Menu
2020-01-07T08:20:36-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ex-executivo da Nissan

Carlos Ghosn: Japão diz que fará de tudo para obter a extradição do executivo

Secretário-chefe do gabinete japonês diz que vai garantir que os detalhes da partida de Ghosn sejam verificados e que se tomem medidas para evitar que incidentes voltem a ocorrer

7 de janeiro de 2020
8:19 - atualizado às 8:20
Carlos Ghosn
Carlos Ghosn, ex-presidente do grupo Renault-Nissan. - Imagem: Shutterstock

O secretário-chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga, disse que o governo fará todos os esforços diplomáticos para conseguir a extradição de Carlos Ghosn, ex-presidente do Conselho de Administração da Nissan Motor. O executivo partiu ilegalmente do Japão na semana passada e entrou no Líbano.

Em um programa de televisão nessa segunda-feira (6), Suga afirmou que ficou sem palavras quando ouviu a notícia pela primeira vez, e comentou que esse era um fato extremamente lamentável. Acrescentou que vai garantir que os detalhes da partida de Carlos Ghosn sejam verificados e que se tomem medidas para evitar que tais incidentes voltem a ocorrer.

O principal porta-voz do governo japonês explicou que as autoridades do país pediram à Interpol para colocar Carlos Ghosn na lista de procurados internacionalmente.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Nissan

Em nota divulgada nesta terça-feira (7), a Nissan Motor diz que a ida de Carlos Ghosn para o Líbano, sem autorização judicial e com violação das condições da fiança, é "ato que desafia o sistema judicial japonês". Para a empresa, a situação é "extremamente lamentável".

Segundo a nota, a Nissan decidiu que Carlos Ghosn não tinha condições de servir como seu executivo, e o removeu de todas suas funções após minuciosa investigação interna.

A Nissan afirma que vai continuar a adotar as medidas legais apropriadas para responsabilizar Carlos Ghosn pelos danos que seus atos irregulares causaram à empresa.

O periódico americano The Wall Street Journal informou que a fuga de Carlos Ghosn foi planejada detalhadamente durante meses.

O jornal citou fontes que teriam dito que o plano envolveu uma equipe de 10 a 15 pessoas de distintas nacionalidades.Também disse que os membros da equipe fizeram mais de 20 viagens ao Japão, onde visitaram no mínimo dez aeroportos.

Um dos integrantes do grupo disse que havia grande falha na segurança do Aeroporto Internacional de Kansai, uma vez que o terminal de jatos particulares é praticamente vazio, a menos que haja algum voo chegando. Ainda segundo as fontes, a pessoa teria dito que bagagens demasiadamente grandes não se ajustam aos padrões dos scanners do aeroporto.

O jornal citou fontes segundo as quais Ghosn tomou a decisão definitiva para levar adiante o plano no final do mês de dezembro, após obter indícios de que seu julgamento levaria anos e também porque a corte recusou que ele se encontrasse com sua esposa durante os feriados de fim de ano.

Um advogado de Ghosn no Líbano disse à NHK que seu cliente concederá entrevista coletiva amanhã (8), às 15h, em Beirute, a primeira desde que deixou o Japão.

*Com Agência Brasil e NHK (emissora pública de televisão do Japão)

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

na agenda

Projetos de autonomia do BC e lei cambial serão prioridades no primeiro semestre, diz Maia

O presidente da Câmara afirmou que a intenção é aprovar as propostas “o mais rapidamente possível”

gostinho do balanço

Carrefour tem alta de 11% nas vendas brutas consolidadas, apontam prévias

Cifra chegou a R$ 17,6 bilhões no período. No acumulado do ano, as vendas chegaram a R$ 62,220 bilhões, alta de 10,4%

De cisne a patinho feio

O que esperar para os resultados e para as ações dos grandes bancos?

Resposta deve ficar mais clara a partir da próxima semana, quando começa a temporada de divulgação de balanços. Os lucros bilionários estão garantidos, mas a previsão é que os bancões naveguem por mares bastante turbulentos ao longo deste ano (e dos próximos)

RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Recuperação extrajudicial da Triunfo é suspensa pela 1ª Câmara do Tribunal de Justiça de São Paulo

Hoje, os papéis da companhia terminaram o dia cotados em R$ 2,07, o que representa uma alta de 11,29%. Apenas em janeiro, os papéis da Triunfo já subiram 22,49%

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras à beira da privatização

Caro leitor, São grandes as expectativas do mercado em torno das vendas de ativos estatais para o setor privado durante o governo Jair Bolsonaro. Recentemente, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, disse que a meta do governo federal é levantar R$ 150 bilhões em privatizações apenas em 2020. Mas Bolsonaro já […]

De volta aos 118 mil pontos

Noticiário corporativo dá as cartas e Ibovespa sobe mais de 1%; dólar cai a R$ 4,17

Num dia de calmaria no exterior, o Ibovespa fechou em alta firme, impulsionado pelo bom desempenho das ações das siderúrgicas, da Eletrobras e do setor de papel e celulose.

PETRÓLEO

Campo de Lula permanece em 2019 como o maior produtor de petróleo do Brasil

Primeiro campo supergigante brasileiro, Lula foi descoberto em 2006, representando hoje 34,2% da produção do País

PETRÓLEO

Produção de petróleo no Brasil cresce 7,78% em 2019, diz ANP

A maior alta foi registrada pela produção de petróleo na região do pré-sal, de 21,56%, para 633,9 milhões de barris, segundo agência

MAIS ESCLARECIMENTOS

Contrato para abrir ‘caixa-preta’ é da gestão Temer, diz presidente do BNDES

“Não foi esta diretoria que contratou a auditoria. Chegamos em julho no banco e 90% do relatório estava pronto”, afirmou Montezano

OLHO NO VAREJO

XP diz que ações de varejistas não estão caras e coloca Lojas Renner, Via Varejo e Vivara entre as apostas para setor

Para o analista, a alta nos múltiplos é reflexo do aumento das expectativas dos investidores com a melhora do consumo e expansão das varejistas. Mas ponderou que, ao mesmo tempo, tal fato diminui a margem de erro por parte das empresas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements