Menu
2020-03-24T12:29:27-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Arsenal contra a crise

Estímulos do Fed contra o coronavírus nos EUA podem passar de US$ 6 trilhões, diz Pimco

Economia dos EUA não vai escapar de um período de recessão, mas o novo pacote do Fed deve evitar uma depressão, segundo a economista da gestora norte-americana

24 de março de 2020
12:29
Dólar
Imagem: Shutterstock

O arsenal de medidas lançado pelo Federal Reserve (Banco Central norte-americano) nas últimas semanas para combater os efeitos do coronavírus na economia já ultrapassou o nível máximo de US$ 4,5 trilhões atingido após a crise financeira de 2008.

E o tamanho do balanço do Fed pode ultrapassar a marca de US$ 6 trilhões (R$ 30,5 trilhões, no câmbio de hoje), nos cálculos da gestora de fundos Pimco. Trata-se de uma soma que representa mais de quatro vezes o PIB brasileiro, que foi de R$ 7,3 trilhões em 2019.

Para Tiffany Wilding, economista da Pimco, a economia dos Estados Unidos não vai escapar de um período de recessão. Mas o novo pacote de medidas anunciado ontem pelo Fed deve evitar uma depressão – caracterizada por um longo período de contração econômica, como a que os EUA viveram na década de 1930.

O Fed anunciou ontem que comprará um volume ilimitado de títulos do Tesouro dos EUA e lastreados em hipotecas (MBS), além de uma série de medidas para estabilizar o sistema financeiro.

O BC norte-americano também criará novos veículos para conceder empréstimos de médio prazo diretamente às empresas.

“Ao fornecer às famílias e empresas financiamento durante o período de parada dos negócios, a economia pode voltar mais rapidamente ao normal após o vírus retroceder e evitar os danos econômicos de longo prazo que podem resultar de uma onda de falências e um aumento no número de desempregados”, escreveu a economista da Pimco, gestora que possui quase US$ 2 trilhões (R$ 10,1 trilhões no câmbio de hoje) em patrimônio.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Enfim uma oportunidade

Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, faz primeira aquisição desde a explosão do coronavírus

Empresa adquire ativos de gás de companhia de energia americana por US$ 4 bilhões, além de assumir parte da sua dívida; desde o colapso dos mercados em março, a Berkshire apenas vendeu ativos, e vinha montada em caixa, no aguardo de boas oportunidades de compra

Um dos bilionários mais velhos

Aos 99 anos, Aloysio de Andrade Faria, o ‘banqueiro invisível’ ainda dá as cartas

Criador do Banco Real, Aloysio de Andrade Faria continua à frente de um império que inclui o banco Alfa e mais uma dezena de empresas.

Entrevista

O agronegócio não precisa das terras da Amazônia para se expandir, diz ministra da Agricultura

Em entrevista ao Estadão, Tereza Cristina diz ser “defensora intransigente de zerar o desmatamento ilegal”; sob escrutínio internacional, agronegócio corre risco de perder investimentos por questões ambientais

Nas redes sociais

Renato Feder recusa convite para ser novo ministro da Educação

Segundo o Estadão, Bolsonaro foi pressionado pela ala ideológica do governo e por militares para não colocar Feder no comando do MEC

Novo candidato?

Rapper Kanye West diz que vai concorrer à presidência dos EUA – e já tem o apoio de Elon Musk

Conhecido apoiador do presidente Donald Trump, o rapper tuitou que concorreria à presidência, e Musk respondeu

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements