Menu
2021-02-11T15:08:46-03:00
Estadão Conteúdo
mudança de planos

Grupo Ultra avança em venda de ativos

Uma fonte afirmou que o Grupo Ultra ainda baterá o martelo se seguirá com o processo de venda da Extrafarma, que está em um passo anterior ao processo envolvendo a Oxiteno

6 de fevereiro de 2021
8:19 - atualizado às 15:08
ultrapar
Ultrapar - Imagem: Shutterstock

O Grupo Ultra, que está em um processo de redução de ativos considerados não estratégicos, avançou na venda de dois grandes negócios: a indústria química Oxiteno, avaliada em R$ 8 bilhões, e a rede de farmácias Extrafarma.

A primeira venda está adiantada, tendo recebido algumas propostas, embora uma fonte de próxima ao negócio tenha descrito o interesse no ativo como "limitado". O segundo ativo está ainda em discussões iniciais, com a Pague Menos - capitalizada depois de sua abertura de capital, no ano passado - surgindo como potencial interessada.

Com as vendas, o Ultra pretende focar sua atuação em negócios relacionados ao mercado de óleo e gás, como os postos Ipiranga, a Ultragaz e a Ultracargo. Apesar do desinvestimento de áreas não prioritárias, a companhia não "conta" com esses recursos para crescer em ativos relacionados ao negócio principal, disse uma fonte. O conglomerado quer, por exemplo, investir em refino e está na briga por refinarias da região Sul colocadas à venda pela Petrobrás.

As propostas das interessadas na Oxiteno foram feitas na semana passada. Entre os interessados estariam a holandesa LyondellBasell (que no passado negociou com a petroquímica Braskem, sem sucesso) e fundos de private equity. Outra potencial compradora seria a própria Braskem, mas fontes de mercado questionam a capacidade da empresa, que tem como sócias a Novonor (ex-Odebrecht) e a Petrobrás, de fazer a aquisição. A participação, dizem fontes, seria para "marcar posição". Já a Unipar, apontada em 2020 como potencial compradora, está fora da disputa. A visão, até aqui, é de que a venda seja feita a um estrangeiro.

Para a Extrafarma - negócio que o Ultra comprou em 2013, quando planejava tornar os postos Ipiranga uma espécie de "hub" de varejo, com várias conveniências -, a aposta do mercado é que uma rede nacional de maior porte incorpore as lojas à sua estrutura. Nesse cenário, a Pague Menos apareceria na ponta, embora as negociações ainda não estejam avançadas. A Extrafarma - originalmente fundada no Pará - tem hoje 400 lojas e fatura R$ 1,5 bilhão por ano. A Pague Menos, criada em Fortaleza (CE), já é bem maior: tem mais de 1,1 mil pontos de venda pelo País.

No processo da Oxiteno, espera-se para as próximas semanas a seleção de dois ou mais interessados que participarão da segunda fase da venda, a das propostas vinculantes, que embutem o compromisso da compra em caso de aprovação. A expectativa do Ultra, dizem fontes, é que as negociações sejam concluídas dentro de cerca de dois meses.

Uma fonte afirmou que o Grupo Ultra ainda baterá o martelo se seguirá com o processo de venda da Extrafarma, que está em um passo anterior ao processo envolvendo a Oxiteno. Isso dependerá, conforme fontes, das ofertas que surgirem.

Para a venda da Oxiteno, o Grupo Ultra contratou o Bank of America. No caso da busca de um comprador para a Extrafarma, quem conduz o negócio é o Bradesco BBI.

Procurada, a Ultrapar não comentou. No último fato relevante sobre o tema, disse que "avalia continuamente seu portfólio " e vem direcionando investimentos, de forma prioritária, para fortalecer seu posicionamento na cadeia de óleo e gás no Brasil.

Braskem, Lyondell e Pague Menos não se manifestaram.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Retomada

Faturamento da indústria de máquinas sobe 38,5% em janeiro em comparação anual

A expectativa é de que as vendas internas continuem positivas.

Banco digital

Modalmais entra com pedido de IPO na B3 e esquenta disputa das plataformas de investimento

O pedido de IPO acontece menos de um ano depois do acordo fechado para a venda de até 35% do capital do Modalmais para o Credit Suisse, em um negócio que avaliou o banco digital em R$ 5 bilhões

bom potencial de alta

Quanto as ações da Eletrobras podem valer com a privatização? Veja os cálculos dos analistas

MP enviada ao Congresso prevê processo de capitalização da companhia, que resultará na diluição da participação do governo no capital social

Parceria vai voar?

Cade aprova joint venture entre Delta Air Lines e Latam

A suspeita é que a Delta tenha mais influência na administração da Aeroméxico do que o anteriormente informado ao Cade.

Dinheiro no bolso

BNDES embolsa R$ 11 bi com venda das últimas ações que detinha na Vale

Desde agosto do ano passado, a instituição financeira vendeu um total de R$ 24 bilhões em ações da mineradora.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies