2021-09-22T14:46:31-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
nova selic hoje

BC deve manter ‘plano de voo’ e elevar taxa básica de juros em 1 ponto, para 6,25% ao ano; saiba o que esperar do Copom

Declaração recente de Campos Neto conteve apostas maiores que a de um ponto; crise hídrica e desaceleração da China podem aparecer em comunicado de decisão

22 de setembro de 2021
5:59 - atualizado às 14:46
O comandante do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto: a aeronave do Copom vai mudando a rota da Selic, apertando cada vez mais os juros - Imagem: Montagem Andrei Morais / Agência Brasil / Shutterstock/doomu

O Banco Central (BC) vai fazer tudo para trazer a inflação de volta para a meta, mas não vai alterar a estratégia ao sabor de cada novo indicador econômico. A fala de Roberto Campos Neto, presidente da autoridade monetária, no início da semana passada provocou uma reviravolta nas projeções do mercado para a taxa básica de juros (Selic).

A expectativa majoritária dos agentes financeiros aponta para uma elevação de 1 ponto percentual na Selic, para 6,25% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) desta quarta-feira.

Será o quinto aumento seguido dos juros, em um contexto de inflação tocando os dois dígitos em 12 meses, economia fragilizada e, mais recentemente, ameaçada de crise hídrica. O BC começou a aumentar a Selic em março, quando a taxa estava na mínima histórica de 2% ao ano.

Mas o consenso em torno da alta de 1 ponto na Selic se formou apenas nos últimos dias. A alta dos preços — que bateu 9,6% no último ano, conforme o IPCA de agosto — fez uma parte maior do mercado cogitar uma aceleração mais forte da Selic. A mudança nas expectativas ocorreu depois que Campos Neto sinalizou que não alteraria o "plano de voo" a cada novo dado econômico.

Em agosto, quando elevou a taxa básica de juros em 1 ponto percentual, o BC disse em comunicado que faria um movimento na mesma proporção em setembro.

O ajuste da Selic é o principal instrumento de controle da inflação, que também é influenciada pela quebra de cadeias produtivas com a pandemia e outros fatores de pouco alcance do BC.

Um deles é a a crise política, que atingiu o ápice nas manifestações de 7 de setembro e acabou ajudando a pressionar o dólar — que por sua vez também afeta os preços da economia.

Apesar da disparada da inflação, o mercado ainda acredita no poder do BC em domar o dragão. De acordo com o Boletim Focus mais recente, analistas projetam o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 4,10% em 2022, pouco acima do centro da meta de 3,5%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

As decisões do BC hoje já miram o próximo ano, considerando o tempo de efeito da política monetária, que costuma levar seis meses. A Selic deve encerrar 2021 em 8,25% ao ano, segundo as projeções reunidas pelo Focus.

Fonte: BC

Novas altas da Selic

Para o Goldman Sachs, tendo em vista declarações recentes dos membros do Copom (Comitê de Política Monetária), não só de Campos Neto, a probabilidade de uma alta de 1,25 ponto é pequena. Eles projetam uma elevação de 1 ponto nesta quarta.

Em relatório do último dia 17, os economistas Alberto Ramos e Daniel Moreno dizem que o BC vai continuar elevando a Selic para um nível acima do neutro.

Entre os motivos que devem balizar a decisão, a dupla cita pressões inflacionárias altas e disseminadas na economia, aumento intenso de custos na cadeia de suprimentos, deterioração das expectativas sobre os preços, falta de progresso das reformas e ajuste fiscal, além do "ruído político".

No comunicado após a reunião do Copom, o BC deve sinalizar altas adicionais. "O Copom deve reconhecer as surpresas negativas de inflação, sinais crescentes de disseminação da alta de preços, deterioração sobre as expectativas de 2021-2022, e piora generalizada para as perspectivas de inflação, incluindo núcleo e serviços", escreveram os economistas.

O Credit Suisse também está entre as instituições que esperam mais doses do remédio amargo da Selic: seriam quatro aumentos de 1 ponto na Selic e uma alta final de 0,50 ponto, levando a taxa para 9,75%.

China no radar

O sócio e economista da BRA Investimentos, João Beck, diz ainda que pode haver referências no comunicado a uma possível desaceleração do crescimento na China - sinalizada com dados recentes de produção industrial e vendas no varejo, além da crise da dívida da Evergrande, a segunda maior incorporadora imobiliária do país.

"Já está dado que China vai passar por uma fase de desalavancagem, o que pode contribuir para que o preço das commodities caia, impactando a inflação por aqui", diz o economista.

Para Beck, se o Fed, o banco central dos EUA, postergar uma elevação dos juros, o BC ficará menos pressionado a aumentar a taxa. A autoridade monetária também comunica decisão nesta quarta-feira, às 15h (horário de Brasília).

O economista considera que houve algum avanço na discussão sobre precatórios, as dívidas do governo na Justiça cujo parcelamento tramita no Congresso, e diz que a reforma administrativa "está andando", embora ainda não haja solução no Congresso.

  • Às vésperas da decisão do BC, o mercado de opções do Copom na B3 também evidenciava a aposta majoritária no aumento de 1 ponto na Selic. Veja no vídeo abaixo como ganhar dinheiro com esse instrumento.
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos

DINHEIRO NO FIM DO ANO

Yduqs (YDUQ3) pagará R$ 141 milhões em dividendos; confira o valor por ação

A empresa do setor de educação pagará cerca de R$ 0,40 por ação ordinária e o dinheiro cairá na conta dos acionistas em 7 de dezembro

OMICRON

5 fatos sobre a nova variante do covid que derrubou os mercados nesta sexta

O anúncio de que uma nova variante do coronavírus surgiu na África do Sul fez com que os mercados internacionais desabassem; veja o que sabemos até agora