Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-23T19:07:57-03:00
Estadão Conteúdo
contra a crise

Fed anuncia expansão de programas de empréstimos para sustentar economia

BC americano disse que disse que as compras de Treasuries e títulos lastreados que aprovou há uma semana serão basicamente ilimitadas

23 de março de 2020
10:47 - atualizado às 19:07
Presidente do Fed, Jerome Powell, em entrevista nesta quarta-feira.
Presidente do Fed, Jerome Powell. - Imagem: Federal Reserve

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) anunciou nesta segunda-feira uma agressiva expansão de programas de empréstimos para impulsionar os mercados de crédito, ajustando seus dispositivos para incluir certos tipos de dívida corporativa e municipal.

Em comunicado, o Fed disse que as compras de Treasuries e títulos lastreados que aprovou há uma semana serão basicamente ilimitadas. O BC americano informou que comprará US$ 375 bilhões em Treasuries e mais US$ 250 bilhões em títulos lastreados em hipotecas nesta semana.

Segundo o Fed, as compras dos títulos serão feitas nos volumes necessários para garantir "o bom funcionamento dos mercados e eficiente transmissão da política monetária para condições financeiras mais amplas e para a economia".

O Fed também anunciou que começará a comprar títulos comerciais lastreados em hipotecas emitidos por entidades com apoio do governo.

"Como grandes incertezas persistem, ficou claro que nossa economia vai enfrentar severos transtornos", disse o Fed no comunicado. "Agressivos esforços devem ser feitos nos setores público e privado para limitar as perdas de emprego e de renda e promover uma rápida recuperação assim que os transtornos diminuírem."

O Fed também anunciou que vai lançar mais três dispositivos de crédito, dois dos quais se destinarão a grandes empregadores, e um terceiro, conhecido como TALF, para apoiar financiamento para consumidores e empresas.

A ideia é que os três dispositivos apoiem US$ 300 bilhões em novos financiamentos, e o Departamento do Tesouro irá cobrir US$ 30 bilhões em perdas, disse o BC americano.

O Fed também ampliou dois outros dispositivos anunciados na semana passada para incluir novos tipos de dívidas municipais.

O BC dos EUA informou ainda que em breve anunciará um novo programa para incentivar empréstimos a pequenas e médias empresas.

Bancos poderão utilizar colchão de capital

Em nova nota, o Fed informou sobre "mudança técnica para apoiar a economia dos EUA e permitir que os bancos continuem emprestando a famílias e empresas com crédito".

No comunicado, o Fed destacou que a nova regra facilitará o uso do TLAC, um colchão adicional de capital e dívida de longo prazo que poderá ser destinado a recapitalizar um banco se ele estiver em perigo.

De acordo com o Fed, na última década, bancos de todos os tamanhos dos EUA construíram níveis substanciais de capital e liquidez além de seus requisitos mínimos.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Olimpíadas da bolsa

Ibovespa acima dos 140 mil pontos? Para a maioria dos assessores da XP, isso deverá ocorrer ainda em 2021

A pesquisa entrevistou profissionais do ramo para obter a visão dos assessores e, principalmente, dos seus clientes sobre os rumos da bolsa brasileira

Um olho no peixe...

EUA: Casa Branca comemora avanço do PIB no 2º trimestre, mas alerta para incertezas econômicas

O governo defendeu sua proposta de investimentos em infraestrutura como instrumento importante para manter o ritmo de crescimento

roxinho com mais crédito

Nubank promete aumentar limite em cartão de crédito de 35 milhões de clientes

Segundo a companhia, até o final de 2021, 10 milhões de clientes serão impactados pela novidade do cartão; três milhões em agosto

A vida depois da pandemia?

Ações da Multiplan sobem 5% após balanço que mostra recuperação dos shoppings

Resultados mostram avanço nas vendas e nas receitas de aluguel, à medida que a vacinação avança e os shoppings reabrem

Balanço sólido

Lucro líquido da Mastercard dispara 46% e vai a US$ 2 bilhões no segundo trimestre; resultado superou previsões dos analistas

O resultado foi impulsionado, segundo o CEO da empresa, pela contínua recuperação dos gastos domésticos e internacionais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies