O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-12-02T16:01:37-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) luta para se manter nos US$ 56 mil, mas Solana (SOL) e Cardano (ADA) sobem após notícias positivas; confira

A pandemia de covid-19 pressiona os ativos de risco, como ações e criptomoedas; o bitcoin (BTC) segue em queda

2 de dezembro de 2021
16:01
Bitcoin cai, mas criptomoedas se salvam hoje
Solana (SOL) e Cardano (ADA) são os destaques do dia. Imagem: Pixabay

O noticiário internacional segue preocupado com a variante ômicron do coronavírus, o que coloca ainda mais pressão em cima do bitcoin (BTC) nesta quinta-feira (02). Apesar disso, novidades positivas para o mercado de criptomoedas dão força a outros ativos. 

Por volta das 15h30, a maior criptomoeda do mundo em valor de mercado recuava -2,20%, cotada a US$ 56.459,54 (R$ 317.894,95). A alta volatilidade do dia também atingiu os dez maiores projetos criptográficos hoje:

#NomePreço24h %7d %
1Bitcoin (BTC)US$ 56.459,54-2,20%-4,56%
2Ethereum (ETH)US$ 4.474,62-4,28%-0,81%
3Binance Coin (BNB)US$ 618,64-2,98%-3,15%
4Tether (USDT)US$ 1-0,01%-0,02%
5Solana (SOL)US$ 229,231,04%7,31%
6Cardano (ADA)US$ 1,749,99%1,51%
7XRP (XRP)US$ 0,9743-3,05%-7,88%
8USD Coin (USDC)US$ 0,9995-0,05%-0,01%
9Polkadot (DOT)US$ 35,88-4,17%-11,23%
10Dogecoin (DOGE)US$ 0,2095-1,65%-6,40%
Fonte: Coin Market Cap

Bitcoin (BTC): covid-19 e lei nos EUA jogam água no chope

Depois de um novembro negativo, o bitcoin (BTC) precisará de um empurrãozinho maior para chegar ao final do ano no tão pretendido patamar de US$ 100 mil. 

De acordo com a newsletter semanal do portal Glassnode, que traz análises técnicas de dados internos (on chain) da rede do bitcoin, a recente queda de 20% desde as máximas históricas — que colocou a maior criptomoeda do mundo em “bear market” — não foi o maior recuo do ano. 

Entre janeiro e março de 2021, o bitcoin (BTC) chegou a cair 24,2% depois das máximas históricas da época. Daí por diante, o preço engatou alta e saiu da casa dos US$ 51 mil no início de março para os patamares mais altos a quase US$ 69 mil em novembro. 

Por outro lado, o mercado segue o mesmo caminho das bolsas globais e sente os temores envolvendo a covid-19. Os ativos de risco, como ações e criptomoedas, tendem a permanecer pressionados em cenários de incertezas. 

E as propostas de regulamentação de criptomoedas nos Estados Unidos trazem ainda mais turbulência, em especial dois projetos  que preocupam o mercado.

O primeiro delas retira o anonimato dos mineradores de criptomoedas, que passam a ser considerados “corretores de ativos digitais”. Já o segundo estabelece que empresas por trás de stablecoins, as moedas com lastro, passam a ser consideradas bancos nos Estados Unidos, que sofrem taxações.

O que fazer nessa situação? Tasso Lago, especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move, afirma que o momento é de manter a carteira defensiva neste momento, frente as incertezas com as questões regulatórias e o coronavírus

Destaques do mercado cripto

Entre as altcoins — as moedas alternativas ao bitcoin — que conseguem se salvar da queda do dia, o destaque vai para solana (SOL), um dos projetos que mais tem chamado a atenção dos investidores nas últimas semanas. 

O maior fundo de criptomoedas do mundo, o Grayscale, anunciou um novo produto de exposição passiva à solana, o Grayscale Solana Trust.

O CEO do fundo, Michael Sonnenshein, informou que os clientes começaram a demonstrar interesse em altcoins e outros criptoativos, o que beneficiou a quinta maior criptomoeda do mundo hoje.

Por volta das 15h30, a Solana avançava 1,04%, aos US$ 229,23 (R$ 1.288,88).

A Cardano (ADA) é outra das maiores criptomoedas do mundo que consegue se salvar. Nos últimos dias, a sexta maior moeda digital do mundo sofreu com notícias falsas (FUDs, em inglês, sigla para “fear, uncertainty and doubt”) sobre a saída da moeda para usuários da exchange eToro. 

A ADA chegou a bater as mínimas do ano, e hoje também se recupera. No mesmo horário, a Cardano avançava 9,99%, aos US$ 1,74 (R$ 9,71).

ETFs de bitcoin e criptomoedas na B3

Você pode clicar aqui para saber mais sobre cada um dos ETFs da bolsa brasileira. Confira o preço dos principais ativos negociados na B3 (por volta das 12h):

TickerGestoraPreçoVariação
HASH11HashdexR$ 60,06-3,39%
ETHE11HashdexR$ 75,11-3,71%
BITH11HashdexR$ 76,30-1,10%
QBTC11QR CapitalR$ 20,18-0,59%
QETH11QR CapitalR$ 18,48-4,15%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

O PIOR FICOU PRA TRÁS?

Magazine Luiza (MGLU3) tropeça de novo no 1T22 e ações levam tombo na B3; ainda vale a pena comprar MGLU3?

Inflação e juros altos foram barreiras ao desempenho da varejista no primeiro trimestre do ano, quando houve reversão de lucro para prejuízo de R$ 161,3 milhões

DESTAQUE NEGATIVO DO DIA

Hapvida (HAPV3) decepciona e tomba 17% hoje, mas analistas creem que o pior já passou – e que as ações podem subir mais de 100%

Os números do primeiro trimestre foram pressonados pela onda da variante ômicron, alta sinistralidade e baixo crescimento orgânico, mas analistas seguem confiantes na Hapvida

A BOLSA COMO ELA É

Quer conquistar sua liberdade financeira? Descubra como iniciar sua jornada em direção à riqueza — com direito a um presente logo no começo

Para enriquecer de verdade, é necessário usar algumas estratégias; em uma semana, vou iniciar uma Jornada com o objetivo de te ensinar todos esses macetes

NÃO FOI DESSA VEZ

Não é só a Terra (LUNA): MiamiCoin, a criptomoeda de Miami, perdeu quase 100% do valor desde o lançamento

Depois de surgir como uma possibilidade de substituição dos impostos municipais como a principal fonte de financiamento do governo, a moeda digital MIA foi do céu ao inferno em apenas nove meses

A Turquia mandou avisar: Suécia e Finlândia podem implorar, mas não vão entrar na Otan; entenda por quê

Analistas veem objeção da Turquia ao ingresso de suecos e finlandeses na aliança militar como uma tentativa de obter concessões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies