoridade monetária deve continuar com a política agressiva de aumento de juro até que esteja convencida de que a alta de preços finalmente está dando uma trégua.

Na quarta-feira (21), o banco central norte-americano elevou a taxa básica em 0,75 ponto percentual (pp) pela terceira vez seguida. Saiba mais sobre essa decisão. 

Câmbio e Treasury

Não foi só o Dow Jones, o S&P 500 e o Nasdaq que sentiram os efeitos do temor de uma possível recessão nos EUA. 

O juro projetado pelos títulos de dívida do governo dos EUA dispararam nesta semana após o Fed, com as taxas dos papéis de 2 e 10 anos atingindo níveis nunca vistos em mais de uma década.

As ações posicionadas para sofrer mais em uma recessão lideraram as perdas desta semana com o setor discricionário de consumo do S&P 500 com queda de 7%. 

Energia caiu mais de 9% com a queda dos preços do petróleo. As ações em crescimento, incluindo grandes nomes de tecnologia como Apple, Amazon, Microsoft e Meta também afundaram hoje.

A Europa abriu a porta pro urso?

As principais bolsas europeias mantiveram as portas fechadas, mas encerraram o dia em forte queda, com os investidores digerindo decisões de política monetária e um novo plano econômico do Reino Unido.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 2,3%, com todos os setores sendo negociados no vermelho.

  • Londres: -1,97%
  • Paris: -2,28%
  • Frankfurt: -1,97%

As ações do setor de petróleo e gás e de recursos básicos foram as mais afetadas, ambas com queda de mais de 5%.

Os movimentos do mercado ocorrem depois que o governo do Reino Unido anunciou uma série de cortes de impostos, enquanto o país se prepara para uma recessão. A libra caiu 3% em relação ao dólar, para US$ 1,0919, nas horas seguintes à notícia.

O Banco da Inglaterra elevou o juro  em 0,50 ponto percentual na quinta-feira (22) — o sétimo aumento consecutivo —  e disse acreditar que a economia do Reino Unido já está em recessão.

Compartilhe

TOUROS E URSOS

O enigma da Petrobras (PETR4): entre dividendos e “risco Lula”, vale a pena ter ações da estatal?

14 de abril de 2024 - 7:45

Ruído da intervenção do governo impede a Petrobras de negociar no patamar de companhias como Chevron e Exxon, segundo analista

TEMPESTADE PERFEITA

Como a escalada das tensões no Oriente Médio derruba as ações da Azul (AZUL4) e da Gol (GOLL4) na B3

12 de abril de 2024 - 16:10

A crise geopolítica pressiona as cotações do petróleo e do dólar, o que afeta os negócios das companhias aéreas

RISCO GLOBAL

Dólar bate em R$ 5,14  e atinge maior nível em seis meses — e aqui estão três motivos para a disparada da moeda norte-americana hoje 

12 de abril de 2024 - 13:25

O dólar também se valoriza ante as divisas globais; as cotações do petróleo e do ouro renovam máximas históricas

VEJA O QUE DIZ A COMPANHIA

Ações da JHSF (JHSF3) tombam 7% na B3; empresa se pronuncia após embargo do Complexo Boa Vista

12 de abril de 2024 - 12:12

A companhia afirmou, em comunicado enviado à CVM mais cedo, que seus advogados avaliam o “sentido e alcance” da liminar expedida na última quinta-feira

DESTAQUES DA BOLSA

Plano & Plano (PLPL3) despenca mais de 7% e registra maior queda da bolsa após prévia operacional; veja os números que desagradaram o mercado

12 de abril de 2024 - 11:33

O forte recuo é uma reação a números considerados neutros por parte dos analistas das principais casas brasileiras

NOVO FOCO DE INCÊNDIO

O cabo de guerra na Petrobras (PETR4) já tem um vencedor? Justiça suspende presidente do conselho de administração — e a estatal promete recorrer da decisão 

12 de abril de 2024 - 10:11

A suspensão de Pietro Mendes enfraquece o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, que é um dos pivôs da crise no comando da petroleira

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa entra no barril de pólvora do Oriente Médio e cai mais de 1%; dólar vira abrigo e fecha a R$ 5,12

12 de abril de 2024 - 6:45

RESUMO DO DIA: Não bastasse a semana agitada por dados de inflação, os mercados acionários entraram em modo de alerta com a escalada das tensões no Oriente Médio — e o Ibovespa não conseguiu ignorar o tom negativo do dia.  O principal índice da bolsa brasileira fechou em queda de 1,14%, aos 125.946 pontos. Na […]

DINHEIRO NOVO

Americanas (AMER3) chama acionistas para aprovar injeção de capital bilionária liderada por Lemann e bancos credores

11 de abril de 2024 - 10:07

Acionistas vão aprovar aumento de capital que pode chegar a R$ 41 bilhões. Lemann e bancos se comprometeram a colocar R$ 24 bilhões na varejista

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha a R$ 5,09, o maior nível em um ano; Ibovespa cai com petróleo e juros nos EUA no radar

11 de abril de 2024 - 6:48

RESUMO DO DIA: As ondas da inflação nos Estados Unidos continuaram agitando os mares dos mercados com a incerteza sobre a trajetória dos juros da maior economia do mundo e abalou o navio brasileiro mais uma vez. O Ibovespa fechou em queda de 0,51%, aos 127.396 pontos. Já o dólar se fortaleceu e terminou a […]

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar sobe mais de 1% e Ibovespa recua após inflação acima do esperado nos EUA

10 de abril de 2024 - 6:52

RESUMO DO DIA: A ‘Super Quarta’ da inflação finalmente chegou e deu o tom negativo aos mercados, em dia de alta das commodities. O Ibovespa fechou em baixa de 1,41%, aos 128.053 pontos. Já o dólar zerou as perdas da semana e terminou o dia a R$ 5,0784, com alta de 1,41% no mercado à […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies