Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-08T19:12:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
não para de subir

IPCA sobe 0,89% em novembro, acima do esperado pelo mercado

Pela primeira vez desde fevereiro, inflação acumulada em 12 meses ultrapassa o centro da meta para 2020

8 de dezembro de 2020
9:30 - atualizado às 19:12
Desenho de quatro homens tentando segurar um maço de dinheiro, que tenta "voar", em referência à inflação.
De olho na alta de preços e nas reações do Banco Central, os investidores devem ficar atentos esta semana - Imagem: Shutterstock

Ao contrário do esperado pelo mercado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou entre outubro e novembro, de 0,86% para 0,89%, sendo esta a maior variação para o mês desde 2015. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (8) pelo IBGE.

A mediana das estimativas da pesquisa Projeções Broadcast apontava para um arrefecimento do índice oficial de inflação do País em novembro, para 0,78%. Todas as 40 instituições consultadas esperavam desaceleração, com estimativas de taxas entre 0,70% e 0,85%.

Com isto, o IPCA acumulado em 12 meses ultrapassou pela primeira vez desde fevereiro o centro da meta de inflação para 2020, de 4,0%, atingindo 4,31%. O movimento já era esperado pelo mercado, mas numa intensidade menor – a mediana apontava uma leitura de 4,19%, com as projeções indo de 4,06% a 4,88%.

Alimentos novamente

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, sete tiveram alta em novembro.

Alimentação e bebidas continuou sendo o principal responsável por puxar a inflação. No mês passado, o grupo apresentou avanço de 2,54% nos preços, uma aceleração ante outubro (1,93%). O efeito sobre o IPCA foi de 0,53 ponto percentual (p.p.).

Dentro do segmento, a aceleração foi provocada por altas mais intensas em alguns itens do subgrupo alimentos para consumo no domicílio (3,33%), principalmente carnes (6,54%) e da batata-inglesa (29,65%).

Além disso, os preços de outros alimentos importantes na cesta das famílias, como o tomate (18,45%), o arroz (6,28%) e o óleo de soja (9,24%) seguem em alta.

Outros grupos

A segunda maior contribuição (0,26 p.p.) veio de Transportes (1,33%). Juntos, Alimentos e Transportes representaram cerca de 89% do IPCA de novembro. 

A parte de Artigos de residência (0,86%), por sua vez, desacelerou em relação ao mês anterior (1,53%), assim como Vestuário (0,07% em novembro, frente à alta de 1,11% em outubro).

Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,13% em Saúde e cuidados pessoais e a alta de 0,44% em Habitação.

* Com informações da Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro sobe após a abertura com boas perspectivas para os balanços e dólar avança hoje

No panorama doméstico, o risco fiscal permanece no radar, enquanto a semana conta com importantes balanços

O melhor do Seu Dinheiro

O Tesouro Direto virou tesouro de tolo? O que mexe com os mercados na semana e outros destaques

O investidor devia estar contente no começo deste ano com o que parecia uma grande oportunidade: investir no Tesouro Direto com um retorno garantido de quase 3,5% ao ano mais a variação da inflação. Naquele momento, as aplicações mais conservadoras de renda fixa estavam com rentabilidade real negativa e o Banco Central indicava que os […]

SEGREDOS DA BOLSA

Esquenta dos mercados: risco fiscal é pano de fundo para semana de Copom, IPCA-15 e balanços domésticos e no exterior

Os próximos dias serão tensos para os investidores, que devem ficar de olho na votação da PEC dos precatórios e medidas do Banco Central contra a inflação

REFORÇANDO O CAIXA

Depois de anunciar emissão de debêntures, 3R Petroleum lança oferta de ações. Entenda o que a empresa pretende fazer com quase R$ 4 bilhões a mais em seu caixa

Empresa de óleo e gás fará ofertas primária e secundária; a previsão é de que o processo de prospecção de investidores interessados se encerre em 4 de novembro

Renda fixa também varia

Terra arrasada no Tesouro Direto: sinônimo de renda fixa, títulos públicos têm perda de até 30% no ano; hora de vender ou de comprar mais?

Tensão nos mercados na última semana jogou juros para cima e preços dos títulos para baixo, mas não é de hoje que o Tesouro Direto sofre com a deterioração fiscal. Entenda o que está acontecendo e o que fazer

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies