Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-12-02T16:01:37-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin (BTC) luta para se manter nos US$ 56 mil, mas Solana (SOL) e Cardano (ADA) sobem após notícias positivas; confira

A pandemia de covid-19 pressiona os ativos de risco, como ações e criptomoedas; o bitcoin (BTC) segue em queda

2 de dezembro de 2021
16:01
Bitcoin cai, mas criptomoedas se salvam hoje
Solana (SOL) e Cardano (ADA) são os destaques do dia. Imagem: Pixabay

O noticiário internacional segue preocupado com a variante ômicron do coronavírus, o que coloca ainda mais pressão em cima do bitcoin (BTC) nesta quinta-feira (02). Apesar disso, novidades positivas para o mercado de criptomoedas dão força a outros ativos. 

Por volta das 15h30, a maior criptomoeda do mundo em valor de mercado recuava -2,20%, cotada a US$ 56.459,54 (R$ 317.894,95). A alta volatilidade do dia também atingiu os dez maiores projetos criptográficos hoje:

#NomePreço24h %7d %
1Bitcoin (BTC)US$ 56.459,54-2,20%-4,56%
2Ethereum (ETH)US$ 4.474,62-4,28%-0,81%
3Binance Coin (BNB)US$ 618,64-2,98%-3,15%
4Tether (USDT)US$ 1-0,01%-0,02%
5Solana (SOL)US$ 229,231,04%7,31%
6Cardano (ADA)US$ 1,749,99%1,51%
7XRP (XRP)US$ 0,9743-3,05%-7,88%
8USD Coin (USDC)US$ 0,9995-0,05%-0,01%
9Polkadot (DOT)US$ 35,88-4,17%-11,23%
10Dogecoin (DOGE)US$ 0,2095-1,65%-6,40%
Fonte: Coin Market Cap

Bitcoin (BTC): covid-19 e lei nos EUA jogam água no chope

Depois de um novembro negativo, o bitcoin (BTC) precisará de um empurrãozinho maior para chegar ao final do ano no tão pretendido patamar de US$ 100 mil. 

De acordo com a newsletter semanal do portal Glassnode, que traz análises técnicas de dados internos (on chain) da rede do bitcoin, a recente queda de 20% desde as máximas históricas — que colocou a maior criptomoeda do mundo em “bear market” — não foi o maior recuo do ano. 

Entre janeiro e março de 2021, o bitcoin (BTC) chegou a cair 24,2% depois das máximas históricas da época. Daí por diante, o preço engatou alta e saiu da casa dos US$ 51 mil no início de março para os patamares mais altos a quase US$ 69 mil em novembro. 

Por outro lado, o mercado segue o mesmo caminho das bolsas globais e sente os temores envolvendo a covid-19. Os ativos de risco, como ações e criptomoedas, tendem a permanecer pressionados em cenários de incertezas. 

E as propostas de regulamentação de criptomoedas nos Estados Unidos trazem ainda mais turbulência, em especial dois projetos  que preocupam o mercado.

O primeiro delas retira o anonimato dos mineradores de criptomoedas, que passam a ser considerados “corretores de ativos digitais”. Já o segundo estabelece que empresas por trás de stablecoins, as moedas com lastro, passam a ser consideradas bancos nos Estados Unidos, que sofrem taxações.

O que fazer nessa situação? Tasso Lago, especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move, afirma que o momento é de manter a carteira defensiva neste momento, frente as incertezas com as questões regulatórias e o coronavírus

Destaques do mercado cripto

Entre as altcoins — as moedas alternativas ao bitcoin — que conseguem se salvar da queda do dia, o destaque vai para solana (SOL), um dos projetos que mais tem chamado a atenção dos investidores nas últimas semanas. 

O maior fundo de criptomoedas do mundo, o Grayscale, anunciou um novo produto de exposição passiva à solana, o Grayscale Solana Trust.

O CEO do fundo, Michael Sonnenshein, informou que os clientes começaram a demonstrar interesse em altcoins e outros criptoativos, o que beneficiou a quinta maior criptomoeda do mundo hoje.

Por volta das 15h30, a Solana avançava 1,04%, aos US$ 229,23 (R$ 1.288,88).

A Cardano (ADA) é outra das maiores criptomoedas do mundo que consegue se salvar. Nos últimos dias, a sexta maior moeda digital do mundo sofreu com notícias falsas (FUDs, em inglês, sigla para “fear, uncertainty and doubt”) sobre a saída da moeda para usuários da exchange eToro. 

A ADA chegou a bater as mínimas do ano, e hoje também se recupera. No mesmo horário, a Cardano avançava 9,99%, aos US$ 1,74 (R$ 9,71).

ETFs de bitcoin e criptomoedas na B3

Você pode clicar aqui para saber mais sobre cada um dos ETFs da bolsa brasileira. Confira o preço dos principais ativos negociados na B3 (por volta das 12h):

TickerGestoraPreçoVariação
HASH11HashdexR$ 60,06-3,39%
ETHE11HashdexR$ 75,11-3,71%
BITH11HashdexR$ 76,30-1,10%
QBTC11QR CapitalR$ 20,18-0,59%
QETH11QR CapitalR$ 18,48-4,15%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PRECAUÇÃO EXTRA

Cautela demais atrapalha os negócios? Não para o Bradesco (BBDC4): banco cria nova vice-presidência focada na gestão de riscos

A nova vertical abrangerá as áreas de compliance, conduta, ética e demais setores ligados à gestão de ameaças corporativas

FECHAMENTO DOS MERCADOS

Ibovespa ignora tensão pré-Fed e sobe mais de 2%, fechando no melhor nível desde outubro; dólar volta aos R$ 5,43

O dia tinha tudo para ser como ontem, mas o Ibovespa encontrou forças para voltar aos 110 mil pontos e recuperar as perdas da semana

CRIPTOMOEDAS HOJE

Bitcoin (BTC) sobe forte e apaga parte da queda brusca na semana; veja como operam as principais criptomoedas do mercado

Como outros ativos do risco, a moeda digital também foi afetada pelas tensões entre entre Ucrânia e Rússia nos últimos dias, mas encontrou fôlego para avançar hoje

INTERRUPÇÃO TEMPORÁRIA

Banco Central suspende sistema para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos; veja o que está por trás do bloqueio

O BC precisou interromper o funcionamento do sistema lançado ontem após enfrentar instabilidades geradas pelo grande volume de acessos

NOVA DEBANDADA?

Mais um técnico da área de Orçamento da Economia deixa cargo e expõe novo desgaste na equipe de Paulo Guedes

O movimento de saída é comum no último ano de governo, mas agora tem ocorrido mais cedo, ainda no primeiro mês de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies