Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-02T13:38:38-03:00
Estadão Conteúdo
Voando

Embraer aponta retomada difícil, mas reforça otimismo com jato de até 150 lugares

A retomada, ficará 19% abaixo do volume previsto pela Embraer ao longo da década, até 2029.

2 de dezembro de 2020
13:38
Veículo e avião desenvolvidos por Porsche e Embraer
Imagem: Divulgação

A Embraer divulgou ao mercado nesta quarta-feira, 2, suas estimativas para o setor aéreo nos próximos 10 anos com um cenário ainda desafiador para a demanda global. Segundo a empresa, o tráfego global de passageiros (medido em passageiros pagantes transportados por quilômetro - RPKs, na sigla em inglês) retornará aos níveis de 2019 apenas em 2024. A retomada, entretanto, ficará 19% abaixo do volume previsto pela Embraer ao longo da década, até 2029.

Leia também:

Mas o cenário traz oportunidades para a empresa. A Embraer espera que o mercado doméstico deverá se recuperar 12 meses antes do que o internacional. A previsão abre espaço para os jatos menores, que na aposta da fabricante brasileira será a principal escolha das companhias aéreas.

"O impacto de curto prazo da pandemia global tem implicações de longo prazo na demanda por novas aeronaves", disse Arjan Meijer, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. "Nossa previsão reflete algumas das tendências que já estamos observando - a aposentadoria antecipada de aeronaves mais antigas e menos eficientes, a preferência por aviões menores para atender à demanda mais baixa de forma lucrativa, e a crescente importância das rotas domésticas e regionais para as companhias na restauração do serviço aéreo. Aeronaves com até 150 assentos serão essenciais para a rápida recuperação da nossa indústria."

A Embraer estima que 4.420 novos jatos de até 150 assentos serão entregues pelo setor até 2029. Desse total, 75% substituirão aeronaves antigas e 25% representarão o crescimento do mercado. A maior parte das entregas será para companhias aéreas da América do Norte (1.520 unidades), China e Ásia-Pacífico (1.220 unidades).

No segmento de turboélices, que a fabricante quer entrar, a estimativa é de que o setor entregue 1.080 novas unidades até 2029. A maior parte será para companhias aéreas da China e Ásia-Pacífico (490 unidades) e Europa (190 unidades).

O desenvolvimento de uma aeronave turboélice pela Embraer, para brigar pelo mercado com o ATR, da Airbus e da italiana Leonardo, não deve se concretizar enquanto a fabricante brasileira não conseguir um parceiro. Antes, o plano era de que esse projeto fosse tocado pela Boeing Brasil Commercial, joint venture que seria formada após a venda de 80% da divisão de aviação comercial da Embraer para a Boeing. O negócio, entretanto, não prosperou.

O documento aponta ainda uma mudança do comportamento do passageiro, que tende a dar preferência por voos de curta distância, na esteira dos novos procedimentos de voo e percepção pessoal de segurança por causa da pandemia. Além disso, há uma tendência de descentralização de escritórios de grandes centros urbanos. Os dois cenários, segundo a empresa, exigirá redes aéreas mais diversificadas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Alta da Selic, bons números da Weg, IPO do Nubank e dividendos da Gerdau: veja o que marcou o mercado hoje

Há cerca de um mês, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que a autoridade não mudaria o “plano de voo” a cada novo dado da economia brasileira. Mas, veja só, a realidade obrigou a instituição a recalcular a rota: há pouco, o Copom elevou a Selic em 1,50 ponto percentual, ao […]

Referência em SP

Na corrida do setor de saúde, Rede D’Or (RDOR3) garante fôlego com a compra do Hospital Santa Isabel

O ativo está avaliado em R$ 280 milhões. Porém, conforme explica a empresa, seu endividamento líquido será deduzido na conta final da transação

Ser conservador compensa

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 7,75%

Agora até a poupança ganha da inflação projetada. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

MUDANÇA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom sobre a Selic

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado do Copom a respeito da Selic; a taxa básica de juros foi elevada ao patamar de 7,75% ao ano

CRYPTO NEWS

Sobrevivendo aos altos e baixos do bitcoin: veja sete ensinamentos para os ciclos de criptomoedas

Manter a saúde mental e financeira é um desafio para os investidores do mundo cripto, especialmente em meio ao bull market atual

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies