🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
fechando bem o ano

Notre Dame Intermédica fecha 2020 com número recorde de beneficiários e alta de 73,7% no lucro

Operadora de saúde verticalizada vê avanço de 18% do lucro no 4º trimestre, com controle de despesas operacionais

Intermédica
Imagem: reprodução instagram

Em meio às negociações para fusão com a Hapvida (HAPV3), a Notre Dame Intermédica (GNDI3) fechou 2020 com um número de recorde de beneficiários e viu seu desempenho ser puxado por um aumento da demanda por planos de saúde e pelos efeitos da incorporação de ativos adquiridos ao longo do ano passado e de 2019.

Combinado com um esforço para controlar custos e despesas e menores despesas financeiras, a operadora de saúde verticalizada registrou no quarto trimestre um lucro líquido de R$ 155,2 milhões, alta de 18% em relação ao mesmo período de 2019, e um ganho de R$ 735,7 milhões em 2020, crescimento de 73,7%.

Em termos ajustados, para excluir itens com efeitos não-caixa, o lucro trimestral Notre Dame Intermédica atingiu R$ 232,7 milhões no trimestre e R$ 1 bilhão no ano passado, crescimento de 17,3% e 59,7%, respectivamente.

“Em um ano desafiador de forma geral, a Notre Dame Intermédica confirmou sua forte capacidade operacional, aumentando organicamente o número de beneficiários em 4,4% (em comparação a um número estável do mercado geral), o que reforça nossa visão positiva sobre a empresa. O foco de curto prazo, porém, deve ser na fusão com a Hapvida e a próxima etapa será a assembleia de acionistas marcada para o dia 29 de março”, diz trecho do relatório da XP Investimentos, que recomenda a compra das ações, com preço-alvo de R$ 117,00.

Receita em alta...

Ao longo de 2020, a Notre Dame Intermédica fortaleceu seus negócios por meio de fusões e aquisições, crescendo em seus mercados-alvo e expandindo sua atuação para novos estados – Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. No ano passado, ela realizou 14 aquisições, resultando na incorporação de 1,1 milhão novos beneficiários e 1,3 mil leitos.

Nem todos os empreendimentos adquiridos no ano passado já resultaram em ganhos financeiros, mas a operadora de saúde sentiu os efeitos da incorporação de alguns ativos, além de compras anteriores. Estes ganhos, combinados com o crescimento da linha de negócio de planos de saúde, resultou em uma receita líquida consolidada de R$10,6 bilhões em 2020 e R$2,8 bilhões no quarto trimestre, crescimento de 27% frente 2019 e 22,1% versus o quarto trimestre de 2019.

Na parte de planos de saúde, houve um aumento de 22,5% no número médio de beneficiários no trimestre, passando de 3 milhões para 3,6 milhões, e um incremento de 2,9% no ticket líquido médio mensal consolidado, que variou de R$227,2 para R$233,9.

Em 2020, a Notre Dame Intermédica apresentou uma adição líquida de 698 mil beneficiários nos planos de saúde, sendo 132,1 mil de novos beneficiários adicionados organicamente e 565,9 mil oriundos das aquisições dos grupos Clinipam, São Lucas, Ecole, Santa Mônica e LifeDay.

A empresa informou que a receita de serviços hospitalares, que apresentou reflexos negativos da pandemia e do distanciamento social, especialmente no segundo trimestre, manteve a tendência de retorno à normalidade durante a segunda metade de 2020.

... Despesas controladas

A Notre Dame Intermédica conseguiu manter as despesas operacionais controladas, ainda que as despesas gerais e administrativas tenham crescido 13% no trimestre, para R$ 215 milhões, e 24% no ano, para R$ 933,7 milhões.

Ela destacou que os montantes representam 7,6% e 8,7% em relação à receita do trimestre e do ano, uma diluição de 0,7 ponto percentual (p.p.) e 0,3 p.p. ante o visto no quarto trimestre de 2019 e em 2019, respectivamente.

Este controle ajudou a compensar a pressão sobre os custos médicos nos últimos três meses do ano, provocada pela segunda onda do COVID-19, que ocorreu simultaneamente ao retorno da rotina e procedimentos eletivos. A sinistralidade caixa atingiu 74,1%, alta de 2,7 p.p. no trimestre. Mas no ano, essa linha teve queda de 1,7 p.p., para 70,9%.

Essa disciplina do lado das despesas e o avanço da receita fez com que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado crescesse 6,1% no quarto trimestre, para R$ 419,5 milhões, e avançasse 42,8% em 2020, para R$ 1,8 bilhão.

Compartilhe

FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS

Crédito imobiliário: Caixa vê cenário complexo para captação em 2025 — mas mudança nas regras de emissões das LCIs pode ajudar

3 de março de 2024 - 13:07

O presidente da Caixa, Carlos Vieira, afirmou que o banco está com a captação assegurada para cumprir o orçamento de crédito em 2024

PROCESSO DE SUCESSÃO

A “mão” de Lula? Acionista da Vale (VALE3) quer que mineradora publique ata de reunião que expôs racha sobre quem deve comandar companhia

2 de março de 2024 - 20:01

A Previ pede que a ata “seja tornada pública para todos os acionistas, de forma não sumarizada, em benefício da transparência do processo”

SETOR FINANCEIRO

Cinco maiores bancões do Brasil lucram R$ 107,5 bilhões em 2023 — e presidentes das empresas revelam o que esperar neste ano

2 de março de 2024 - 18:07

O melhor desempenho desses três bancos no ano passado compensou a retração nos números de Bradesco e Santander Brasil

PARCEIRA DA NVIDIA

Como essa ação ligada a inteligência artificial disparou 800% em um ano e conquistou lugar no S&P 500

2 de março de 2024 - 17:01

O papel será adicionado ao S&P 500 antes do início das negociações de 18 de março, substituindo a Whirlpool na carteira do índice

MERCADO DE CAPITAIS

Vem IPO no conglomerado da Cosan (CSAN3)? Ometto planeja abrir capital de “joias esquecidas” do grupo, diz jornal

2 de março de 2024 - 15:40

Segundo O Globo, o presidente da companhia aguarda uma janela de mercado favorável para abrir o capital da Compass — e planeja IPO da Moove no exterior; entenda

IMPASSE ENTRE SÓCIOS

Troca de comando na Vale (VALE3)? Aqui está tudo o que você precisa saber sobre a sucessão de CEO da mineradora até agora

2 de março de 2024 - 12:30

O mandato do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, está cada vez mais próximo do fim — e a definição da sucessão do presidente é uma das pendências da mineradora

DUELO DE TITÃS NA BOLSA

Depois das Sete Magníficas, vem aí as “Super Sete”: por que o Citi aposta que as ações da Europa têm mais potencial que as americanas

2 de março de 2024 - 9:03

O banco fez uma avaliação baseada em retorno, múltiplos e preço e concluiu que as ações do Velho Continente podem render bons frutos para quem apostar nelas agora

NO BOLSO DO ACIONISTA

Copel (CPLE6) pode pagar dividendos extraordinários aos acionistas em 2024, mas com uma condição, diz CEO

1 de março de 2024 - 16:25

Para Daniel Slaviero, o ano de 2025 servirá para “extrair bastante valor da operação integrada e ganhar escala nos negócios que tenham bom retorno de capital”

BRIGA DE GIGANTES

Por que Elon Musk está processando a OpenIA, a ‘joia da coroa’ do mercado de inteligência artificial que ele ajudou a fundar?

1 de março de 2024 - 11:17

Musk foi um dos co-fundadores da OpenIA, lá em 2015, porém deixou o conselho da companhia em 2018

REPERFILAMENTO

Casas Bahia (BHIA3) negocia com bancos e consegue mais prazo para pagar R$ 1,5 bilhão em dívidas

29 de fevereiro de 2024 - 19:34

O acordo ainda precisa do sinal verde dos credores, mas, se aprovado, estenderá o vencimento de 69% do endividamento da companhia

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies