🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-05-27T17:49:49-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
AGORA VAI?

Eletrobras (ELET3) entra com pedido de oferta de ações para privatização de até R$ 35 bilhões; papéis recuam mais de 1%

Se tudo correr bem para o governo, a privatização da Eletrobras estará concretizada ainda na primeira quinzena de junho

27 de maio de 2022
10:13 - atualizado às 17:49
Fachada da Eletrobras (ELET3), que deve ter sua privatização analisada pelo TCU
Fachada da Eletrobras (ELET3) - Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

A megaoferta de ações que marcará a privatização da Eletrobras (ELET3) já tem data marcada. A operação poderá movimentar até R$ 35 bilhões, com base nas cotações de fechamento das ações ontem e caso sejam vendidos todos os lotes.

A oferta da Eletrobras será inicialmente de 697.476.856 ações. A maioria dos recursos (R$ 26,7 bilhões) irá para o caixa da companhia e outros R$ 3 bilhões irão para o governo, que venderá 69.801.516 papéis da BNDESPar.

Dependendo da demanda do mercado, a operação ainda pode contar com a venda de um lote suplementar equivalente a 15% do total de ações.

A emissão das novas ações e a venda dos papéis da BNDESPar vai diluir a participação da União na estatal para menos de 50%. Se tudo correr bem para o governo, a privatização da Eletrobras estará concretizada ainda na primeira quinzena de junho.

O período de reserva para os investidores interessados em comprar as ações da Eletrobras vai de 3 a 8 de junho. A definição do preço por ação acontece em 9 de junho, e o início das negociações dos papéis começa no dia 13.

Por mais que uma "inundação" de ações ELET3 esteja a caminho, o mercado teve uma reação ligeiramente positiva ao avanço na privatização da Eletrobras: por volta de 11h desta sexta-feira (27), os papéis ON da companhia operavam em alta de 0,48%, a R$ 44,21.

O otimismo, no entanto, não durou muito e as ações ELET encerraram o dia com queda de 1,23%, cotadas a R$ 43,46.

Eletrobras (ELET3): como era — e como pode ficar

Em termos de estrutura, a União detém hoje 51,8% das ações ordinárias da Eletrobras (ELET3); o BNDESPar é dono de outros 16,8% e fundos do governo possuem mais 3,62% — a soma das partes é de pouco mais de 72%. O restante está em livre circulação no mercado, diluído entre os acionistas minoritários.

Os papéis ON, por sua vez, são 82,15% do capital social da Eletrobras; as ações PNB (ELET6) respondem pelos 17,85% restantes — mas, nesse caso, a União e o BNDESPar são donos de apenas 13,2% dos ativos.

Considerando todo o capital social da Eletrobras, a União é dona de 42,57% da empresa; BNDES e BNDESPar, juntos, detém outros 16,14% — a soma dessas partes, assim, corresponde a 58,71% e caracteriza o controle estatal da companhia.

Mas e se a oferta de ações for bem sucedida, com a emissão de novos papéis e a venda de parte dos papéis detidos pelo BNDESPar? Bem, há dois casos a serem analisados — com e sem o lote suplementar, equivalente a 15% do volume original planejado pela Eletrobras.

Caso 1: sem o lote suplementar

  • União: 34,85% das ações ELET3, 30,41% do capital social total
  • BNDES/BNDESPar: 7,64% das ações ELET3, 8,36% do capital social total
  • Livre circulação no mercado: 52,09% das ações ELET3, 55,13% do capital social total

Caso 2: com o lote suplementar

  • União: 33,05% das ações ELET3, 29,02% do capital social total
  • BNDES/BNDESPar: 7,25% das ações ELET3, 7,97% do capital social total
  • Livre circulação no mercado: 56,46% das ações ELET3, 58,84% do capital social total

Ou seja: mesmo se o lote suplementar não for colocado à venda, o governo deixará de ser o controlador da Eletrobras — em ambos os cenários, mais de 50% do capital social da companhia estará em livre circulação no mercado, caracterizando a pulverização do controle e a diluição da União e do BNDES/BNDESPar.

Eletrobras (ELET3): uso dos recursos

Além da privatização em si, a oferta de ações da Eletrobras será útil para encher os cofres da companhia — estamos falando de mais de R$ 26 bilhões, de acordo com o fechamento da última quinta (26). E o que a empresa pretende fazer com todo esse dinheiro?

Segundo as informações contidas no prospecto da operação, todos os recursos levantados servirão para quitar os compromissos referentes aos contratos de concessão de geração elétrica. Ao todo, 22 usinas serão devidamente enquadradas: oito de Furnas, três da Eletronorte e 11 da Chesf.

Vale lembrar, no entanto, que o preço da oferta ainda não foi fechado — ele será definido após um processo de coleta de intenções junto aos interessados. Sendo assim, a depender da demanda, o valor final pode ser maior ou menor que o da cotação de referência; um aumento ou redução de R$ 1,00 no preço por ação implica num impacto de cerca de R$ 626 milhões no montante final.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

FRUTOS DO CASAMENTO

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) apresentam relação de troca final de ações; veja quanto os acionistas receberão

Mais cedo, a Superintendência-Geral do Cade aprovou, sem restrições, a venda de parte da frota da Unidas para o Grupo Brookfield, dono da locadora Ouro Verde

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) faz malabarismo para enfrentar volatilidade e seguir acima de US$ 20 mil; confira cotações

O cenário macroeconômico pesou no universo cripto e se juntou à falta de liquidez, exercendo importante fonte de pressão

AGRO EM ALTA

Governo oferecerá mais de R$ 340 bilhões para produtores rurais no novo Plano Safra; valores entram em vigor em julho

O programa do governo federal prevê o direcionamento de recursos públicos para financiar e apoiar a agropecuária nacional

O SOL HÁ DE BRILHAR MAIS UMA VEZ

Cemig (CMIG4) amplia presença em energia solar em negócio milionário; confira os detalhes do negócio

A transação envolve três usinas fotovoltaicas e reforça a estratégia da companhia de crescimento sustentável no mercado de geração distribuída

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa abaixo dos 100 mil novamente, presidente da Caixa pede demissão e o salvador do mundo cripto; confira os destaques do dia

As últimas semanas parecem ter inaugurado um novo modus operandi no mercado financeiro: não há boa notícia ao amanhecer que perdure até o anoitecer.  Alta de commodities, alívio no cenário fiscal, retomada econômica chinesa. Pode escolher a sua arma, nada parece forte o suficiente para enfrentar o temor de uma recessão global e de um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies