Menu
2020-01-08T09:25:18-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
aquecendo os motores

Montadoras vão lançar mais de 40 modelos de carros em 2020

Número está próximo das novidades apresentadas em 2019, e continuam as apostas nos utilitários-esportivos (SUVs).

8 de janeiro de 2020
7:40 - atualizado às 9:25
SUVs carros montadoras
Imagem: Shutterstock

As montadoras preparam para este ano mais de 40 lançamentos, entre modelos nacionais e importados. O número está próximo das novidades apresentadas em 2019, e continuam as apostas nos utilitários-esportivos (SUVs).

O segmento já é o segundo maior em vendas no País, com 600,1 mil unidades em 2019, atrás dos modelos hatchs, com 753,8 mil unidades.

Nessa categoria há duas importantes novidades. Uma é o Nivus, da Volkswagen, desenvolvido no Brasil e que será produzido também na Espanha.

Para preparar a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) para o início da produção do Nivus, a empresa colocou neste mês 1,2 mil trabalhadores em lay-off (suspensão de contratos) por cinco meses.

A queda das exportações para a Argentina também colaborou para essa decisão, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

A marca alemã tem outros três lançamentos confirmados, os últimos do programa de 20 novidades iniciado em 2016. Além do Nivus vão chegar as versões GTS dos modelos Polo e Virtus e possivelmente a picape Tarok.

Novo turno

Outra novidade entre os SUVs é o Tracker, da General Motors, primeiro da marca a ser feito no Brasil. Até o ano passado produzido no México, a nova geração do modelo já está em fase de produção para testes na fábrica de São Caetano do Sul, no ABC paulista e levou a montadora a avaliar a retomada do terceiro turno de trabalho na planta, encerrado no fim de 2014, segundo informa o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano. A GM anunciou sete lançamentos para 2020.

A Ford prepara oito novidades, mas a única confirmada é o importado Territory, SUV que virá inicialmente da China e, depois, poderá ser produzido na Argentina.

A empresa negocia com o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari medidas para redução de custos que poderão tornar viável a produção de três novos veículos na fábrica baiana. A empresa iniciou o ano sem ter definido a venda da fábrica do ABC, fechada em outubro.

A Fiat não divulga quantos lançamentos fará, mas entre as apostas estão as novas picapes Strada e Toro.

Além dessas estreias, publicações especializados citam como promessas, entre outros, o novo Q3 e o elétrico e-tron (Audi), novo Duster e novo elétrico Zoe (Renault), C5 Aircross e o substituto do C3 (Citroën), novo 208 (Peugeot), nova geração do Fit e Accord híbrido (Honda) e novo Versa (Nissan). Da chinesa Chery chegarão Arrizo 6, novo Tiggo 7 e Tiggo 8.

Entre os importados estão previstos os Mercedes-Benz GLA, GLB 35 e o SUV elétrico EQC, Porsche Taycan, Jeep Wrangler Gladiator, Land Rover Defender, Kia Rio e JAC iEV20 elétrico.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

coronavírus no país

Covid-19: Brasil tem 1,2 mil novas mortes e 60 mil novos casos

Até o momento, 2.356.640 pessoas se recuperaram da doença

seu dinheiro na sua noite

A questão de Bolsonaro: ser ou não ser liberal

Ser ou não ser liberal. Eis a questão de Jair Bolsonaro. O presidente foi eleito com uma pauta de defesa das reformas, redução do tamanho do Estado e equilíbrio das contas públicas. O fiador desse discurso foi Paulo Guedes, que assumiu o comando da economia. O receituário foi seguido no primeiro ano de mandato, com […]

de olho nos números

Suzano, JBS, B3, Cyrela, Lojas Americanas, B2W, Hering: os balanços que vão mexer com o mercado nesta sexta

Balanços do segundo trimestre devem guiar os negócios no Ibovespa no último pregão da semana

Balanço

B3 tem lucro 28,9% maior no 2º trimestre e aumenta investimento para dar conta do volume da bolsa

A dona da bolsa brasileira registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,012 bilhão e pretende investir até R$ 425 milhões em sistemas e novos produtos para o mercado

confiança com capitalização

Para presidente da Eletrobras, saída de Mattar não prejudica privatização

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse nesta quinta-feira, 13, que a saída do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, não irá prejudicar a capitalização da empresa prevista para o ano que vem, e que confia que após debates com o Congresso Nacional, o processo seja aprovado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements