Menu
2020-01-29T18:56:01-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Nova cartada do bilionário

Warren Buffett vende seu império de jornais por US$ 140 milhões e deixa o setor de imprensa

A Berkshire Hathaway, conglomerado de investimentos administrado por Warren Buffett, vendeu hoje sua divisão de jornais à Lee Enterprises

29 de janeiro de 2020
13:58 - atualizado às 18:56
Warren Buffett, investidor americano
Imagem: Shutterstock

Os dias do megainvestidor Warren Buffett como dono de jornal chegaram ao fim nesta quarta-feira (29). Mais cedo, o bilionário anunciou a venda de seu império de publicações para a Lee Enterprises, por US$ 140 milhões — deixando de vez o setor de imprensa.

Buffett, um entusiasta da mídia impressa, era dono do The Buffalo News, de Nova York, desde 1977. Desde então, ele comprou diversas publicações e criou a BH Media Group para administrar todos os ativos dessa natureza — atualmente, a empresa era responsável por 31 jornais.

A Lee Enterprises é uma editora tradicional dos Estados Unidos e que possui mais de 200 publicações sob sua responsabilidade. O mercado gostou da novidade: as ações da companhia (LEE) dispararam 66,67%, a US$ 2,10.

Os papéis da Berkshire Hathaway — o conglomerado de investimentos administrado por Buffett e que controlava a BH Media Group — também ficaram no azul: fecharam em alta de 0,21%, a US$ 224,50.

"Acreditamos que a Lee é a empresa melhor posicionada para gerenciar [os jornais da BH Media] em meio aos desafios do setor", escreveu Buffett, em mensagem aos acionistas. "Nenhuma companhia está mais comprometida com a função vital de distribuir notícias locais de alta qualidade".

Além das declarações frisando o compromisso da Lee em continuar publicando os jornais da BH Media, Buffett ainda deu outro sinal de que pretende continuar zelando por suas antigas publicações à distância: a Berkshire Hathaway financiou a operação.

O conglomerado administrado pelo bilionário concedeu uma linha de financiamento de longo prazo de US$ 576 milhões à Lee, com uma taxa anual de 9%. Assim, parte desse montante será usado para comprar a BH Media, e o restante irá para refinanciar a dívida atual da empresa, de US$ 400 milhões.

"Tenho a confiança de que nossos jornais estarão em boas mãos, e também estou satisfeito em aprofundar o relacionamento de longo prazo com a Lee através do acordo de financiamento".

As 31 publicações controladas por pela BH Media eram publicadas em 10 estados americanos: Alabama, Iowa, Nebraska, Nova Jersey, Nova York, Carolina do Norte, Oklahoma, Carolina do Sul, Texas e Virgínia.

Veja abaixo a capa de hoje do The Buffalo News — a última sob o comando de Buffet:

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies