2021-03-30T16:05:42-03:00
Estadão Conteúdo
Melhorou um pouco

Ipea reduz projeção de crescimento para o PIB em 2021 de 4% para 3%

Na Carta de Conjuntura divulgada nesta terça-feira, 30, o Ipea prevê que o PIB brasileiro recuará 0,5% no primeiro trimestre de 2021 ante o último trimestre de 2020.

30 de março de 2021
16:05
Post,Covid-19,Era,Helping,Hand,For,Business,And,Economy,Concept.
Imagem: Shuttertstock

O recrudescimento da pandemia de covid-19 no Brasil fez o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) reduzir sua expectativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Em meio ao endurecimento das medidas restritivas necessárias ao combate da disseminação do coronavírus, a projeção passou de um avanço de 4%, divulgado em dezembro, para uma alta agora de 3%.

Leia também:

"Além de aumento das incertezas relacionada à política fiscal", complementou José Ronaldo de Castro Souza Júnior, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea. "Mas o principal (motivo para a revisão do PIB) é a pandemia", afirmou.

Na Carta de Conjuntura divulgada nesta terça-feira, 30, o Ipea prevê que o PIB brasileiro recuará 0,5% no primeiro trimestre de 2021 ante o último trimestre de 2020. O órgão acredita que as medidas sanitárias contra o agravamento da pandemia afetarão a atividade econômica no curto prazo, prejudicando o desempenho do primeiro semestre. No entanto, a expectativa é que o impacto negativo seja significativo, mas menos agudo do que o registrado no segundo trimestre de 2020, quando o novo coronavírus derrubou mais intensamente a economia no País.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

"De fato, o aprendizado das empresas sobre como operar nesse ambiente de distanciamento social permite esperar uma ruptura menos drástica dos processos de produção e comercialização de bens. Além disso, e mais fundamental, há o fato de que o processo de vacinação da população contra o novo coronavírus já se encontra em curso, o que torna o horizonte menos incerto em comparação com um ano atrás: naquele momento, as dúvidas giravam em torno de se e quando haveria vacina; agora, a incerteza diz respeito apenas a quando uma parcela suficientemente grande da população estará vacinada. Espera-se, como consequência, que as medidas de distanciamento social tenham menor duração", estimou o Ipea, no documento.

O cenário esperado pelo órgão de uma vacinação em ritmo avançado no segundo semestre permitirá a retomada do crescimento ainda na segunda metade de 2021. O Ipea aponta que as condições ainda deterioradas do mercado de trabalho e o desequilíbrio fiscal serão questões críticas a enfrentar, mas acredita que a atividade econômica possa contar com um impulso do crescimento internacional em ritmo acelerado. No ano seguinte, em 2022, a projeção é de que o PIB avance 2,8%.

Setores e componentes do PIB

Quanto às projeções para as principais atividades econômicas, o Ipea espera que o PIB da Indústria suba 3,7% em 2021, seguido de alta de 2,5% em 2022. O PIB de Serviços deve ter expansão de 2,8% em 2021, além de alta de 3,0% em 2022. O PIB da Agropecuária cresceria 2,2% em 2020 e mais 2,0% em 2021.

Sob a ótica da demanda, o consumo das Famílias deve aumentar 2,7% em 2021, seguido de alta de 2,7% em 2022, enquanto o consumo do governo subiria 2,0% em 2021 e mais 2,0% em 2022.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, medida dos investimentos no PIB) deve avançar 5,8% em 2021, seguido de elevação de 4,6% em 2022.

As exportações teriam expansão de 3,6% em 2021 e de 4,8% em 2022, enquanto as importações cresceriam 5,2% em 2021 e 5,3% em 2022.

Inflação, juros e câmbio

O órgão estima que a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerre 2021 em 4,6%, e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) avance 4,3%, ambos apurados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dois indicadores de inflação terminariam o ano de 2022 com alta de 3,4%, em um cenário de taxa básica de juros, a Selic, mais elevada e de incertezas fiscais controladas.

As projeções do Ipea consideram que a Selic encerre 2021 em 5,00% ao ano, subindo a 6,00% ao fim de 2022.

A taxa de câmbio seria de R$ 5,30 ao fim deste ano, descendo a R$ 5,25 ao término do ano que vem.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Resultados

João Doria vence prévias e será candidato à presidência pelo PSDB; Em discurso, manda recado à Lula e Bolsonaro e faz aceno para 3ª via

“Ninguém faz nada sozinho. Precisamos da ajuda de todos. Da união do Brasil. Da união do PSDB. Da união com outros líderes e partidos”, afirmou

Décimo Andar

O mercado imobiliário americano segue vencedor: confira uma nova opção na B3 para investir na área

Mesmo com a perspectiva de aumento dos juros no exterior, o mercado imobiliário americano segue forte na alta dos preços; veja um ativo para investir sem sair da B3

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar