Menu
2021-05-24T17:12:53-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
DIVERSIFICANDO O PORTFÓLIO

Vitreo lança primeiro fundo 100% exposto à indústria da cannabis para o varejo

Decisões favoráveis para o uso medicinal e recreativo da cannabis são esperadas, o que traz um potencial imenso de crescimento para um setor que ainda encara muitos tabus

24 de maio de 2021
16:22 - atualizado às 17:12
Nota de dólar e Cannabis
Imagem: Shutterstock / montagem: Andrei Morais

Depois de ser a primeira corretora a colocar um fundo de investimento no setor de cannabis, há dois anos, a Vitreo deu um passo extra para aproximar o pequeno investidor daquilo que só um investidor qualificado conseguiria - um fundo de investimento com 100% de exposição à tese de investimento da indústria de Cannabis. E no que parece ser o melhor momento para se posicionar no setor.

O “Cannabis Light” é uma nova versão do “Cannabidiol Light”, o primeiro fundo do setor voltado ao investidor de varejo da casa e que acumulou um patrimônio líquido de mais de R$ 45 milhões. O CIO da Vitreo, Jojo Wachsmann, explica que essa primeira versão nasceu após a forte demanda dos investidores pessoa física por um produto semelhante ao disponível para aqueles com mais de R$ 1 milhão investidos.

Como o fundo se trata de investimento em ações estrangeiras, principalmente empresas canadenses e dos Estados Unidos, as regras impostas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) obrigaram o “Cannabidiol Light” a ser diluído - 20% era investido no Vitreo Canabidiol (que tinha 100% de exposição e um patrimônio líquido de mais de R$ 200 milhões) e os 80% restante era composto pelo CDI.

O fundo agora reabre com um novo nome e uma nova configuração que permite que os investidores tenham 100% de exposição à tese de investimentos, a partir de R$ 1 mil. Rebatizado de “Cannabis Light”, o fundo investe 20% no Vitreo Cannabidiol (que havia sido fechado para uma parada técnica) e os 80% restantes são composto por um swap - derivativo que permite o investimento em um fundo de índice (ETF) internacional que investe no setor de cannabis.

E isso em um momento que pode ser transformacional para o setor. Jojo Wachsmann, CIO da Vitreo, afirma que essa é uma forma simples de investir em um mercado que tem um potencial enorme de crescimento. Não só as pesquisas para uso medicinal da cannabis avançam cada vez mais e confirmam os benefícios do canabidiol para uma série de doenças, o tabu em torno do uso recreativo também está sendo dissipado, melhorando as projeções para o setor.

Os gatilhos certos

As expectativas são de fato grandes e levaram o mercado de cannabis a viver um momento de euforia entre o fim de 2020 e os primeiros meses deste ano. Segundo Wachsmann, a alta expressiva das ações do setor se deu pelo resultado da eleição de Joe Biden e a confirmação de um Congresso de maioria democrata. Para os investidores, esse era um sinal de que a pauta da legalização pudesse andar na escala federal. É que embora mais de 30 estados já tenham legislações favoráveis, ainda falta o aval do governo central.

A medida mais aguardada e que pode ser transformadora para o setor é o “Safe Banking Act”. O CIO da Vitreo explica que esse deve ser o primeiro nó a ser desatado para a evolução da indústria. Isso porque hoje as empresas que atuam com cannabis encaram uma série de restrições que limitam o seu acesso ao setor financeiro, o que causa impacto em posições contábeis, acesso a crédito, dificultam o investimento e atrapalham até mesmo transações corriqueiras que são importantes para a manutenção de uma empresa. “Tivemos algumas dificuldades para montar o fundo e comprar ações lá fora porque algumas contas em alguns bancos não permitem a compra dessas ações”, explica.

A alta expressiva vista no começo do ano e que levou o fundo da casa a subir cerca de 75% também teve um pouco do efeito “Game Stop”, quando usuários do fórum Reddit voltaram suas atenções para as empresas do setor. “Isso acabou inflando um pouco o mercado, mas o que se viu após foi apenas uma realização de lucros normal. Tudo que se imaginou que vai acontecer esse ano ainda não ocorreu, mas também não desandou. A pauta só não chegou lá ainda”.

Com as projeções cada vez melhores e pelo mercado ter acabado de passar por uma forte realização de lucros após a euforia, Wachsmann acredita que esse é o momento ideal para embarcar nesse mercado em formação.

O investimento certo para você?

O “Cannabis Light”, inspirado nas ideias do relatório “Green Rider”, da Empiricus, está disponível para o público em geral a partir de R$ 1 mil, com uma taxa de administração de 0,72% ao ano.

O CIO da Vitreo alerta que embora essa seja uma indústria com muito potencial, também se trata de um investimento de alto risco. O fundo é composto por ações de empresas estrangeiras e o setor ainda passa por um processo de consolidação que depende da queda desse tabu sobre o uso medicinal e recreativo da cannabis. Além disso, a variação cambial também acaba entrando na conta.

“Por mais que a gente esteja muito animado com o potencial disso tudo, é essencial que as pessoas tenham cuidado”, avisa Wachsmann. A recomendação é que o ativo seja utilizado para diversificar um portfólio equilibrado e que sua alocação seja pequena.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

E a fila aumenta

BR Partners faz registro de IPO que pode movimentar até R$ 620 milhões

Banco de investimentos fundado por Ricardo Lacerda pretende fazer uma oferta pública de Units, com faixa de preço entre R$ 16 e R$ 19

Pedido ao presidente

Instituto Aço Brasil pede a Bolsonaro para não reduzir tarifa de importação

Na visão do presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, não há cenário de excepcionalidade que justifique tal medida

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies