Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-01T19:00:39-03:00
Larissa Vitória
E-commerce roxo

Prestes a fazer IPO, Nubank compra fintech de pagamentos Spin Pay

Aquisição de startup focada em pagamentos instantâneos para o e-commerce, incluindo o Pix, marca a chegada do Nubank no varejo eletrônico.

30 de agosto de 2021
16:17 - atualizado às 19:00
Cartão e aplicativo do Nubank
A Spin Pay oferece facilidades a clientes e varejistas, entre elas o uso do Pix como forma de pagamento no checkout. - Imagem: Shutterstock

Após chamar atenção do mercado com planos para uma oferta pública inicial (IPO, da sigla em inglês) bilionária até o final deste ano, o Nubank volta aos noticiários nesta segunda-feira (30) com a compra da fintech Spin Pay.

A aquisição da startup focada em pagamentos instantâneos para o e-commerce, incluindo o Pix, marca a chegada do Nubank no varejo eletrônico.

"O sucesso do Pix comprovou o que já sabíamos - os clientes querem uma solução simples e eficiente, e que não cobre taxas abusivas por transações em tempo real", afirma, em nota, David Vélez, CEO e fundador do banco digital.

O fechamento do negócio ainda está sujeito a condições precedentes, como a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mas, mesmo após a conclusão, a operação das empresas seguirá de forma independente.

“O objetivo é que, como unidade separada de negócios, a Spin Pay possa manter o foco no desenvolvimento da tecnologia, agora com o ganho de escala que o Nubank irá permitir com as demais unidades”, destaca a fintech em nota.

Nubank planeja levantar US$ 3 bilhões em IPO e quer chegar à Nasdaq, bolsa americana, valendo até US$ 100 bilhões. Saiba mais abaixo e inscreva-se no canal do Seu Dinheiro no Youtube pra mais vídeos exclusivos sobre investimentos:

Conheça a Spin Pay

Fundada em 2019 pelos empreendedores Alan Chusid, Felipe Park e Marcelo Mingatos, a Spin Pay oferece facilidades a clientes e varejistas, entre elas o uso do Pix como forma de pagamento no checkout.

Um dos objetivos por trás de sua criação é viabilizar a venda produtos e serviços online para clientes que não têm acesso a cartões e que precisam recorrer aos boletos bancários - com custos altos e agilidade menor -, para comprar na internet. Com os serviços da plataforma, os consumidores podem pagar suas compras com apenas um clique ou escaneando o QR code na tela.

Em boa hora

A compra - a quarta anunciada pelo Nubank desde o ano passado - ocorre em meio ao movimento de expansão do comércio eletrônico e também dos pagamentos via Pix.

Segundo informações da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as vendas do varejo online - impulsionadas pelas medidas de distanciamento social adotadas durante a pandemia - saltaram 68% no ano passado.

Já a ferramenta de pagamentos instantâneos do Banco Central caiu no gosto dos clientes do banco digital. Ainda de acordo com a nota, o Nubank concentra cerca de 20% das chaves Pix cadastradas e 15% das transações feitas com o método desde seu lançamento, em novembro do ano passado.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

MERCADOS HOJE

Evergrande injeta temor no mercado global e bolsas têm dia de fortes perdas; Ibovespa fecha no menor nível desde novembro

Temor de que os problemas da incorporadora chinesa gerem uma reação em cadeia no mercado global afundou as bolsas nesta segunda-feira (20)

Ruído político

Congresso não participou de debate sobre aumento no IOF, revela presidente da Câmara

Arthur Lira também declarou que quer avançar com a reforma administrativa e uma solução para a questão dos precatórios ainda nesta semana

Na onda do minério

Mercado Livre (MELI34) ultrapassa Vale (VALE3) e se torna a empresa mais valiosa da América Latina

A gigante de comércio eletrônico argentina conquistou o posto após a mineradora brasileira perder R$ 43,6 bilhões em valor de mercado na última semana

Vídeos

Investir em IPOs vale a pena? Saiba as causas dessa febre do mercado

O ano de 2021 está mostrando a força do setor dos IPOs. São diversas empresas que abriram seu capital e fizeram sua oferta primária. Matheus Spiess, analista da Empiricus, explica neste vídeo sobre este cenário. Confira

desaceleração a caminho

Renda fixa: Por que a Evergrande derruba o Ibovespa, mas alivia o mercado de juros

Desempenho é oposto ao que se poderia esperar quando há pânico no mercado, diz especialista; contratos DIs para janeiro de 2022 caem de 7,09% para 7,08%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies