Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-17T17:00:10-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

17 de outubro de 2021
17:00
Foto mostrando um parque eólico da Omega Geração (OMGE3). A empresa está discutindo uma fusão com a Omega Distribuição
Imagem: Divulgação

Quase sempre, operações de fusão e aquisição são comemoradas pelo mercado: muito se fala nos ganhos de sinergia, no potencial de expansão das atividades e outras vantagens a serem destravadas. No caso da Omega Geração (OMGE3), a história se repetiu — analistas aplaudiram o anúncio de união com a Omega Distribuição. Só que, no lado dos acionistas, a história não tem sido bem essa.

Na noite de sexta-feira (15), um grupo de importantes investidores da Omega Geração se juntou para questionar, via carta, os termos do acordo com a distribuidora. Não estamos falando de acionistas quaisquer: o documento é assinado por Aberdeen, Compass, Icatu, IP Capital, Larus, Oceana, Squadra, Truxt e Verde Asset — fundos que, em conjunto, detém 28,6% das ações OMGE3.

"Em que pesem as potenciais sinergias e alavancas de criação de valor advindas da combinação de negócios, o grupo de acionistas considera que a relação proposta falha em capturar o valor correto da Omega Geração, bem como não incorpora os desafios que surgem com a combinação com a Omega Distribuição", dizem os fundos, ressaltando que pretendem votar contra a operação na assembleia de acionistas do dia 28 caso os termos se mantenham inalterados.

Vale lembrar que a união já teve suas condições revisadas, atendendo às pressões dos minoritários. Originalmente, os acionistas da Omega Geração ficariam com 74,35% da empresa combinada — o percentual subiu para 80%. Ainda assim, os fundos de investimento consideram que a participação está desbalanceada.

Na carta, o grupo de acionistas destaca que a Omega Geração é "um ativo único e irreplicável", uma vez que sua escala e posicionamento no setor de energia limpa a colocam "numa condição ímpar" para capturar as oportunidades que estão por vir com a abertura do mercado livre de energia para os consumidores de baixa tensão.

Outros pontos de valor elencados pelos fundos incluem:

  • Liquidez elevada;
  • Preocupação com aspectos ESG;
  • Ausência de acionista controlador;
  • Crescimento de baixo risco via ativos operacionais.

"Nesse contexto, o grupo de acionistas considera que a avaliação da Omega Geração sem consideração de valor para os atributos acima descritos subestima materialmente o valor real da companhia", escrevem os fundos.

Dito isso, os investidores pedem por mais uma reavaliação no valuation da Omega Geração e da Omega Distribuição, com uma mudança na relação de troca entre as companhias. O objetivo é chegar a uma estrutura em que os atuais detentores de OMGE3 fiquem com uma fatia ainda maior da nova empresa, de 83,09% — o que, para os fundos, é a proporção correta e que não implica em perda de valor.

Omega Geração (OMGE3): resposta aos acionistas

A Omega já emitiu uma resposta oficial aos questionamentos dos fundos. Também em carta, a empresa diz prezar pela transparência na condução desse processo e lembra que a união proposta foi recomendada por analistas de investimento e de governança corporativa.

Quanto à avaliação das empresas em si, a Omega Geração destaca que os acionistas minoritários têm papel de protagonismo na operação, mas que, ao mesmo tempo, devem ter a responsabilidade de defender os interesses da empresa, avaliando os méritos e riscos da proposta.

"Essas reflexões foram ponderadas de forma profunda e diligente pelos conselheiros independentes e assessores da Omega Geração e divididos com o mercado as informações, processos, avaliações e recomendações", afirma a companhia, ressaltando que a correspondência dos fundos será encaminhada à Omega Distribuição — mas lembrando que não há qualquer obrigação por parte da distribuidora de aceitar os termos propostos.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

DINHEIRO NA CONTA

Dividendos: Vibra (VBBR3) distribui R$ 148,5 milhões em JCP

Valor refere-se à segunda parcela de pagamento aos acionistas anunciado quando a Vibra ainda atendia como BR Distribuidora

Rumo aos dois dígitos

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 9,25%

Aumento da taxa básica dispara gatilho de mudança na forma de remuneração da poupança. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

BC aumenta a Selic, Nubank conclui IPO e mercado reage bem à PEC dos precatórios; veja o que marcou esta quarta-feira

Conforme esperado pelos economistas após dados recentes mais fracos da atividade econômica brasileira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 1,5 ponto percentual, a 9,25% ao ano, em sua última reunião do ano. Se em muitos momentos ao longo de 2021 o mercado acionário reagiu ao […]

2022 MAIS GORDO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) engrossa a lista de pagamentos milionários aos acionistas; não fique fora dessa

Data da remuneração ainda não foi definida pela empresa, mas valerá para aqueles com posição até 30 de dezembro deste ano

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies