Menu
2020-02-20T14:59:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
discordância em minas gerais

Partido Novo critica governador de MG por reajuste a bombeiros e PMs

Aumento salarial de várias categorias deverá ter impacto de mais de R$ 20 bilhões para os cofres do governo mineiro

20 de fevereiro de 2020
14:59
Governador de MG, Romeu Zema
Romeu Zema, governador de Minas Gerais. - Imagem: Raul Junior/BTG

O partido Novo, do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, emitiu uma nota em que se posiciona contra o reajuste de 41,47% nos vencimentos de bombeiros e policiais militares do Estado.

Com Minas Gerais apresentando um dos piores cenários financeiros do País, a Assembleia Legislativa aprovou na quarta-feira, 19, o aumento também para o funcionalismo do Poder Executivo, da própria Assembleia, do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O aumento para servidores do setor de segurança foi enviado à Casa num projeto do próprio governador.

"O Novo admira e apoia o excelente trabalho feito pelo governador Romeu Zema, mas discorda de sua decisão de conceder aumento salarial aos servidores da área de segurança", diz o partido em nota.

"O partido entende o direito dos servidores de pleitearem reajustes, mas a situação fiscal atual de Minas, que herdou uma condição de calamidade financeira, não permite qualquer gasto adicional", destaca a sigla em nota.

O aumento salarial de várias categorias deverá ter impacto de mais de R$ 20 bilhões para os cofres do governo mineiro.

O Novo defende o veto de Zema a todos os reajustes. "Atuar com coerência, sempre em linha com nossos princípios e valores, é o nosso maior compromisso com o cidadão brasileiro e fundamental para consolidarmos o Novo como uma instituição diferenciada na política e os mineiros voltarem a ter o estado que merecem."

O governo de Minas Gerais disse, por meio de nota, reafirmar "o compromisso com o texto original do projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa", e que "o impacto financeiro já havia sido avaliado", além de que "o encaminhamento do projeto está em conformidade com o atual entendimento do Tribunal de Contas sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal".

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Foi ruim mas foi bom

Guedes defende acordo e diz que agora Orçamento ficará “exequível”

O presidente Jair Bolsonaro tem até amanhã para sancionar o Orçamento de 2021, que foi aprovado com despesas obrigatórias subestimadas para acomodar uma quantidade maior de emendas parlamentares

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies